21 fev 2007 - 10h53

Paulo Rink comemora 34 anos nesta quarta

Nesta quarta-feira em que o Atlético estréia na Copa do Brasil, um dos maiores ídolos da torcida atleticana comemora aniversário. Trata-se do atacante Paulo Rink, que não foi relacionado pelo técnico Vadão para a partida.

A identificação Paulo Rink-Atlético é uma relação antiga e começou quando o jogador ainda era criança. Influenciado pelo seu avô, ele começou a torcer para o Atlético. Depois de passar um tempo jogando futsal na posição de goleiro, ele decidiu abandonar a faculdade de Educação Física para ser atleta profissional. Com a decisão, mais uma mudança. Impressionado com o tamanho do gol, Rink mudou para o ataque.

Contando todas as suas passagens pelo Atlético, são seis anos defendendo a camisa Rubro-negra, conquistando os títulos de campeão Paranaense em 1990 e campeão Brasileiro da Série B em 1995.

Em 1990, apesar de ainda ter idade júnior, ele atuou em algumas partidas do Campeonato Paranaense, ajudando o Atlético a conquistar o título daquele ano. No ano seguinte, foi emprestado ao Atlético Mineiro e à Chapecoense, de Santa Catarina, para pegar mais experiência.

Em 1995 ele voltou ao Atlético para fazer história. Formando a dupla de ataque do time ao lado do baiano Oséas, Rink foi peça fundamental do time então comandado por Pepe na conquista do Brasileiro da Série B, que levou o Atlético novamente à elite do futebol nacional. Aliás, foi de Paulo Rink o gol contra o Mogi Mirim, que garantiu o retorno do Furacão à primeira divisão.

Em 1997, Paulo Rink foi artilheiro do Campeonato Paranaense, com 21 gols, e vice-artilheiro da Copa do Brasil, com 8. Depois disso, o Atlético não conseguiu evitar sua transferência para um clube europeu. Rink foi negociado com o Bayer Leverkusen por 6 milhões de dólares, quantia mais alta já paga por um jogador paranaense até então. Naquela época, o clube vendia seus principais jogadores para arrecadar fundos para a construção da Arena. O dinheiro recebido com a negociação de Paulo Rink resultou nas primeiras fundações do estádio atleticano.

Naturalizado alemão, Paulo Rink chegou a ser convocado para a seleção da Alemanha em 1998. Como primeiro brasileiro nato a jogar pela seleção alemã, o atacante disputou amistosos com Romênia e Malta. Um ano depois, ainda jogando pelo Bayer, foi novamente convocado, desta vez para disputar a Copa das Confederações, no México.

Em 1999, ele voltou ao futebol brasileiro, para defender o time do Santos. E foi com a camisa do clube paulista que pela primeira vez ele jogou na Arena que ajudou a construir. Foi em 08 de agosto de 1999, dia em que a torcida do Atlético deu provas do quanto o jogador é especial na história do clube.

“Olé-lê, olá-lá… volta Paulo Rink que aqui é o seu lugar!”. A música, ecoada pelos atleticanos nas arquibancadas da Baixada, demonstrava todo o carinho que a torcida do Atlético sempre teve pelo atacante Paulo Rink. As lembranças daquele jogo ficaram para sempre na memória do jogador. “Quando saí do Brasil, o grito da torcida do Atlético ainda me arrepiava lá na Alemanha. Nunca me esqueço quando joguei na Baixada, pelo Santos. A torcida gritou assim: ‘Volta para cá, aqui é sua casa, aqui é seu lugar’. Isso me deixou arrepiado dentro de campo com o uniforme do Santos. E depois de ter tomado o terceiro gol do Atlético, olhei para o camarote e vi a minha própria família pulando, precisa falar mais?”, revelou o jogador recentemente.

A volta aconteceu sete anos depois. Antes disso, Rink viveu altos e baixos em sua carreira, defendendo várias equipes alemãs, cipriotas e holandesa. Ele esteve no Nüremberg, Energie Cottbus, Olympiakos Nicosia, Vitesse, Chonbuk Hyundai Motors e Omonia Nicosia.

Em 2006, depois de nove anos afastado do Furacão, Paulo Rink acertou seu retorno ao clube. Era o prometido retorno para encerrar em casa sua brilhante carreira nos gramados. Foram mais 18 jogos com a camisa Rubro-negra e um gol marcado, contra o Juventude, no Alfredo Jaconi.

Até aqui, em seis anos jogando pelo Atlético, Paulo Rink marcou 80 gols, que o colocam como o sétimo maior artilheiro da história do clube. A expectativa é de que ele ainda dispute mais algumas partidas pelo clube até 30 de junho, quando encerra o seu contrato – e data em que, provavelmente, Rink anuncie que vai pendurar as chuteiras.

Gols, raça, vontade, dedicação. Adjetivos que sempre acompanharam Paulo Rink em sua carreira vestindo a camisa do Atlético. Qualidades que o colocaram com posição de destaque na galeria de ídolos da torcida. O difícil sempre foi saber se ele era mais jogador ou torcedor do Atlético. Talvez porque ele exerceu as duas funções com brilhantismo.

Neste dia em que o atacante comemora 34 anos, a Furacao.com deseja a Paulo Rink um feliz aniversário! E aproveita a oportunidade para agradecer Rink pela sua vontade, raça e respeito às cores atleticanas. Parabéns, Paulo Rink!!!!



Últimas Notícias

Libertadores

Vamos, oh meu Furacão

Os pouco mais de 1.800 km que separam Curitiba de La Plata começaram a ser enfrentados por centenas de atleticanos desde o último fim de…