30 ago 2006 - 19h05

Paulo Rink está de volta

O bom filho à casa torna. Após nove anos o atacante Paulo Rink, de 33 anos, está voltando para o clube que o revelou, o Furacão. Nesta quarta-feira, através de notícia divulgada em seu site oficial, o Omonia Nicosia informou que Paulo Rink havia rescindido seu contrato para retornar ao futebol brasileiro. Não demorou muito para o Furacão confirmar sua contratação. No início da noite desta quarta, o clube confirmou, também através de notícia em seu site oficial, a chegada do jogador.

Paulo Rink deve ser um dos últimos reforços do Rubro-Negro para o Campeonato Brasileiro, já que a janela para transferências internacionais se encerra nesta quinta-feira, dia 31.

O atacante sempre demonstrou o interesse de voltar a vestir a camisa atleticana. "Como eu comecei no Atlético, é provável que eu termine por aí também", afirmou à Furacao.com recentemente. O retorno de Rink ao Furacão vem sendo cogitado há meses. Quando Lothar Matthäus foi contratado para ser técnico do Atlético, o jogador foi sondado para integrar a comissão técnica, já que atuou por alguns anos no futebol alemão e chegou até a jogar pela seleção da Alemanha, falando fluentemente o idioma do ex-treinador atleticano.

História no Atlético

A ligação Atlético-Paulo Rink começou em 1990. O jogador que trancou o terceiro ano da faculdade de Educação Física para jogar futebol foi uma das revelações do Furacão. Paulo participou de alguns jogos do Campeonato Paranaense de 90 e conquistou seu primeiro título na carreira.

Um ano depois o atacante foi emprestado ao Atlético Mineiro para adquirir experiência e conquistou o Campeonato Mineiro. Antes ainda de voltar para fazer história com a camisa 11 do Rubro-Negro, ele jogou pela Chapecoense, de Santa Catarina, onde jogou tão bem que por pouco não foi negociado em definitivo com outro time. Mas o conselheiro na época, Ademir Adur bancou sua permanência porque acreditava que um dia o jogador iria brilhar no Atlético.

Em 1994 Rink voltou para o então Joaquim Américo, mas como não atuou bem voltou a ser emprestado para o Chapecoense. No Campeonato Catarinense daquele ano, Paulo foi artilheiro da competição com 23 gols e isso bastou para que a diretoria voltasse a chamar o jogador.

E em 1995, Paulo Rink voltou para fazer historia ao lado de Oséas no ataque atleticano. Foi dele o gol da vitória por 1 a 0 contra o Mogi Mirim, no quadrangular final do Campeonato Brasileiro da Série-B, que conduziu o clube à elite do futebol nacional.

No Brasileiro de 96, a dupla de ataque Oséas e Paulo Rink foi uma das sensações da competição, conduzindo o Atlético para a surpreendente oitava colocação no campeonato. Em 1997, Paulo Rink foi artilheiro do Campeonato Paranaense, com 21 gols, e vice-artilheiro da Copa do Brasil, com 8. O desempenho do jogador chamou a atenção do futebol internacional, sendo negociado com o Bayer Leverkusen, da Alemanha, por 6 milhões de dólares, quantia mais alta já paga por um jogador paranaense até então.

No futebol alemão, Paulo Rink continuou fazendo bonito, naturalizando-se alemão e, inclusive, defendendo a Seleção da Alemanha em várias partidas, inclusive a Copa das Confederações, no México, em 1999.

No mesmo ano, ele voltou ao futebol brasileiro, sendo emprestado ao Santos, quando pela primeira vez teve a oportunidade de jogar na nova Arena. Depois disso, Rink passou pelo Nüremberg e Energie Cottbus, da Alemanha, Olympiakos Nicosia, do Chipre, Vitesse, da Holanda, Chonbuk Hyundai Motors, da Coréia do Sul, e atualmente defendia o Omonia Nicosia, novamente do Chipre.



Últimas Notícias

Sul-Americana

Caminhando pela América

Dentro de uma semana o Athletico volta a campo na primeira partida da equipe principal e num dos torneios cobiçados pelo clube na temporada: a…