24 set 2006 - 13h08

Cléber recebeu os Troféus Furacao.com

Regularidade e segurança são predicados do goleiro Cléber nesta temporada 2006 defendendo a meta atleticana. E com esse desempenho, o jogador, de 24 anos, vem sendo um dos principais destaques da equipe na temporada, sendo o vencedor das últimas cinco edições do Troféu Furacao.com – com a avaliação jogo a jogo da atuação dos atletas durante o mês pelos colaboradores da Furacao.com.

Cléber foi o melhor do mês em março, abril, maio, julho e agosto. Este ano, ele só não foi o melhor em janeiro e fevereiro, quando o volante Alan Bahia ficou com o título. Na época, Cléber ainda não era titular absoluto da camisa número um do Furacão, dividindo a posição com Tiago Cardoso. Neste sábado, após a vitória por 3 a 1 sobre o São Caetano, Cléber recebeu os troféus de março, abril e maio.

O reconhecimento pelo bom trabalho que vem realizando no clube animou o goleiro. “Olha isso daí é um trabalho que esta sendo reconhecido. Graças a Deus venho fazendo um bom trabalho aqui no Atlético. Não só eu, mas todo mundo vem trabalhando bem. Mas ter um reconhecimento individual é sempre muito bom”, afirmou o goleiro, em entrevista à Furacao.com. Apesar disso, ele afirma que sempre trabalha pensando no bem coletivo. “O que importa para gente é o coletivo porque um jogador somente não faz a diferença. Isso é o resulto do trabalho que eu venho fazendo pela equipe e espero que possa fazer ainda mais”, completou.

E é pensando nessa melhora coletiva da equipe que Cléber admite que o clube pode render mais no Campeonato Brasileiro e até mesmo almejar metas maiores na competição. “O campeonato está muito embolado. Estamos a poucos pontos da zona de rebaixamento, mas também estamos a poucos pontos da zona da Libertadores. Então se tivermos uma seqüência de vitórias tenho certeza que vamos brigar por uma Libertadores”, disse.

Sul-Americana

Depois do jogo contra o São Caetano, o time e a torcida atleticana já estão em clima internacional, pensando na partida contra o River Plate, no Monumental de Nuñez, válido pelas oitavas-de-final da Copa Sul-Americana. “A gente tem que manter este ritmo dos últimos jogos, porque a gente vem sem derrotas. Se a gente mantiver a mesma pegada que tivemos nesse jogo contra o São Caetano a gente tem chance de chegar lá e trazer um bom resultado para Curitiba”, avaliou o goleiro rubro-negro.

Segundo Cléber, neste domingo ele tem uma tarefa de casa: espionagem. Ele vai acompanhar a transmissão da partida entre River Plate e Colón de Santa Fé, válido pela oitava rodada do Campeonato Argentino (Apertura). “Vou assistir sim, vou dar numa conferida”, disse.



Últimas Notícias

Libertadores

Vamos, oh meu Furacão

Os pouco mais de 1.800 km que separam Curitiba de La Plata começaram a ser enfrentados por centenas de atleticanos desde o último fim de…