5 set 2006 - 9h23

Manchetes atleticanas desta terça-feira

Como outros milhares de atleticanos, Paulo Rink não gostou nada do que viu domingo na Arena. A diferença é que, ao contrário dos companheiros de arquibancada na derrota de 5 a 0 para o Botafogo, ele terá a chance de descer ao gramado para ajudar a resolver os problemas. O atacante de 33 anos começou a trabalhar ontem no CT do Caju, onde foi apresentado como reforço do Furacão para a seqüência da temporada.

 

Quase uma década depois de deixar o time para jogar na Europa, o atacante volta a vestir a camisa do Atlético. O jogador foi apresentado oficialmente ontem como novo reforço rubro-negro e espera estar à disposição do técnico Vadão já para a partida de amanhã, contra o Paraná, pela Copa Sul-Americana.

 

O atacante Paulo Rink, 33 anos, fez ontem seu primeiro treino no Atlético, desde o seu retorno ao clube. O jogador, que estava no Omonia Nicosia, do Chipre, chegou a Curitiba no último domingo, assinou contrato e iniciou a preparação para voltar a jogar. “Acredito que eu não vou fazer feio. Estou tranqüilo, consciente e em uma boa fase”, declarou. “Na temporada passada (2005/2006) eu fiz 32 gols e estou pronto para o meu próximo desafio aqui no Atlético”, afirmou ele, que foi vice-artilheiro do campeonato do Chipre.

 

O atacante Paulo Rink foi apresentado oficialmente nesta segunda-feira à tarde, como novo reforço do Atlético-PR para o Campeonato Brasileiro. O jogador chegou a Curitiba no domingo e já assistiu à goleada sofrida pelo Furacão para o Botafogo por 5 a 0.

 

Foi a maior derrota do Atlético Paranaense desde a inauguração da Arena da Baixada, em 1999. Os 5 a 0 do Botafogo no último domingo deixaram a cabeça do torcedor rubro-negro inchada, mas sobrou para o técnico Vadão a difícil tarefa de tentar explicar o que aconteceu.

 

Parecia que o time havia encontrado o seu rumo no Campeonato Brasileiro. A vitória sobre o Botafogo era praticamente favas contadas. Porém, o futebol não é uma ciência exata e nem sempre as coisas acontecem como as pessoas imaginam. O Fogão veio aí e foi fazendo um gol atrás outro, obrigando o torcedor rubro-negro a passar um dos maiores vexames de toda a sua história. Foi a primeira vez que o time levou uma sacola tão grande dentro da Arena e existe a possibilidade da volta da crise, após aqueles 5 X 0. Para evitar que isso aconteça, o jeito será vencer o Paraná Clube de qualquer jeito, amanhã, no Pinheirão, pela Copa Sul-Americana.

 


Últimas Notícias

Sul-Americana

Caminhando pela América

Dentro de uma semana o Athletico volta a campo na primeira partida da equipe principal e num dos torneios cobiçados pelo clube na temporada: a…