1 nov 2007 - 15h48

Rivalidade começou na Sul-Minas de 2002

Atlético e Grêmio voltaram a causar briga e pancadaria no futebol. Na noite dessa quarta-feira, após jogo tumultuado, houve principio de confusão no gramado, que se estendeu até os vestiários com uma "voadora" do volante Eduardo Costa no também volante Claiton. O empurra-empurra terminou após intervenção policial.

Para quem acha que a briga de ontem foi um fato isolado, engana-se. A indisposição entre os clubes não vem do duelo desta quarta-feira, e sim da semi-final da Copa Sul-Minas de 2002.

Na ocasião, na primeira partida da semi-final da competição, no Olímpico, Tite completava 100 jogos sob comando do tricolor gaúcho, e o que recebeu de presente foi um chocolate de 5×1 do Furacão, com direito a show do atacante Adauto (hoje no futebol checo).

O jogador entrou no final do primeiro tempo no lugar de Illan, contundido. Adauto e Alex Mineiro protagonizaram uma das mais belas apresentações da história do clube paranaense, e sairam de lá com cinco gols na bagagem.

Além de levar uma surra em casa, em tarde de festa no Olímpico, Tite viu Adauto marcar três gols e mostrar uma camisa com os dizeres. " Eu já sabia". E o pior, o atacante anotou três gols, e em todos eles mostrou a tal camisa.

Furioso, Tite prometeu vingança para o jogo de volta. Uma fonte próxima ao técnico afirmou ao Portal Soccer System que o comandante gremista queria tirar o jogador de atividade. Ordenou para que seus atletas o "quebrassem" em campo. O técnico Geninho, no entanto, sabendo da ira do colega gremista, colocou Adauto apenas no final da partida, o suficiente para a confusão se armar.

"Quando eu pegava na bola, ele gritava quebra, quebra. Fizeram rodinha em mim dentro de campo, com o Zinho e o Eduardo Costa apontando o dedo na minha cara e tudo". revelou Adauto na época ao seu site oficial.

Na saída de campo, mais confusão. O atacante atleticano dirigia-se ao vestiário, quando viu Tite correr em sua direção. O técnico estava disposto a trocar tapas com o atacante atleticano.

"Vem cá seu moleque, quero ver se você é homem de usar essa camisa na final. Você nunca vai trabalhar comigo seu moleque", urrava o técnico contido pelos famosos " Seguranças do Petraglia".

De lá pra cá, os clubes já trocaram farpas por diversas vezes, dentro e fora das quatro linhas. Todos os jogos envolvendo Atlético-PR e Grêmio acontecem sob clima de tensão, segundo um ex-jogador do Grêmio, que preferiu não se identificar.

Fonte: Soccer System



Últimas Notícias