16 jan 2007 - 10h36

Manchetes atleticanas desta terça-feira

Dago diz que sofreu ameaça de Petraglia
Uma discussão entre Dagoberto e o presidente do Conselho Deliberativo rubro-negro, Mário Celso Petraglia, no domingo, comprometeu de vez a já desgastada relação clube–jogador. Após ser intensamente vaiado pela torcida ao entrar em campo e a cada toque na bola, o jogador teria sido acusado pelo homem forte do Atlético pelo empate por 3 a 3, contra o J. Malucelli.

 

Dagoberto e Petraglia quase saíram no braço
A guerra está definitivamente declarada. A tensão entre a diretoria do Atlético, o atacante Dagoberto e seus procuradores chegou ao auge após o empate em 3 a 3 com o J. Malucelli, no último domingo. A briga, que teve capítulos nos tribunais e afastou o jogador da equipe principal do Furacão, teria chegado quase às vias de fato nos bastidores do Estádio do Xingu.

 

Marcos Aurélio tem que assinar com Furacão
A 11ª Vara do Trabalho de Curitiba (PR) recusou o pedido do jogador Marcos Aurélio para deixar o Atlético Paranaense e permanecer no Santos. Assim, o jogador fica obrigado a assinar contrato com o Furacão, ou então pagar a multa rescisória no valor de R$ 6,5 milhões para defender outra equipe.

 

Dagoberto não aparece para treinar e gera especulações
O clima esquentou de vez entre o atacante Dagoberto e a diretoria rubro-negra (leia-se Mário Celso Petraglia). O jogador, que foi hostilizado pela torcida desde a hora em que entrou em campo, domingo, contra o Jota Malucelli (era vaiado toda vez que tocava na bola), teria discutido feio com o presidente do Conselho Deliberativo do clube, no vestiário. Essa informação foi passada pelo pessoal da Rádio Banda B, mas não foi confirmada por ninguém. O detalhe é que ontem o jogador não apareceu para trabalhar. Não deu as caras no CT do Caju e não disse o porquê do seu sumiço.

 


Últimas Notícias