16 jan 2007 - 16h12

Furacão vence nos pênaltis e está nas oitavas

A equipe de juniores do Atlético mostrou mais uma vez que vai com tudo para cima dos adversários atrás do título inédito da Copa São Paulo de Futebol Júnior. Nesta terça-feira, o Furacão venceu o Taubaté nos pênaltis, após empatar em 0 a 0 no tempo normal. A partida foi realizada no estádio Joaquim Moraes Filho, na casa do adversário, em Taubaté. Com este resultado, o time do técnico Leandro Niehues garantiu vaga nas oitavas-de-final do torneio, onde enfrenta o Porto, de Pernambuco, que também nesta terça venceu o Guarani por 2 a 1. A data da partida ainda será definida pela Federação Paulista de Futebol.

O jogo

O Furacão começou a partida pressionando os donos da casa. Tanto que, com menos de um minuto de jogo, o Atlético deu seu primeiro chute a gol. O zagueiro Ronaldo avançou desde a defesa e chutou de fora da área à direita da meta adversária. Mas o Taubaté, empurrado por sua torcida, logo deu o troco. Aos 3 minutos, Rodolfo cobrou escanteio na esquerda e Gabriel desviou de cabeça, mas o goleiro João Carlos fez excelente defesa. Depois deste lance, o Atlético tomou conta da partida. A equipe rubro-negra quase abriu o marcador com o lateral-direita Robert, aos nove minutos. Após driblar dois oponentes, o lateral invadiu a área e chutou forte, mas Cássio espalmou pela linha de fundo.

O Atlético continuou pressionando e tomando conta do jogo. Gerônimo quase repetiu o ritual dos jogos anteriores quando, em cobrança de falta, balançou as redes adversárias. Aos 17 minutos, o jogador bateu falta da entrada da área e quase abriu o placar, mas a bola bateu na trave esquerda do goleiro da equipe paulista. O Taubaté bem que tentou chegar à área atleticana, mas em todas as tentativas foi barrado pelos jogadores do Furacão. Mostrando superioridade e maior volume de jogo, o Atlético chegou mais uma vez com perigo aos 26 minutos. Gerônimo arriscou um chute de fora da área, o goleiro Cássio espalmou e, no rebote, o lateral-esquerda Rafael chutou à esquerda do gol. Em seguida, o Rubro-Negro permitiu alguns ataques do Taubaté, mas novamente os jogadores atleticanos afastaram o perigo da área.

Aos 30 minutos, a partida começou a ficar eqüilibrada. O Furacão chegou com o atacante Eduardo, que invadiu a área e chutou na rede pelo lado de fora. No contra-ataque a equipe paulista quase fez o primeiro gol da partida. Diego cruzou na área para Émerson, sozinho, tocar de leve, mas a bola saiu à direita de João Carlos. A partida continuou disputada, com o Atlético atacando e o Tabauté saindo nos contra-taques, mas sem chances reais de gols para nenhuma das equipes. Aos 41 minutos o time paulista tentou marcar com Rodolfo, que lançou João Cléber na área, mas o bandeirinha marcou o impedimento do lance.

No segundo tempo, o Atlético começou pressionando a saída de bola do Taubaté e teve a primeira oportunidade aos 2 minutos, em cobrança de falta de Gerônimo, que jogou no meio-campo. O jogador cobrou falta da esquerda para Douglas Maia desviar de cabeça para o atacante Fernando Mineiro, mas a bola acabou nas mãos do goleiro Cássio. Aos 6 minutos, o confronto ficou marcado pelo excesso de faltas dos dois lados. Numa delas, aos oito minutos, mais uma vez Gerônimo, referência nas bolas paradas, teve a chance de abrir o marcador, mas chutou longe do gol adversário.

Aos 11 minutos o técnico Leandro Niehues mexeu na equipe tornando ela ainda mais ofensiva. O atacante Michel entrou no lugar do volante Foguinho, que momentos antes havia recebido cartão amarelo. Três minutos após a substituição, o Rubro-Negro chegou pela primeira vez com chances de marcar. O atacante Eduardo Salles fez linda jogada dentro da área e chutou perto do travessão do arqueiro adversário. Um minuto depois, mais uma vez o Furacão foi salvo pelo impedimento. Cafu cruzou da direita, a bola passou por João Cléber e acertou a trave direita, mas como este participou diretamente do lance, o impedimento foi assinalado.

A partir daí, o Taubaté começou a pressionar o Rubro-Negro ficando mais tempo com a bola e chegando mais vezes próximo da área atleticana. Aos 21 minutos, o comandante atleticano mexeu mais uma vez na equipe. O Furacão estava jogando com três atacantes, Fernando Mineiro, Eduardo Salles e Michel, mas como o Taubaté estava pressionando, o técnico tirou Salles e promoveu a entrada do meia Pimba. Substituição que logo rendeu chance de gol para o Atlético. Em seu primeiro lance, Pimba avançou pela direita e chutou forte, mas Cássio espalmou para a lateral. Mas a equipe do Taubaté continuou com maior posse de bola e pressionava o time atleticano, que tinha dificuldades para armar jogadas ofensivas. Tanto que, aos 33 minutos, vendo a queda de rendimento da equipe, o técnico promoveu sua última substituição. Saiu o lateral Robert para entrar o atacante Afonso, deixando o meia Gerônimo na lateral-direita.

Aos 39 minutos o Rubro-Negro quase marcou. Pimba cruzou da esquerda e Rafael cabeceou sobre o gol. Aos 45 minutos, o atacante Michel fez boa jogada pela esquerda, invadiu a área e cruzou, mas Daniel, na hora certa, afastou o perigo. A última chance da partida para abrir o marcador foi do Taubaté. Rafael cruzou da direita, João Cléber dominou no peito, mas perdeu o domínio e Deivid tirou a bola da área. O árbitro havia dado três minutos de acréscimo e exatamente aos 48 encerrou a partida.

Disputa nos pênaltis

O primeiro a cobrar a penalidade foi o lateral-direita e meia Gerônimo. O jogador bateu no canto direito sem chances para o goleiro Cássio. Do lado do Taubaté, Gabriel bateu decidido no ângulo esquerdo de João Carlos. Na segunda rodada das cobranças, o volante Deivid cobrou no canto esquerdo, mas Cássio defendeu. Do lado atleticano o arqueiro João também defendeu a cobrança de Rodolfo. Em seguida, o capitão e atacante Fernando Mineiro cobrou com segurança no meio do gol. A estrela de João Carlos mais uma vez brilhou e o goleiro defendeu mais um pênalti, desta vez batido por Zé Roberto. Na quarta rodada, o atacante Michel acertou a bola na trave. Assim, se a equipe paulista convertesse a cobrança igualaria o placar nas cobranças. E foi o que aconteceu. Rafael bateu e João não conseguiu defender. Na última rodada Douglas Maia bateu bem no alto e colocou o Furacão na frente. João Carlos mais uma vez defendeu a cobrança adversária e garantiu o Furacão nas oitavas-de-final da Copinha.

Cobranças

Atlético: Gerônimo, Deivid, Fernando Mineiro, Michel e Douglas Maia.

Taubaté: Gabriel, Rodolfo, Zé Roberto, Rafael e Bruno Daniel.

O Atlético entrou em campo nesta terça-feira com a seguinte formação: João Carlos; Robert (Afonso), Douglas Ribeiro, Ronaldo e Rafael Ricardo; Foguinho (Michel), Deivid, Douglas Maia Gerônimo; Fernando Mineiro e Eduardo Salles (Pimba).



Últimas Notícias

Brasileiro

Desastre aéreo no Maracanã

O Athletico foi massacrado pelo Flamengo, que impôs 5 a 0, ao natural, nesse domingo(14), diante de 62 mil pessoas, no Maracanã, pela 22ª rodada…

Libertadores

Vamos, oh meu Furacão

Os pouco mais de 1.800 km que separam Curitiba de La Plata começaram a ser enfrentados por centenas de atleticanos desde o último fim de…