29 jul 2007 - 15h28

Paulo de Godoy Bezerra, conivente com a violência

O árbitro catarinense Paulo Henrique de Godoy Bezerra nada fez para punir a violência dos jogadores do Grêmio na partida contra o Atlético, neste sábado, em Porto Alegre. A partida terminou empatada por 1 a 1, mas o jogo ficou tristemente marcado pelas gravíssimas lesões dos atleticanos Alex Mineiro e Evandro. Logo no início do jogo, Alex Mineiro levou um chute na cabeça desferido pelo volante Tcheco, do Grêmio. Além de não marcar o pênalti, o árbitro Godoy Bezerra sequer advertiu Tcheco. A gravidade do lance é inequívoca: Alex Mineiro teve o nariz fraturado, sofreu um corte no rosto e foi retirado do campo de jogo diretamente para um hospital.

Mas a conduta omissiva da arbitragem não ficou por aí. Minutos mais tarde, o meia Evandro levou uma cotovelada do paraguaio Gavilán. Novamente, a violência é comprovada pelos fatos: Evandro teve quatro dentes quebrados. Um de seus dentes foi completamente arrancado, tamanha a força desmedida usada pelo jogador gremista. Outros três foram quebrados. A cena do jovem meia atleticano deixando o gramado com a boca arrebentada contrastou com a passividade de Paulo Henrique de Godoy Bezerra. Novamente, o jogador do Grêmio sequer recebeu advertência verbal.

A conivência do árbitro catarinense com a violência é antiga. O histórico de Godoy Bezerra, de 38 anos, em não punir jogadas desleais é longo. No Brasileiro do ano passado, o meia corintiano Carlos Alberto deu uma cotovelada violentíssima em Ruy, do Botafogo. Recebeu apenas o cartão amarelo. O técnico Cuca, do Botafogo, invadiu o campo para reclamar e acabou sendo punido pelo STJD com suspensão, numa inversão de valores – aquele que saiu em defesa da integridade física dos atletas foi penalizado.

O jornalista Fernando Graziani, do jornal O Povo, ficou indignado com a conivência de Bezerra. Ele escreveu o seguinte comentário acerca deste jogo: "Errando demais para os dois lados, Paulo Henrique de Godoy Bezerra deveria ter expulsado pelo menos uns cinco jogadores. Não expulsou ninguém". No jogo entre Grêmio e Atlético, Paulo Henrique de Godoy Bezerra também errou demais e deixou de expulsar jogadores que praticaram agressões.

Um resumo da condição de Paulo Henrique para arbitrar um jogo de futebol foi produzido pelo respeitado jornalista Lédio Carmona, comentarista do SporTV: "Mandem o árbitro Paulo Henrique de Godoy Bezerra para Série Y. Lá ele poderá repetir todas lambanças cometidas no jogo de agora há pouco entre Corinthians e Botafogo, no Pacaembu. Uma atuação horrorosa. Suspensão é o mínimo para esse juiz omisso, fraco e sem pulso. Ele tem vocação para o erro."

Reclamações

Paulo Henrique de Godoy Bezerra é freqüentemente criticado por suas péssimas arbitragens. Neste ano, ele conduziu o jogo entre Náutico e Internacional, em Recife. O presidente do Inter, Vitório Píffero, qualificou a atuação do árbitro como "caótica". Um torcedor do Inter, Douglas Ceconello, escreveu o seguinte acerca da arbitragem de Godoy Bezerra nesta partida: "Paulo Henrique de Godoy Bezerra. Guardem esse nome. Ele fez a pior arbitragem que já vi na vida. Sem exageros. Tecnicamente falando, uma avalanche de ruindade".

No ano passado, depois do jogo do Atlético contra o Juventude, na Kyocera Arena, o técnico Hélio dos Anjos, então à frente do time gaúcho, reclamou do árbitro. "Ele é de um autoritarismo impressionante. A forma de tomar as decisões não têm necessidade. Mas eu sei a necessidade: é mostrar para o Brasil que ele não vai deixar fazerem com ele o que fizeram no jogo Botafogo x Corinthians. Ele estava na geladeira até semana passada, então quis se mostrar", declarou.



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Obrigado, Alberto!

Alguns vão julgar, “Cedo demais”… Mas para mim, já Deu!!!! Alberto Valentim: O LATERAL DIREITO, jamais será esquecido e estará entre os maiores camisas 2…