1 nov 2007 - 17h26

Petraglia: "Esse pessoal tem que ser punido"

“Felizmente a Kyocera Arena tem todo o sistema de filmes e temos todos os dados que acontecem lá dentro”. A afirmação foi do presidente do Conselho Deliberativo do Atlético, Mario Celso Petraglia, referindo-se às acusações de dirigentes gremistas que afirmam que Petraglia instruiu seguranças do clube a agredir o volante Tcheco após o jogador ter sido expulso no jogo entre os dois clubes, na quarta-feira.

Em entrevista à rádio CBN Curitiba, Petraglia comentou a sucessão de incidentes ocorridos após o jogo, que em campo mostrou uma linda vitória atleticana por 2 a 0 e um espetáculo proporcionado pelos jogadores Rubro-negros, com direito a olé e gol de placa. Mas bastou o apito final do árbitro para que o simples jogo de futebol se transformasse numa guerra campal e verbal, com direito a um soco de Hidalgo no meia atleticano Netinho e a uma covarde voadora de Eduardo Costa em Claiton, na zona mista do estádio do Atlético. Nesta quinta-feira, os ânimos voltaram a esquentar com uma confusão envolvendo a delegação gaúcha e Petraglia no aeroporto Afonso Pena.

“Eles (a delegação do Grêmio) estavam ensandecidos pela mentira que disseram e escreveram, que o Tcheco foi agredido pelos nossos seguranças. Nós temos as fitas e o filme. Felizmente a Kyocera Arena tem todo o sistema de filmes e temos todos os dados que acontecem lá dentro. Ali comprovamos materialmente que os três seguranças do Grêmio foram que seguraram o Tcheco, que ele também tentou me agredir. Porque eu estava vendo o jogo na sala de imprensa quando ele saiu. Ele me viu e eu ironicamente ria para ele. E ele partiu para cima de mim também tentando me agredir e os seguranças o detiveram, felizmente. E agora aqui no aeroporto, inconformados, me viram (a delegação do Grêmio) só, e me agrediram fisicamente, com chutes, empurrões, pontapés, com celular querendo me agredir na face. Covardes? 10 ou 2 pessoas, covardemente reunidos contra a pessoa do Mario Celso Petraglia que estava aqui lendo seu jornal, seguindo minha vida, dando por encerrado aquele episódio que o jogo terminou ontem”, disse o dirigente atleticano, afirmando que estava no aeroporto pois tinha um almoço em São Paulo nesta quinta-feira.

Petraglia afirmou que vai procurar na justiça a punição aos responsáveis pelas agressões. “Eu tenho que deixar registrado essa covardia contra a minha pessoa. Esse pessoal tem que ser punido. Felizmente aqui no aeroporto a Infraero tem o filme, então facilmente será comprovado o ocorrido de quem foi agredido e de que forma covarde eles se comportaram”, disse.

O dirigente atleticano lamentou que esse tipo de comportamento exista entre clubes de futebol, em especial um time reconhecido internacionalmente como o Grêmio Porto-alegrense. “Lamentavelmente a prepotência do time gaúcho, a cultura do Grêmio, o imortal, eles não podem perder. Com eles nada acontecem, há uma cultura da violência, de que os fins justificam os meios, uma política de vale tudo. Quando eles tomaram o baile de ontem, chapéus, e danças, e olés, e gol de placa, eles puseram para prova e temos aí os fatos lamentáveis desse clube, que é um grande clube, com tradição. Mas nesse momento está sendo conduzido por essas pessoas que não têm condições de conduzir essa entidade centenária”, finalizou Petraglia na entrevista à CBN Curitiba.

Imagens da agressão

Nesta quinta-feira, o site oficial do Atlético Paranaense divulgou algumas imagens dos incidentes envolvendo o volante Tcheco. Segundo a assessoria de imprensa do Rubro-negro, as imagens das câmeras de segurança do estádio flagraram o exato momento em que Tcheco entra na sala de imprensa e parte para cima de Petraglia, sendo contido por seguranças da delegação gaúcha.

Clique aqui e confira a notícia divulgada no site oficial do Atlético com as imagens da cena.



Últimas Notícias

Opinião|Sul-Americana

Libera a torcida!

Uma noite histórica em um jogo com um cardápio recheado de garra, luta, determinação, superação, entrega, guerra, -TIME DE GUERRA – sim não faltam adjetivos…