26 ago 2006 - 20h42

Vadão: "O momento agora é da reação"

Segunda vitória consecutiva, perigo da zona de rebaixamento afastado e time na disputa por uma vaga na Copa Sul-Americana 2007. Para o técnico Vadão, a vitória sobre a equipe do Fluminense pelo placar de 2 a 1 foi importante para a equipe assimilar que o momento agora é de reagir no Campeonato Brasileiro.

Entre outras questões, Vadão comentou na entrevista coletiva concedida à imprensa sobre a atuação do time adversário, com a estréia do técnico Antonio Lopes, destacou mais uma brilhante atuação do goleiro Cléber e falou sobre a melhora no rendimento da equipe. “O time está melhorando, mas não podemos achar que embalamos, pois mesmo com esta vitória hoje continuamos enrolados. Só vamos embalar quando vencermos o Santos, o Botafogo, daí as coisas começam a melhorar”, comentou o técnico.

Confira os principais trechos das declarações de Vadão:

O JOGO
“Tivemos duas situações distintas no jogo de hoje: primeiro porque fizemos um jogo muito bom até faltar uns 20 minutos, depois a gente praticamente só se defendeu e contra atacou. Mas até os 15 minutos do segundo tempo a equipe fez uma partida muito boa e inteligente, tocando a bola e explorando bem. Depois, foi uma determinação rara, como se fosse uma final, os jogadores estão de parabéns, eles tiveram brio e lutaram para segurar o resultado”.

O ADVERSÁRIO
“Nós sabíamos como o Fluminense viria porque houve uma mudança no comando técnico, a gente conhece o trabalho do Antonio Lopes, ele é um treinador experiente, sabe motivar seus jogadores, além da influência fora de campo, mas ele tem esse dom de fazer boas equipes. Nós sabíamos o que iríamos enfrentar. O Lopes conhece muito bem a nossa equipe, mas os nossos jogadores conheciam o Lopes também. Nós sabíamos que iríamos enfrentar esse tipo de jogo. Por isso eu entendo que a nossa resposta foi positiva.”

ARBITRAGEM
“Eu isento o pênalti que nós sofremos com o Cristian porque o auxiliar levantou a bandeira e só não parou a jogada porque deu vantagem. Se estava ou não impedido, não sei, o lance foi faltoso, mas como o auxiliar levantou a bandeira e deu o impedimento, foi isso que eu percebi, ele deu a vantagem e não optou pela penalidade máxima em virtude do impedimento. Agora, pelo aspecto disciplinar, ele estava apitando uma partida boa, mas ele não podia ficar ameaçando os jogadores do Atlético a todo momento. Eles foram ameaçados e houve uma irregularidade muito grande na expulsão do Marcelo, que sofreu um chute por trás e depois foi pra fora sem ter o segundo cartão amarelo. Na parte disciplinar ele deixou a desejar porque ele forçou demais os nossos jogadores, porque o árbitro tem que apitar e não ficar ameaçando ou intimidando os jogadores. No mais, ele teve uma participação muito boa. No caso do pênalti eu entendo porque eu vi que o auxiliar levantou a bandeira dando a vantagem”.

O TIME
“O time está melhorando. Acho que dá para fazer tudo aquilo que a gente realmente gosta. Nós precisamos de um tempo maior de preparação, de treinamento, como foi os 40 dias da parada da Copa do Mundo que a gente não estava aqui. Daí você começa a implantar uma filosofia com mais tempo, como foi o caso do Palmeiras, por exemplo. Agora nós pegamos no meio do caminho, com jogos em andamento e tivemos que aos poucos colocar algumas coisas nossas. O mais importe é que o grupo assimilou que agora é o momento da reação. O que nós não podemos achar é que embalamos, pois mesmo com esta vitória hoje continuamos enrolados. Qualquer tropeço a gente volta próximo à zona de rebaixamento. A gente não sabe o que vai acontecer na rodada para ver se essa vitória realmente nos dá um conforto. Não adianta a gente achar que embalou porque não embalou. Só vai embalar quando vencer o Santos, o Botafogo, daí as coisas começam a melhorar."

CLÉBER
“O Cléber teve uma atuação individual brilhante nos últimos 20 minutos de jogo, porque foram muitas bolas ao gol, muitos chutes e cruzamentos. Ele já vem se destacando assim há um bom tempo e é uma pena que perdemos ele para o próximo jogo. Assim como perdemos outros três jogadores, o Alan Bahia, Ferreira e Marcelo Silva. O Cléber teve uma atuação muito boa, mas não vou destacar só ele porque o time todo teve um rendimento muito bom”.

ESQUEMA TÁTICO
"O melhor esquema tático é aquele que vence, dá resultado e mais equilíbrio. Este estava dando certo. Mas agora com quatro desfalques, vamos ver como vamos montar a equipe para o próximo jogo. Vamos ver o Santos, vamos dar uma olhada na equipe deles."



Últimas Notícias