3 jun 2007 - 16h24

Se precisar, ele joga nas onze

Jogar nas onze. O jargão é conhecido no meio futebolístico, em especial nas famosas peladas entre amigos. Mas o jogador Nei está provando que no futebol profissional também há espaço para um atleta tão polivalente assim, capaz de atuar (e bem) em qualquer posição no campo – do gol ao ataque.

Pergunte aos torcedores atleticanos: “Qual a posição de Nei no Atlético?”. Certamente as respostas serão as mais variadas possíveis. Quando chegou no Furacão, em dezembro do ano passado, Claudinei Cardoso Félix Silva, conhecido no mundo da bola como Nei, foi apresentado como reforço para a lateral-direita. Mas em seis meses de Atlético, Nei se tornou um especialista em mudar de posições no sistema defensivo.

Sábado, contra o Atlético-MG, no Mineirão, ele estreou na função de zagueiro, compondo o trio defensivo pelo lado direito no sistema 3-5-2 colocado em campo pelo técnico Oswaldo Alvarez. Antes dessa experiência, Nei já tinha atuado pelas duas laterais (a direita, substituindo o titular Jancarlos, e mais comumente improvisado na lateral-esquerda atleticana, no lugar de Michel). Reforçando a sua fama de polivalente, Nei também já atuou no gol atleticano. A experiência foi no primeiro jogo da semifinal do Campeonato Paranaense, contra o Paraná Clube, na Vila Capanema. Aos 46 minutos do 2º tempo, o goleiro Cléber foi expulso e o pequenino Nei, com 1,75m, assumiu a meta atleticana, garantindo o empate por 0 a 0 no placar.

Para o jogador, as múltiplas funções dentro de campo não chegam a ser um problema. Pelo contrário, reforçam o espírito de Nei, que já avisou recentemente: “Eu quero jogar sempre, não importa em que posição”. Dito e feito. A estréia com a camisa Rubro-negra na zaga não é uma novidade na carreira de Nei, que já jogou nessa função ano passado, quando defendia a Ponte Preta. “Atuei três ou quatro vezes na zaga, na Ponte Preta, e não tive dificuldades. Pude ajudar o Atlético Paranaense. Já joguei em todas as posições e não tem qualquer posição que eu ainda não tenha jogado. A gente sempre quer dar o máximo, o melhor da gente", disse.

Lateral que vira zagueiro

Ter um lateral de origem que se destaca como zagueiro não é novidade para a torcida atleticana. Em 2004, Marcão chegou no clube como lateral-esquerda. Mas foi na zaga, durante o Campeonato Brasileiro de 2004, que ele se destacou, surgindo como surpresa na lateral em determinados momentos da partida, alternando a função de subir para o ataque com o lateral Ivan.

Agora, Nei pode ter essa oportunidade com o técnico Vadão. Como Marcão foi negociado na semana passada com o Internacional, abriu-se uma vaga para atuar como esse elemento surpresa. Nei foi o escolhido por Vadão, fazendo um revezamento com Jancarlos nas subidas ao ataque. Deu certo no jogo contra o Atlético-MG, mostrando que essa pode ser uma boa alternativa no futuro atleticano na competição.

Nei começou a sua carreira profissional na Ponte Preta. No clube de Campinas, ano passado, ele foi considerado a principal revelação e nem mesmo o rebaixamento do time paulista para a segunda divisão do Brasileiro apagou o brilho do futebol apresentado por Nei dentro de campo. Ele fez 26 jogos pela Ponte Preta no Campeonato Brasileiro e foi eleito pela Revista Placar o 9° melhor jogador da posição no ano passado.

Quando foi apresentado no Atlético, Nei deu mostras do que a torcida podia esperar dele dentro de campo: raça e dedicação. "O clube ganhou um jogador que tem muita raça e determinação. Agora, estou vestindo a camisa do Atlético Paranaense e é com ela que eu serei campeão", disse na oportunidade. Seis meses depois, Nei mostra dentro de campo que isso não era apenas discurso de novato e sim uma característica do jogador dentro de campo.

Candidato a ídolo

Nei fez a sua estréia no Atlético no dia 03 de fevereiro, na goleada por 5 a 1 sobre o Nacional, na Kyocera Arena. Até agora, ele já disputou 20 jogos oficiais pelo Atlético (atuou ainda no amistoso de despedida do atacante Paulo Rink). Desses jogos, a maior parte foi improvisado na lateral-esquerda (12 partidas). "Tenho essa facilidade, dom que Deus me deu, assim eu compito em todas as posições”, disse o jogador.

O bom desempenho dentro de campo vem chamando a atenção da torcida atleticana. No Fórum Furacao.com pode-se perceber o reconhecimento do torcedor ao futebol demonstrado por Nei. “O Nei joga em qualquer lugar, já jogou de lateral-esquerdo e lateral-direito, zagueiro, goleiro. Ele é um jogador multi-posições que é melhor nessas posições que uma boa parte de nosso time”, escreveu o atleticano Diogo ZA no tópico destinado ao jogador no Fórum.

Para outros, o jogador é titular absoluto no time atleticano. “Nei, Ferreira (quando voltar) e mais 9!”, escreveu o torcedor Faret. “Nei, Alex, Guilherme e mais 8”, completou o usuário Lobo.

Mas a melhor definição para o que representa Nei hoje no Atlético quem deu foi o usuário Lucas_CAP, que indagou: “Seria o Nei o Chuck Norris rubro-negro?”. Em campo, ele anda provando que sim.



Últimas Notícias

Paranaense

Atletiba acaba empatado

Coritiba e Athletico ficaram no empate de 1 X1 no Couto Pereira no final da tarde, quase noite pelo Paranaense 2024. Mastriani abriu o placar…