31 out 2007 - 23h01

Dirigente gremista volta a criticar o Atlético

O assessor especial da presidência do Grêmio, Alfredo Oliveira, voltou a fazer comentários ofensivos ao Clube Atlético Paranaense. O dirigente, que no final de agosto havia chamado o Rubro-Negro de "desprezível" e declarado que iria torcer pelo rebaixamento do clube, não suportou a derrota na bola por 2 a 0 na noite desta quarta-feira e resolveu descontar com palavras.

Em entrevista à Rádio Gaúcha, Alfredo Oliveira criticou a atuação do árbitro Wagner Tardelli Azevedo ("covarde" e "caseiro" foram os adjetivos utilizados) e a suposta ausência de segurança da Kyocera Arena, o estádio mais moderno do país. A crítica de Oliveira causa estranheza, já que as agressões físicas foram sofridas por jogadores do Atlético (Claiton e Netinho). Por isso, não se pode compreender qual a queixa do gremista com relação ao sistema de segurança da Arena.

Alfredo Oliveira também disparou contra Mario Celso Petraglia. "Além do comportamento lamentável deste dono do Atlético Paranaense, diretor do clube, vendedor de jogador, não sei o que ele é", acusou.

Assessor ou leão-de-chácara?

Apesar de reprovar a conduta de outras pessoas, o próprio Alfredo Oliveira não tem biografia das mais recomendáveis. Ele esteve recentemente envolvido em uma polêmica entre os próprios gremistas. Após discutir publicamente com o vice-presidente Carlos Josias Menna de Oliveira, causou a desestruturação do departamento jurídico do Grêmio. De acordo com o jornalista Ricardo Vidarte, os dois conselheiros se agrediram no Estádio Olímpico antes do jogo contra o Flamengo, no final de julho. Josias teria dito ao presidente Paulo Odone que ele não conta com um assessor, mas com um leão-de-chácara, referindo-se a Alfredo Oliveira.

Em virtude disso, todos os integrantes do Departamento Jurídico do Grêmio entregaram seus cargos. Os advogados Juliano Ferrer, Rui Costa Dias do Santos, Alberto Guerra e Rodrigo Christini, responsáveis por atuar na área do direito desportivo, deixaram o clube em sinal de protesto às atitudes de Carioca.

Não deu!

Em agosto, Alfredo Oliveira declarou que iria torcer pelo rebaixamento do Atlético. Ele estava chateado porque dois jogadores gremistas foram punidos pelo STJD por terem agredido Alex Mineiro e Evandro.

Mas a torcida do cartola não deu muito certo. Passados dois meses, o Atlético está livre de qualquer chance de rebaixamento e disputa com o Grêmio uma das vagas da Copa Sul-Americana. O Furacão está apenas duas posições atrás do tricolor gaúcho na classificação.

No confronto direto, o Atlético deu mais um baile: empatou no Olímpico (1 a 1) e venceu na Arena por 2 a 0, com direito a uma aula de futebol. Vai faltar analgésico para a dor de cabeça do desprezível dirigente gremista.



Últimas Notícias

Copa do Brasil

Vale vaga na final

Depois do empate em dois gols entre Athletico e Flamengo pela partida de ida das semifinais da Copa do Brasil 2021, as equipes tiveram resultados…

Brasileiro

Cuidado!

  Foco na competição: No Brasileirão o Athletico ainda tem 11 jogos para disputar, o equivalente 33 pontos. Seis jogos em casa, cinco jogos fora.…