20 set 2006 - 22h55

Geninho: "O Goiás deixou de matar o jogo"

O técnico Geninho, do Goiás, reclamou da postura de sua equipe no segundo tempo da partida desta quarta-feira, contra o Atlético. Na etapa inicial, o time da casa fez 2 a 0, mas acabou cedendo o empate nos minutos finais da partida. Para o treinador, o Atlético teve méritos, mas o Goiás proporcionou a subida de produção do adversário. "Mérito do Atlético, que foi buscar o resultado, e demérito total do Goiás, que falhou muito e não aproveitou as chances que teve", comentou o treinador, que foi campeão brasileiro pelo Atlético em 2001.

Geninho ficou visivelmente decepcionado com o empate nos minutos finais: "O Atlético teve duas ou três chances no jogo todo e aproveitou duas. Nós tivemos dez chances e só aproveitamos duas. Nós permitimos que o adversário crescesse no jogo e eles empataram numa bola parada. Deixaram um jogador baixo marcar um gol. Tem que se lamentar porque esse tipo de erro pesa".

O técnico do Goiás destacou que a arbitragem não influenciou na partida. "Não se pode reclamar da arbitragem, que foi muito boa. O Atlético teve seus méritos, mas acho que nós erramos muito. O primeiro tempo poderia ter terminado tranqüilamente 3 a 0 e no início do segundo tempo poderíamos ter feito 4 ou 5. E daí você dá chance que teu adversário cresça no jogo. O Goiás não pode reclamar do resultado porque ele deixou de matar o jogo", disse.

Lembranças

Antes da partida, Geninho declarou que guarda boas recordações do período em que dirigiu o Atlético, entre 2001 e 2002. "Ótimas lembranças. O maior título que eu tive na minha carreira foi no Atlético. Deixei ótimos amigos no Atlético, tenho grandes recordações da cidade e do time", revelou.



Últimas Notícias