5 ago 2007 - 20h12

Há 17 anos, Atlético conquistava o Paranaense

O zagueiro Berg nunca jogou no Atlético, mas tem uma página importante na história atleticana. No dia 05 de agosto de 1990, o gol de Berg, aos 26 minutos do 2º tempo do clássico Atletiba, entrou para a história. Era a decisão do Campeonato Paranaense daquele ano e o gol contra do zagueiro coxa-branca garantia o empate por 2 a 2 na partida e o título atleticano. Mais do que isso, o gol de Berg garantiu a supremacia atleticana na década de 80, com os títulos de 82, 83, 85, 88 e 90.

No primeiro jogo da decisão, o Atlético conseguiu um emocionante empate por 1 a 1 aos 44 minutos do 2º tempo, com Dirceu. No jogo decisivo, no dia 05 de agosto, a torcida se uniu no espírito da raça e da superação, tornando popular a música em “homenagem” ao adversário: “Atirei o pau nos coxas”.

“No Atletiba da quarta-feira (no primeiro jogo da final) nós empatamos no último minuto, a galera já foi mais no espírito da raça daí, tanto que na quarta a gente quase não cantou. Aí no de domingo que explodiu. Agora não sei, o pessoal daquela época gostava só de rock, era uma música conhecida e aquela novidade de elogiar os coxas, o clima da final, pegou. Nessa final foi interessante, quando a gente cantava, eles ficavam quietinhos, até parecia que era para escutar, para tentar entender a música, para saber o que a gente estava cantando. Foi emocionante. Quando eu fiz, peguei o violão para criar, nem imaginava que ia pegar desse jeito”, disse em recente entrevista à Furacao.com o atleticano André Luís Gonser, um dos criadores da letra da música.

Em campo, o Furacão abriu o marcador logo no início do jogo, aos 5 minutos, com Dirceu. Ainda no primeiro tempo, Pachequinho e Berg viraram o marcador para o Coxa. Mas na etapa final, um gol antológico garantiu o título ao Rubro-negro: Odemílson cobrou lateral na ponta-esquerda, a zaga do Coritiba fez lambança e Berg, pressionado por Dirceu, tentou consertar, cabeceando para trás e buscando mandar a bola para escanteio. No entanto, a bola caprichosamente encobriu Gérson e foi morrer no fundo das redes, para explosão da nação atleticana presente no Couto Pereira. Era o gol que garantia o 2 a 2 no placar e o título de Campeão Paranaense de 1990 ao Furacão.

Clique aqui e relembre detalhes do título atleticano de 1990.



Últimas Notícias

Notícias

Raio X: Penarol

Retrospecto, Nikão e bola na rede. Essas são as apostas do Furacão para garantir vaga na final da Sulamericana 2021. O Athletico é o único…