29 out 2006 - 21h13

Análise de Atlético 4 x 0 Paraná, por Wagner Ribas

Análise de Atlético 4 x 0 Paraná Clube
por Wagner Ribas

Kyocera Arena informa: Atenção torcedor paranista, foi esquecido no setor da torcida visitante uma sacola. Pedimos ao freguês que compareça com a máxima urgência para a retirada de seus pertences.

Em tarde ensolarada com mais uma bela apresentação da equipe rubro-negra, o Atlético goleou o Paraná Clube e se distanciou ainda mais da zona de rebaixamento, firmando-se como uma equipe em ascensão mantém o histórico de sempre fazer uma campanha melhor no segundo turno, dando esperanças aos torcedores e tendo a chance de recuperar um ano que parecia perdido, com a possível conquista da Copa Sul-americana.

O adversário, maior freguês em confrontos na Baixada, foi presa fácil, e em poucos momentos pressionou a meta do goleiro Cléber, que é, sem dúvida, o melhor goleiro deste campeonato. O técnico Caio Jr., que levou um baile tático de Vadão, mais uma vez saiu dando desculpas, como acontece em todos os jogos do qual sai derrotado. Quando não é o gramado, ou o juiz, é a falta de estrutura. E assim vai o legítimo cavalo paraguaio do Brasileirão.

No primeiro tempo, a equipe paranista partiu pra cima, precisava ganhar para continuar sonhando com uma vaga a libertadores, porém, logo o Furacão cresceu em campo e passou a ter completo domínio de jogo. Atacando com velocidade e se defendendo com inteligência, o Atlético atacava e perdia várias oportunidades, mas não tardou até que o primeiro gol saísse. Em jogada de Ferreira pela linha de fundo, a bola foi cruzada na área e sobrou para Evanílson, que completou, no contrapé do goleiro Flávio. Minutos depois, novamente Evanilson, lançou para Ferreira, que tentou o drible no goleiro Flávio, e foi derrubado, dentro da área, deixando o caminho livre para Alan Bahia, de pênalti, aumentar. A partir daí, só deu Atlético, sobrava em campo a disposição atleticana, taticamente e fisicamente.

Na segunda etapa, parecia que a equipe das vilas voltaria diferente, mas nada mudou. O Atlético continuou tendo o domínio do jogo, criou as melhores oportunidades e ainda marcou mais dois. Primeiro com William, que após bela jogada no meio-campo de Evanílson, ficou livre na cara do gol e apenas completou. Depois com Denis Marques, que com muita qualidade, driblou três zagueiros e empurrou para o fundo das redes. Um gol para lavar a alma e dar ainda mais confiança para Denis. Azar dos paranistas, que somam a segunda derrota consecutiva e vão vendo fugir as chances de uma vaga ao torneio continental.

Coletivamente, a equipe vem muito bem, defensimente mostra melhoras jogo após jogo, mas da partida deste sábado, pode-se destacar três jogadores. Primeiro, o lateral-direito Evanílson, que substituindo Jancarlos, apoiou bem ao ataque, mostrou qualidade, e além de marcar o primeiro gol da vitória rubro-negra, participou no lance do segundo gol, e ainda deu o passe para o terceiro. O segundo, foi Ferreira, que nos últimos jogos tem sido um leão em campo. O baixinho corre, desarma e cria, se desdobra em campo, e principalmente, tem demonstrado um excelente preparo físico. Vai mantendo uma boa média em suas apresentações, sendo um dos responsáveis diretos pela boa recuperação do Furacão. O terceiro destaque, não poderia ser diferente. Denis Marques, o atacante que vive seus dias de Kleber incendiário, vai recuperando a confiança da torcida, e, mesmo mantendo a média de gols perdidos, se destacou com o belo gol. A sorte, que parece estar acompanhando novamente sua qualidade, nesta reta final, vai lhe ajudando a se destacar como um dos melhores atacantes do campeonato, custando a encontrar dois nomes que estejam em nível igual ou superior.

Foram 4 partidas entre Atlético e Paraná durante o ano, e o saldo não poderia ser melhor. Foram 3 vitórias rubro-negras, e apenas uma derrota. Com 9 gols marcados e apenas 3 sofridos. Duas vitórias pela Copa Sul-americana e uma pelo Brasileirão, a realidade é esta. Nosso rivais ultrapassaram os limites do Estado.

Na próxima quarta-feira, o Atlético pega o Vasco, também na Arena, e esta partida deve ser decisiva para as pretensões rubro-negras. Uma vitória, além de livrar completamente a equipe das possibilidades ao rebaixamento, pode dar novos sonhos a torcida. Um empate ou uma derrota, devem deixar o caminho da Libertadores livre para a equipe cruzmaltina. O encontro esta marcado.

Wagner Ribas é colaborador da Furacao.com. Clique aqui para entrar em contato com ele.

O texto acima não representa necessariamente a opinião dos integrantes da Furacao.com e seu autor se responsabiliza integralmente pelo conteúdo.



Últimas Notícias