19 set 2006 - 14h46

Torcedores opinam sobre as vaias na Baixada

Após a publicação de reportagem sobre as vaias da torcida na Kyocera Arena (clique aqui para ler), a Furacao.com recebeu diversas mensagens de leitores comentando o assunto. Confira algumas opiniões:

Vair não ajuda porque interfere com o rendimento da equipe e a vaia é generalizada, atingindo também os inocentes.
Nerildo Dal Prá – 56 anos – Curitiba, Paraná

Eu acho que vaiar é tão importante como apoiar – e acho que aquela pessoa que não vaia tal jogador pelo mau futebol apresentado ou pelo rendimento do time esta sendo conivente com aquela situação e incentivando ao jogador mostrando que não estamos nem aí. Tenho muito medo que dentro da Arena todos ajam como corderinhos e nossos jogadores pensem que somos torccedores coniventes com o momento e que ficaremos de braços cruzados.
Fernanda Carlitita – 22 anos – Curitiba, Paraná

Sou contra as vaias. Dificilmente as vaias ajudam ao atleta ou ao time. Para que um jogador transforme as vaias em incentivo ele precisa ter um amadurecimento psicológico muito bom, precisa conseguir esquecer rápido de um erro cometido e se recuperar mentalmente para o próximo lance. No jogo de tênis, é visível esse processo. No futebol isto é muito difícil de acontecer, pois é completamente diferente. As vaias no futebol são muito prejudiciais na grande maioria das vezes. Eu não vaio nenhum jogador em nenhuma hipótese e não concordo com quem vaia, pois termina com a possibilidade deste jogador se recuperar na partida. E o que todos querem é justamente que ele se recupere, gostando ou não dele. No entanto, não vejo nenhuma manifestação de descontentamento com o time, ou especialmente com a diretoria, mais genuína do que a vaia. Manifestar descontentamento com a diretoria ou o time por vaias surte um importante efeito, mas desde que feito no intervalo ou final da partida, pois expõe o sentimento do torcedor "consumidor" (que foi fabricado pela gestão desta diretoria), do torcedor apaixonado, do torcedor comum. A torcida unida ajuda a unir o time também. Não vaiar um jogador durante a partida, mas dar a ele um suporte, uma força nos trará melhores resultados. Nos manifestarmos em nossos descontentamentos com a equipe ou diretoria nos intervalos ou finais dos jogos, manterá a nossa identidade de torcida que nunca deixa de apoiar o time, mas que não se submete a baixa qualidade, irresponsabilidades ou descasos com o nome do nosso querido Clube Atlético Paranaense.
Cassiana Castro (psicóloga) – 42 anos – Curitba, Paraná

Estive neste jogo ao qual Vadão se referiu às vaias e penso que as vaias foram provocadas pelo próprio Vadão, que demorou, como sempre, a mexer na equipe, principalmente em relação ao atleta Cristian (o Alan Bahia ruim é melhor que este). As vaias são uma forma de manifestação de alguns, eu não vaio o time durante o jogo, pois acho que o atleta sente-se pressionado.
Antonio Oliveira – 47 anos – Curitiba, Paraná

Quer vaiar? Xingar o time? Fica em casa! O ingresso está caro, pagar pra vaiar e xingar o time, não! Se vai ao estádio, não fique sentado, apoie o time! Essa sempre foi a minha opinião.
Marcio do Valle – 25 anos – Curitiba, Paraná

As vaias em nada ajudam. Por algum tempo, sentia um orgulho especial, como narrado na crônica, por ser parte de uma torcida tão especial e vibrante, e confesso que tenho sentido uma coisa estranha vinda da torcida. Gostaria de voltar a sentir aquele orgulho de sermos apoiadores incondicionais, precimos de um movimento em massa de conscientização para aqueles que insistem em reclamar sem levar em conta fatores como a chuva em excesso que caiu no último jogo ou até mesmo os valores necessários para fazermos um futebol competitivo. Vaias e reclamações de nada adiantam, só atrapalham. Reclamar é certo, mas de forma coerente e objetiva ajudando a construir algo melhor e não denegrindo a imagem de nosso clube.
Leonardo Bressan – 25 anos Curitiba, Paraná

O jogo contra o Paraná Clube na Arena foi emblemático. Toda a torcida pedindo a entrada de Paulo Rink, o Vadão atende e tira o Marcos Aurélio. Vaias, muitas vaias, gritos de "burro" para o nosso treinador. Na seqüência, passe de Paulo Rink e gol do Denis Marques. E o próprio Denis Marques escolhido como o destaque do jogo pela equipe que transmitiu para o canal FX. A vaia quase sempre é burra, por ser um sintoma de impaciência. Xingar o Vadão agora? Com um trabalho recém-iniciado e que se mostra consistente? É impaciência demais, até justificada pela campanha rubro-negra durante esta temporada. Se o Michel não puder atuar, quem joga? As vaias acabaram com a auto-confiança do Ivan e do Moreno. Continuando, acabam com a possibilidade de estes jogadores voltarem a atuar bem na Arena. Esta torcida impaciente pode acabar também com o Denis Marques, atleta em quem o clube investiu bastante. Apoiar é preciso. Quem não aprova a atual gestão que ache outras formas de se manifestar, mas o clube e seus atletas tem que ser apoiados em campo.
Carlos Augusto de Oliveira – 52 anos – Curitiba, Paraná

Não sou a favor das vaias, mas como alguns colunistas falaram, a torcida está impaciente, pois estão insistindo demais com certos jogadores como Denis Marques, Jancarlos e Ivan. Agora, por que ninguém cita os nomes dos jogadores vaiados? O Denis Marques, por exemplo, era o único e exclusivo responsável pelo empate que estava acontecendo no sábado, visto os gols que perdeu, os passes que deixou de dar e as jogadas que ele enrolou quando devia agilizar. Esse é o maior exemplo de um jogador que só deu prejuízo ao clube, veio ficou tanto tempo parado por irregularidade, teve multa e quando joga não faz nada em campo.
Vinícius Aracema Mülbauer – 29 anos – Curitiba, Paraná

Bom, primeiramente, quero elogiar o site pela matéria feita! Muito legal! Eu, assim como a maioria, sou totalmente contra as vaias nos jogos, pois acredito que essa atitude por parte dos torcedores é totalmente prejudicial ao jogador. No jogo de domingo, contra o Santa Cruz, o Denis Marques não podia tocar na bola que logo recebia vaias, assim é impossível o cara não ficar abalado, a pressão que já era grande antes de entrar em campo, torna-se ainda maior. Até entendo que paciência tem limite, e cobrar do time é considerável, mas vaiar só atrapalha.
Priscila Barreto – 24 anos – Curitiba, Paraná

Acredito que a vaia prejudique, porém é a forma que o torcedor tem para se manisfestar. Se o torcedor reclama é que algo está errado. Acredito que a vaia também é construtiva: abre os olhos dos jogadores e do técnico!
Sonia Martins – 35 anos – Curitiba, Paraná

As vaias seriam bem-vindas se no nosso elenco tivessemos jogadores com brio. Fato esse que não existe. Temos um time que sabe de suas limitações e, com isso, vaiar só vai limitar ou desencorajá-los a fazer uma jogada mais audaciosa como um drible em direção ao gol, um chute de fora da área, e ou um ataque mais rápido. Sugestão: ser uma torcida moderna assim como o clube que tanto sonhamos, ao invés de vaiarmos, vamos nos mainfestar através dos veiculos de comunicação (internet, e-mail, jornal, panfletos e outros), onde passaremos nossas insatisfações com o clube sem coibir as iniciativas dos atletas.
João Marcos Melchiors – 27 anos – Brasilia, Distrito Federal

É certo que existam as vaias. São dez mil pessoas no estádio concordando onde está o erro e querendo que conserte!
Fábio Roberto – 23 anos – Iporã, Paraná

A vaia até poder ser usada como estratégia, depende do evento ou do motivo. No caso do nosso Atlético, penso que não combina com a torcida, que sempre foi tida como a mais vibrante e entusiasta do futebol brasileiro. É bonito vê-la cantando, vibrando, inventando novas coriografias, é desta forma que ela é conhecida e é desta forma que ela realmente vai ajudar nosso Furacão a voltar a ser imbatível na Arena. Se for para protestar, e é democrático fazê-lo, é melhor que seja ao final do jogo, como forma de fazer com que jogadores, técnico e dirigentes antedam que está (torcida) insatisfeita com a situação e exige mudanças.
Guerino Angelo Mantovani – 49 anos – Maringá, Paraná

A vaia é um incentivo ou é prejudicial ao jogador? Psicologimente, a vaia não contribui em nada para o desempenho positivo de uma ação. Realizar ações sobre determinada pressão (como vaia), resulta na perda de concentração aumentando assim, a probabilidade de se cometer falhas. Se lembrarmos que em muitas situações, onde vaiando os adversários estes acabaram cometendo erros grosseiros, será então que a sua vaia em especial está ajudando ou atrapalando nosso jogodor? Pense nisto e analise se é melhor mexer com o "brio" do jogador negativamente com as vaias ou positivamente com gritos e cantos que expressam o nosso amor pelo clube e nos fazem "atletas" das arquibancadas, e muitas vezes, foi somente pelo apoio e incentivo destes "atletas das arquibancadas" que a vitória veio. Porque o resultado deste apoio é raça… e o resultado de vaia é dasânimo!
Marcio Fernandes – 31 anos – San Francisco – California

Considerando o plantel existente, as vaias durante a partida são compreensíveis, pois são uma forma de mostrar ao comandante do time (o técnico) que muitos olhos estão vendo que algo está errado. Não há outra forma de se dirigir a ele, senão pelas vaias. Isto vale para a diretoria também. Quando uma equipe vai bem, joga solto, e perde uma partida, não seja o caso de vaiar e sim aplaudir. Mas atualmente este não é o caso do Atlético.
Alexandre Mello – 30 anos – Curitiba, Paraná

Acho que a vaia prejudica o time e o jogador. O torcedor deve ir a campo e apoiar o time do primeiro ao último minuto e se por acaso o time jogar muito mal e perder, a vaia pode ser dada após o término do jogo, nunca durante a partida, pois alguns atletas podem se abalar e render menos do que podem. Finalmente, a torcida do Atlético ficou famosa por apoiar o time na Baixada e não por vaiar.
João Roberto Lisboa – 44 anos – Curitiba, Paraná

Não consigo entender como exitem pessoas que saem de casa, deixam seu conforto, gastam com locomoção, lanche e ingreso, chegam ao Caldeirão e vaiam nossos jogadores. Acredito que não são mais os mesmos torcedores do Joaquim Américo, aqueles que acompanhei em 82-83. Daria tudo para poder ver o meu Furacão ao vivo e a cores em todos os seus jogos. Todo torcedor como todo jogador deveria saber que existe algo de anormal nesta combinação, quando funciona não existe para ninguém e isso todos sabemos. Cabe a nos fazermos a nossa parte. A camisa rubro-negra só se veste por amor, esta frase também é válida para os torcedores que estão ai vaiando e não representando a verdadeira torcida do Furacão.
André Luiz Tragancin – 40 anos – Lages, Santa Catarina

Acho que devemos apoiar incondicionalmente nosso rubro-negro, aí depois do resultado final aplaudimos ou cobramos. É lógico que merecemos um time muito melhor, mas vejam bem estamos a 6 pontos da Libertadores com um jogo a menos contra os bambis, então atleticanos vamos lá rumo à Libertadores e rumo ao nosso primeiro título internacional!
Antonio Lima – 23 anos – São José dos Pinhais, Paraná



Últimas Notícias