1 out 2006 - 18h45

Análise de Iguaçu 0 x 0 Atlético B, por Eduardo Mandu

Análise de Iguaçu 0 x 0 Atlético, pela Copa dos 100 Anos
por Eduardo Mandu

O Estádio Municipal Antiocho Pereira, em União da Vitória, estava quase lotado. Quanto ao jogo entre Atlético B e Iguaçu, o que mais me deixou decepcionado foi a atuação do nosso centroavante Pedro Oldoni. Pelo fato de ele ter feito alguns gols e se destacado em muitas partidas no Campeonato Brasileiro da série A, esperava muito mais dele neste sábado. Por exemplo, em uma oportunidade de ouro, numa bola lançada, o zagueiro do Iguaçu acabou escorregando e a bola sobrou limpa para o Pedro, que, na tentativa de fazer um golaço, acabou perdendo a bola para o goleiro ao tentar driblá-lo.

O primeiro tempo foi literalmente dominado pelo Rubro-Negro. O primeiro minuto de jogo ficou marcado por uma má cobrança de falta do time do Iguaçu. A partir disso, o nosso time jogou com cadência e muita calma, sendo muito superior tecnicamente ao time de União da Vitória. Um atleta que muito se destacou foi o zagueiro Alessandro Lopes, capitão do Atlético. Ele jogou como um terceiro zagueiro, mas pelos escassos ataques do outro time, claramente via-se que ele buscava o jogo, fazendo lançamentos, saindo com a bola dominada e até chegando ao ataque. Nesta etapa, teve um cabeçeio do Pedro Oldoni, exigindo uma agilidade do goleiro do Iguaçu e aquele outro lance já mencionado.

Já o segundo tempo foi em quase totalidade do time do Iguaçu. A impressão que ficou é de que o time atleticano ainda não tinha voltado para a segunda etapa. Talvez pelo tempo frio e úmido que fez naquela tarde. Com isso, a equipe das gêmeas cresceu no jogo, efetuoando algumas investidas, mas pecava pela pouca técnica e pela falta de senso de oportunismo.

Somente aos 30 minutos é que o técnico rubro-negro resolveu mexer no time, colocando o atacante Willian, que entrou e agitou a partida. A partir desta modificação, o time passou a tocar mais a bola e voltou a procurar o gol. Em uma oportunidade, o atacante Ricardinho driblou quatro jogadores, fazendo fila, ficando de frente para o gol, mas por méritos do ótimo goleiro do Iguaçu não abriu o placar no estádio Antiocho Pereira. O lateral-esquerda Stanley também participou de bonitos lançes na partida, mostrando que estava disposto. O volante Chico também teve méritos fazendo grandes intervenções e movimentando bem a bola. Em um dos ultimos lances do Atlético, um atleta emendou um belo chute que explodiu no pé da trave direita do arqueiro do Iguaçu, e na sobra o Willian disputou a bola com o goleiro, fazendo a bola sobrar para as redes, mas graças a uma intervenção do zagueiro do time do contestado, o placar ficou no 0 a 0. Vale ressaltar ainda a grande forma do zagueiro Rhodolfo. O goleiro Guilherme não foi muito requisitado e os outros que jogaram fizeram uma partida normal.

Não houve nenhum tumulto nem problema maior antes e depois do jogo. A única infelicidade, para nós atleticanos, foi a falta de gols e de torcedores na tarde do dia 30 de setembro em União da Vitória.

Eduardo Mandu é colaborador da Furacao.com. Clique aqui para entrar em contato com ele.

O texto acima não representa necessariamente a opinião dos integrantes da Furacao.com e seu autor se responsabiliza integralmente pelo conteúdo.



Últimas Notícias

Sul-Americana

Caminhando pela América

Dentro de uma semana o Athletico volta a campo na primeira partida da equipe principal e num dos torneios cobiçados pelo clube na temporada: a…