22 out 2006 - 22h42

Vadão exalta a postura do time do Atlético

O técnico Oswaldo Alvarez voltou a elogiar a postura do time atleticano no Campeonato Brasileiro. "Acho que o destaque foi o espírito da equipe, eles tiveram alma para buscar o resultado no momento difícil, já era final de jogo, perdíamos por 3 a 2 de virada, um adversário motivado, uma torcida motivando, mas nós superamos tudo isso e buscamos a vitória". Vadão também voltou a afirmar que não há prioridade de campeonato para ele e que vai buscar bons resultados no Campeonato Brasileiro e na Copa Sul-Americana.

Confira a coletiva que o treinador concedeu após a partida contra o Fortaleza.

DIFICULDADES E VIRTUDES
"Eles sentiram o calor, a maratona de jogos e a nossa grande virtude foi a superação. Em nenhum momento nós deixamos de acreditar num resultado positivo. Fomos buscar, mesmo cansados, nos últimos minutos, a vitória. Então a vitória foi de fundamental importância, o time realmente sentiu a maratona, mas teve uma superação espetacular que me deixou muito satisfeito".

O JOGO
"O jogo foi aberto porque a nossa equipe não tinha muita força para marcar. Quando o adversário tinha bola, a gente tinha que se afastar e esperar o momento certo para roubar a bola. Nós fizemos isso. Acho que o destaque foi o espírito da equipe, eles tiveram alma para buscar o resultado no momento difícil, já era final de jogo, perdíamos por 3 a 2 de virada, um adversário motivado, uma torcida motivando, mas nós superamos tudo isso e buscamos a vitória. Nos 90 minutos as duas equipes tiveram as sensações de derrota e vitória. O jogo foi totalmente aberto, talvez um dos grandes jogos do Campeonato Brasileiro".

EQUIPE E ELOGIOS
"Se existe um time titular existe um grupo, porque todos os jogadores que têm entrado, têm dado conta do recado. Temos que mais uma vez elogiar o trabalho do Walter Grassmann pelo preparo físico. O trabalho que ele têm feito com os companheiros de equipe está de parabéns, o time se superou fisicamente num momento difícil. Não adianta ter somente 11 jogadores. Lá no Uruguai não jogaram cinco jogadores que vinham jogando e nós vencemos. Nós temos que ter um grupo e o nosso está conscientizado, é o nosso grande trabalho, muito mais resgatar a auto-estima de cada um deles, porque qualidade eles sempre demonstraram em todas as equipes que eles jogaram. E foi por isso que eles chamaram a atenção do Atlético e foram destaque. É um grupo que ainda precisa provar, obviamente, mas estamos no caminho certo."

MUDANÇAS
"O Fortaleza fez isso conosco sabendo que a nossa condição física estava hoje um pouco prejudicada. O que nós fizemos: deixamos o jogo atípico. Estávamos perdendo o jogo e deixamos cinco jogadores na frente. O Ferreira, que vinha jogando mais na frente, o Válber e os três atacantes. Então o jogo ficou mais aberto e era um risco que a gente tinha que corre. Nós tínhamos que deixar o adversário numa situação mais difícil para marcar e foi isso que aconteceu".

EVANÍLSON
"Foi uma atuação muito boa. Um jogo difícil, onde a equipe estava desgastada, ele entrou bem. É óbvio que ele joga mais do que isso, mas até a equipe estiver melhor condicionada, ele jogar, as coisas vão melhorar. Então ele fez uma boa estréia, mais sabendo que o potencial dele, por ter jogado na Seleção Brasileira, pode render mais. Mas, pela estréia e o tempo parado, ele fez uma boa estréia".

PREOCUPAÇÕES
"Vou repetir o que eu tenho falado todas as semanas: a nossa preocupação é a recuperação dos atletas, porque além do jogo decisivo com o Nacional, nós temos um clássico no sábado. Então é recuperar os jogadores, eles estão conscientes disso, eles têm ficado concentrados constantemente para podermos alimentá-los e hidratá-los melhor. Só essa segunda que não vamos concentrar porque fazem 10 dias que nós estamos fora e eu preciso dar um dia para que eles fiquem com seus familiares".

MAIS ELOGIOS
"É o trabalho de todos nós. Os jogadores entenderam, pegamos um grupo meio que sem planejamento técnico e conseguimos organizar, nós trabalhamos de todas as formas, a diretoria também tem nos apoiado naquilo que pedimos, então é um trabalho conjunto. Não sou eu quem está de parabéns, é o Atlético e todos que têm colaborado para isso".

PRIORIDADES
"Não tem como encarar a Sul-Americana como prioridade. Enquanto o time não chegar aos 48 pontos não dá para pensar nisso. Eu falei para os jogadores é exatamente isso, tentar rapidamente essa pontuação para que a gente possa pensar. De repente, se conseguirmos passar o Nacional, porque a gente está sentindo um clima que já passamos, mas não passamos. O Nacional é uma equipe forte, tirou o Boca Juniors dentro da Argentina com um jogador a menos. Nós não passamos ainda. Temos sim chances de passar pelo resultado que fizemos lá. Agora temos que nos preocupar que ainda estamos longe da zona de rebaixamento, mas qualquer tropeço, complica novamente".



Últimas Notícias

Paranaense

Atletiba acaba empatado

Coritiba e Athletico ficaram no empate de 1 X1 no Couto Pereira no final da tarde, quase noite pelo Paranaense 2024. Mastriani abriu o placar…