28 maio 2007 - 18h21

Governo do Estado indicará a Kyocera Arena

Venceu o bom senso e a racionalidade. Em uma decisão que tomou em conta critérios técnicos e econômico-financeiros, o Governo do Estado do Paraná optou pela Kyocera Arena como estádio recomendado para receber jogos da Copa do Mundo. O Brasil é candidato único a sediar o Mundial de 2014, mas ainda não foi oficialmente confirmado pela Fifa. A entidade avaliará a proposta dos candidatos a país-sede ainda neste ano. Para elaborar o projeto brasileiro, o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, conversou com praticamente todos os governadores de estado brasileiros e lhes encaminhou um questionário de informações para a Copa. Cada estado interessado em receber jogos da Copa ficou encarregado de preencher as respostas de um formulário, indicando as condições logísticas, estruturais, turísticas e esportivas de sua capital. O prazo se encerra no final deste mês. Até agora, apenas o Rio de Janeiro apresentou o questionário preenchido.

No Paraná, duas entidades ficaram responsáveis por preencher o caderno de encargos: a Paraná Esporte, autarquia vinculada ao Governo do Estado, e o IPPUC, vinculado ao Município de Curitiba. Desde que surgiram as primeiras especulações de que a Copa viria para o Brasil, ainda em 2003, a Kyocera Arena vinha sendo apontada por todos os especialistas como o estádio-modelo do país para a remodernização das praças esportivas. Reconhecia-se a necessidade de pequenos ajustes para o maior evento esportivo do mundo, mas o padrão de excelência da Baixada era motivo de orgulho não só para os atleticanos como também pelos paranaenses. Por isso, foi surpreendente a notícia de que a Federação Paranaense de Futebol e o Coritiba pretendiam construir um novo estádio em Curitiba especialmente para receber jogos da Copa.

Encabeçado por Onaireves Moura, o projeto envolvia a remodernização do Pinheirão, estádio atualmente sem uso. A idéia nunca foi bem esclarecida e o projeto foi sendo elaborado nos últimos dias especialmente para ser indicado pelo Governo do Estado à CBF e à FIFA. Inicialmente, o parceiro da FPF era o Coritiba, que anunciou publicamente que deixaria de mandar jogos no Couto Pereira, considerado por seu presidente um estádio ultrapassado. Nos últimos dias, o Coritiba foi substituído pelo Paraná Clube, que cederia um terreno para a construção de um estacionamento. Não bastassem outros problemas relacionados aos dirigentes da Federação, nunca se conseguiu demonstrar a viabilidade prática de realização das obras – estimadas pela própria FPF em cerca de R$ 600 milhões.

Baixada na Copa

A proposta de trocar a realidade da Kyocera Arena por um projeto obscuro gerou incredulidade em toda a sociedade paranaense. Ao lado da manifestação das principais personalidades do estado, os atleticanos também começaram se mobilizar para evitar uma decisão catastrófica para o Paraná. Diversos políticos, liderados pelo deputado estadual Alexandre Curi, uniram-se em prol da candidatura da Kyocera Arena para o Mundial. A Furacao.com lançou uma série de reportagens demonstrando as virtudes da Arena e os defeitos no projeto da FPF. A torcida atleticana se manifestou através de diversos e-mails enviados às autoridades públicas responsáveis pela indicação. No último sábado, o ETA convocou a torcida a se unir em prol da Baixada.

Nesta segunda-feira, finalmente o Governo do Estado do Paraná se manifestou oficialmente sobre o assunto. Através de nota oficial publicada no site www.pr.gov.br, confirmou a indicação da Kyocera Arena como estádio paranaense recomendado para jogos da Copa do Mundo.

"A decisão da comissão foi consensual, porque a adequação da Kyocera Arena é um projeto viável, possível, e que não envolve a necessidade de investimento público", declarou o governador em exercício Orlando Pessuti. A decisão do Governo foi tomada por uma comissão instituída especialmente com este objetivo e que foi formada pelos secretários Celso Caron (Turismo), Júlio de Araújo (Obras Públicas), Rafael Iatauro (Casa Civil) e Maurício Requião (Educação), pelo presidente da Paraná Esporte, Ricardo Gomyde, pelo presidente da Assembléia Legislativa, Nelson Justus, pelo líder do governo na Casa, Luiz Claudio Romanelli e pelo presidente do PMDB, Renato Adur.

"Todos ganhamos com a vinda da Copa do Mundo ao Paraná. Todos os centros de treinamento e estádios de Curitiba poderão ser necessários para abrigar as delegações, e para isso deverão ganhar melhorias. Ninguém perde com a escolha de um estádio para abrigar os jogos, mas todos perdemos se não nos unirmos para conquistar o direito de ser uma das subsedes", reconheceu Ricardo Gomyde, presidente da Paraná Esporte.

O Estado do Paraná deverá entregar à CBF o questionário de informações para a Copa do Mundo 2014, com a indicação da Kyocera Arena, na próxima quarta-feira.



Últimas Notícias