2 out 2006 - 10h15

Análise de Atlético 0 x 0 São Paulo, por Priscila Pacheco

Análise de Atlético 0 x 0 São Paulo
por Priscila Pacheco

O jogo deste sábado realizado na Baixada não foi como toda torcida atleticana esperava, afinal, enfrentar nosso segundo maior freguês sempre gera uma grande expectativa.

Mais de 22 mil atleticanos estiveram presentes para apoiar o time, a pressão em cima dos bambis foi grande, pois todos eles sabem o poder que nossa torcida tem, e é este poder que eles tanto temem.

Com o mesmo time que enfrentou o River, pela Sul-Americana, o Atlético entrou em campo determinado, com o objetivo dos três pontos, e subir na tabela, mas ficamos apenas com o empate sem gols.

No começo do primeiro tempo, o time do São Paulo atacou bastante, assustando a torcida rubro-negra, porém, nossa zaga estava bem posicionada, e Cléber, seguro, praticou importantes defesas.

Jancarlos estava lento, não conseguia acompanhar, deixando, assim, um grande espaço pela direita para o São Paulo armar jogadas. O meio de campo em vários momentos ficou aberto. Ferreira criou bastante, saiu em disparada para o gol, mas no momento de dar o passe, deixou a desejar.

Outro que não teve uma grande atuação foi Erandir, que além de errar passes, estava fraco na marcação.

Apesar de o jogo ter sido realizado na Baixada, o Atlético jogou muito no contra-ataque, desempolgando o torcedor. Marcos Aurélio perdeu uma chance incrível de marcar o primeiro gol da partida, quando Cristian tentou de longe, no rebote Denis chutou mal, e no bate-rebate dentro da área Marcos Aurélio de frente para o gol, desperdiçou. Se aquela bola tivesse entrado, o resultado seria outro, a torcida ficaria eufórica, o medo dos bambis seria maior ainda, e a vitória certamente seria nossa.

No segundo tempo, após uma conversa no vestiário, todos esperavam que Vadão mexesse logo no time. O jogo estava bastante equilibrado, a zaga mais segura, mas gol que é bom, nada.

Vadão resolveu finalmente mexer, sacando Cristian para entrada de William, e Ferreira para a entrada de Válber, na esperança de um meio de campo mais criativo. Minutos depois entrou Paulo Rink, saiu Marcos Aurélio, para indignação da torcida rubro-negra. Uma pergunta que todos fazem é: por que não tirar Denis Marques? Concordo que Denis cresceu muito dentro de campo, mas nas finalizações é totalmente infeliz, não consegue meter para o fundo da rede, tendo várias chances desperdiçadas.

No final do jogo o Atlético pressionou bastante, parecia que o gol estava amadurecendo. Um lance polêmico foi o pênalti que Miranda cometeu em Denis, mas o juiz nada marcou. Paulo Rink teve um a ótima chance, em que de cabeça mandou para fora, mas o placar ficou mesmo no 0 a 0. Bom para os bambis, menos pior para nós, pois nosso objetivo eram os três pontos.

Apesar do placar, o Atlético não jogou mal. Todos os jogadores mostraram raça, não se entregaram em nenhum momento do jogo, mas infelizmente a bola não entrou. Talvez o cansaço com a maratona de jogos, entre Brasileiro e Sul-Americana, esteja pegando, mesmo assim, mostraram um ótimo preparo físico.

Quarta-feira enfrentaremos o Juventude, em Caxias, e precisamos voltar com a vitória na bagagem. Não podemos relaxar, pois estamos a cinco pontos da zona de rebaixamento, mas também a cinco pontos da zona de classificação para a Libertadores.

Gostaria de aproveitar o espaço e convocar toda torcida atleticana a doarem brinquedos, novos ou usados (em bom estado), para a campanha Solidariedade: Esta camisa só se veste por amor, para tornar o dia de crianças carentes mais feliz!

Priscila Pacheco é colaboradora da Furacao.com. Clique aqui para entrar em contato com ela.

O texto acima não representa necessariamente a opinião dos integrantes da Furacao.com e seu autor se responsabiliza integralmente pelo conteúdo.



Últimas Notícias

Sul-Americana

Caminhando pela América

Dentro de uma semana o Athletico volta a campo na primeira partida da equipe principal e num dos torneios cobiçados pelo clube na temporada: a…