4 ago 2007 - 20h30

Mais uma vez, bola parada foi a vilã atleticana

A jogada é tradicional, mas vem se tornando uma espécie de terror para o Atlético nos últimos anos. Bola levantada na área, a zaga não consegue interceptar e, de cabeça, o ataque adversário marca o gol. Esse tipo de jogada, após a cobrança de escanteio, foi mais uma vez a principal inimiga atleticana na tarde deste sábado, quando o Atlético perdeu, de virada, por 3 a 2 para o Sport. Dos três gols do time pernambucano na partida, dois foram de cabeça, após a cobrança de escanteio.

Após abrir 2 a 0 no marcador no primeiro tempo (gols de Dinei e Marcelo), no segundo tempo o Furacão permitiu a virada dos donos da casa. Logo no primeiro minuto da etapa complementar, Anderson Aquino diminuiu para o Sport – o único gol do time pernambucano sem ser originado de bola parada. Aos 37 minutos, depois da cobrança de escanteio na primeira trave, César cabeceou de costas e empatou o jogo. Seis minutos depois, aos 43 minutos, a jogada foi parecida e a virada do Sport: Anderson Aquino cobrou o escanteio e Romerito se adiantou ao sistema defensivo atleticano para decretar a vitória por 3 a 2.

Na entrevista coletiva após o jogo, o técnico Antonio Lopes lamentou a desatenção nas bolas paradas. “Isso acontece, bobeamos porque tomar dois gols de escanteio é falta de atenção. Fizemos um bom primeiro tempo, com o time bastante organizado, não dando praticamente chances ao Sport, no segundo tempo falhamos nas bolas paradas, o que não pode acontecer”, afirmou o treinador atleticano.



Últimas Notícias