15 nov 2006 - 0h18

Pachuca… vem aqui com o Furacão!

O feriado da Proclamação da República no Brasil não vai fazer as ruas de Curitiba ganhar as cores verde, amarela, azul e branca. A capital paranaense vai se enfeitar de vermelho e preto para saudar o único representante do país na Copa Sul-Americana. Ao invés do Marechal Deodoro da Fonseca, que há 119 anos acabou com a monarquia no território nacional, o dia 15 de novembro vai ser marcado por um outro confronto, bem mais saudável e que faz inveja naqueles que ainda se consideram rivais do Clube Atlético Paranaense. Hoje é dia de Furacão contra Pachuca, na Kyocera Arena.

Se o torcedor Rubro-Negro anda meio desconfiado por causa das últimas atuações no Campeonato Brasileiro, a hora é de espantar todo o mau-olhado, negativismo e entrar no reduto atleticano com o pé direito. Vencendo por um bom placar o time dá um passo importantíssimo para a disputa inédita da final da Copa Sul-Americana. Além de garantir uma renda extra para o clube, a vitrine internacional mais uma vez voltaria a ser exposta. Para o jogo desta tarde, por exemplo, a Rede Paranaense de Comunicação garantiu cobertura para todo o Estado. A Rede Record e a Sportv confirmaram transmissão para todo o país, com o sinal do jogo vazando para alguns países através dos seus canais internacionais e também pela Fox Sports.

O compromisso do torcedor para o jogo contra o Pachuca vai além. Esta será a última partida do Atlético na Kyocera Arena neste ano. Como o clube foi punido com a perda de um mando de campo no Campeonato Brasileiro (jogará contra o Figueirense, na Vila Capanema, com os portões fechados) e se passar para as finais da Sul-Americana vai ter de procurar um estádio com capacidade para 40 mil pessoas, só no ano que vem é que a nação poderá vibrar dentro do nosso templo sagrado.

E diferente da última partida, quando o técnico Oswaldo Alvarez escalou um Atlético reserva, nesta quarta-feira o Furacão vai com força máxima para o campo. A única dúvida fica na zaga. João Leonardo sofreu uma torção no tornozelo e pode ficar de fora. De resto o time é aquele que vem desempenhando um brilhante papel na competição internacional: Cléber; Jancarlos, Danilo, João Leonardo (César, Chico ou André Rocha) e Michel; Erandir, Alan Bahia, Cristian e Ferreira; Marcos Aurélio e Denis Marques. O atacante Dagoberto deve integrar o banco de reservas pela primeira vez nesta Sul-Americana.

Agora é com os onze heróis atleticanos dentro do gramado e com as 20 mil vozes que vão empurrar o clube para mais uma brilhante vitória dentro da Kyocera Arena. Leve todo o seu espírito positivo, a sua camisa vermelha e preta, ajude no mosaico, solte a voz ou torça da sua maneira. Mais do que nunca o Atlético precisa da gente.



Últimas Notícias