9 nov 2006 - 0h33

Era uma vez: desgraça pouca é bobagem

O frio fora de época também trouxe para Curitiba o que há muito tempo os torcedores do Atlético não viam: uma arbitragem tendenciosa e que prejudicou diretamente o Furacão na Kyocera Arena. Luís Antônio Silva Santos pode ser considerado o protagonista do duelo entre paranaenses e paulistas. Só que nesta história o personagem principal não fechou a participação beijando a princesa ou salvando a mocinha do cativeiro. O mal venceu. O mal venceu não apitando faltas, invertendo infrações, aplicando cartões na hora errada, não tendo pulso firme para segurar os jogadores em campo.

Até os quinze minutos do primeiro tempo, quando Atlético e Corinthians prometiam uma bela partida, o árbitro se comportou bem. Deixou a bola rolar e soube conduzir o espetáculo. Até aí Cristian havia marcado para o Rubro-Negro depois de uma bonita tabela com Ferreira que o deixou na cara do gol. O Timão empatou depois de uma cobrança de falta da direita. Ninguém na zaga atleticana escorou e Marcos Vinícius deixou tudo igual.

Depois disso, as milhares de câmeras espalhadas pelo gramado captaram uma sucessão de erros do juiz. Nem o intervalo serviu de consolo para a nação vermelha e preta que coloria as arquibancadas.

Adeus, mundo cruel

As cadeiras da Kyocera Arena transformaram-se em divãs. Os torcedores pareciam dialogar sozinhos tentando ouvir uma resposta. Eis que nos 45 minutos finais o sopro de vida que o Atlético tinha para conseguir a classificação para a Copa Libertadores definhou. Mesmo com César fazendo 2 a 1 numa nova falha defensiva, as esperanças ainda existiam, mas morreram com outro tipo de sopro. O sopro do apito.

Restando 17 minutos para terminar a partida, Luís Antônio Silva Santos expulsou Michel. O lateral deu um soco num jogador do Corithians. Avisado pelo quarto árbitro, o lateral saiu mais cedo de campo. O que a arbitragem parece não ter visto, foram as diversas jogadas desleais do adversário do Atlético que não foram punidas. Ou a regra foi alterada nesta quarta-feira, dia 08 de novembro, ou um toque de mão, de forma intencional, continua valendo o cartão amarelo. Se o jogador já tiver esse cartão, tem de ser expulso. Fefo ficou em campo por causa disso.

Com o sonho de disputar a Libertadores fora de cogitação para 2007, restou ao Furacão a Copa Sul-Americana ainda nesta temporada. Sem monstros cruéis vestidos de amarelo, preto, azul ou vermelho apitando as partidas. Isso é o que todos esperam para viverem felizes para sempre.

%ficha=526%

Confira os melhores momentos da partida

Primeiro tempo
2 min – Marcos Aurélio acertou uma bomba de fora da área. Mas o auxiliar já havia antado impedimento antes da bola acertar a trave direita
3 min – Michel disparou e tentou de fora da área. A bola passou longe
7 min – Gol do Atlético. Cristian tabelou com Ferreira, recebeu na entrada da área e chutou no cantinho
11 min – Gol do Corinthians. Numa cobrança de falta da direita, Marcos Vinícius conseguiu cabecear e empatou o jogo
13 min – Cristian cobrou escanteio no segundo pau. Michel apareceu e quase fez
16 min – Cristian bateu uma falta da esquerda, Danilo cabeceou para o gol, anulado corretamente pelo auxiliar
22 min – Jancarlos cruzou, Denis Marques acertou uma bonita cabeçada, mas a bola foi para fora
25 min – Boa jogada de Marcos Aurélio e Ferreira. O colombiano chutou mas a zaga despachou para escanteio
33 min – Luis Antônio Silva Santos não marcou uma falta clara em Denis Marques. No contra-ataque corintiano, quase gol
34 min – Ferreira cruzou rasteiro, o goleiro tirou mas ninguém apareceu no rebote
37 min – João Leonardo falhou, Wilson driblou Cléber mas Danilo salvou em cima da linha
40 min – Pressão do Atlético. Denis tocou para Marcos Aurélio. Ele achou Ferreira que chutou em cima do goleiro
46 min – Fim do primeiro tempo

Segundo tempo
2 min – Depois de uma confusão na área, Betão perdeu um gol na cara de Cléber
17 min – Gol do Corinthians. De novo numa cobrança de falta, o Atlético falhou na bola aérea. Renato fez de cabeça
25 min – Válber tentou de longe. O goleiro defendeu com tranqüilidade
26 min – Ferreira serviu Marcos Aurélio. Marcelo fez boa defesa e mandou para escanteio
27 min – Contra-ataque do Corinthians. No mano a mano, Danilo conseguiu evitar o terceiro gol
28 min – Avisado pelo auxiliar, o árbitro expulsou Michel
34 min – Renato perdeu mais um gol na cara de Cléber
35 min – Paulo Rink ganhou a disputa de bola. Marcos Aurélio ficou com ela e chutou forte raspando a trave esquerda
46 min – Falta perto da meia-lua para o Atlético cobrar
47 min – Marcos Aurélio cobrou na barreira
49 min – Fim de jogo



Últimas Notícias