O Fala, Atleticano é um canal de manifestação da torcida do Atlético. Os textos abaixo publicados foram escritos por torcedores rubro-negros e não representam necessariamente a opinião dos responsáveis pelo site. Os autores se responsabilizam pelos textos por eles assinados. Para colaborar com um texto, clique aqui e siga as instruções. Confira abaixo os textos dos torcedores rubro-negros:
9 jan 2008 - 11h46

O Plano é se Associar II

O meu quase homônimo Rafael Lemos recentemente escreveu o fabuloso texto “O Plano é se Associar”, o qual mostra como o plano Sócio Furacão 2008 pode auxiliar o torcedor ou torcedora atleticana nas conquistas amorosas motivados pela sua paixão pela senhora Edith Aragão. Apesar das semelhanças de ambos torcermos para o Clube Atlético Paranaense e de ambos irmos nos associar em breve, possuimos algumas diferenças com eu não estar apaixonado por uma paranista, ele ser colunista do site Furacão.com e eu (ainda) não e também porque eu prefiro ir um pouco mais longe nas conquistas do torcedor ao se associar, ou será que seria mais perto?

O texto de meu homônimo relata três situações distintas de torcedores que podem conseguir uma conquista através de sua associação, um jovem, um senhor e uma senhora que vivem momentos diferentes de sua vida solitários e que após associar-se conquistam mais do que uma simples companhia para animar as suas vidas. As três são conquistas, mas acredito que o Sócio Furacão 2008 possa fazer muito mais! Para isso, vamos nos imaginar dentro das três situações que apresentarei a seguir.

Situação “A”, num domingo ensolarado você acorda próximo da hora do almoço (acordado pelos pais), após uma noite de muita festa e bebedeira com os amigos. A noitada foi forte assim como a ressaca que está sentindo neste momento. Você não consegue comer quase nada e ao deitar-se no sofá, você liga a televisão e em um zapping (mudança de canais) sem fim você se depara com a realidade de que as únicas opções televisivas da tarde são o programa do Faustão e o do Gugu, com seus quadros que abusam de sentimentalismo para conquistar a audiência. Entre um comercial e outro, você se depara com Jason Goulart na propaganda do programa Revista RPC concidando os espectadores terminar seu domingo assistindo os melhores momentos do futebol paranaense desta rodada.

Apesar da ressaca, você olha em seu relógio e constata que já são duas e meia da tarde e a maior parte do dinheiro que tinha ficou nos bares que fizeram parte de sua aventura noturna, sobrando apenas uns R$ 15,00.

Ao encontrar seu Smart Card na carteira (em noite de bebedeira muita coisa acaba perdida, inclusive a integridade ao encarar moças de beleza duvidosa para não terminar a noite no 0 a 0), você percebe que além de sua noite, o fim de semana não terminará no 0 a 0, pois naquela ensolara tarde tem jogo do Furacão. Enquanto você veste a camisa rubro-negra você tenta lembrar qual o adversário de hoje e do que fez na noite anterior.

Para evitar problemas com seus pais, você corre para o ponto de ônibus e segue em direção a Arena. Faltando apenas quinze minutos para o início do jogo você finalmente chega em seu destino e apesar da grande fila para comprar ingressos, você já tem seu lugar garantido perto de torcedoras maravilhosas e da animação da Fanáticos. Sua única preocupação no momento é que seu dinheiro dure para as cervejas e para a passagem de volta, e sua esperança é na vitória do nosso time (e que as lindas torcedoras não reparem essa sua cara amassada).

Após quatro cervejas, três gols a favor e noventa e cinco minutos de um jogo emocionante, você volta para casa de espírito renovado, preparado para começar bem a semana e com o telefone de uma das gatinhas para aquele cineminha.

Situação “B”, é quarta-feira, dia 18, você está sobrecarregado de trabalho e não vê a hora de poder relaxar um pouco. Fora as oito horas diárias que passa trabalhando, ao chegar em casa, a única coisa que poderia fazer você relaxar, a televisão, está sintonizada na Globo e a única coisa em sua programação é a história de um padre que não sabe se larga a batina por um amor, pessoas pecando ou nos dilemas de Juvenal Antena para manter seu comando frente a Portelinha. Se este momento de sua vida virasse um filme, com certeza seria uma comédia ou uma tragédia grega.

São cinco e meia da tarde e as horas demoram a passar. Você está inquieto e ansioso para acabar logo o longo e cansativo dia de trabalho. A sua única alegria é ter o Smart Card em seu bolso e a certeza de que você e seu filho ou irmão estará ao seu lado na Arena torcendo pelo Furacão dentro de algumas horas.

Seu expediente acaba, você chega no carro, coloca a camisa rubro-negra, segue até sua casa apenas para buscar os familiares que o acompanharão e segue em direção a Baixada. Ao pisar na calçada frente a entrada você entra em um mundo só de alegrias, diferente da vida que leva diariamente. Você se aproxima do balcão do Prajá, encontra seus amigos e começa a tomar aquela cerveja gelada que você esperava fazia dias.

O jogo começa, você olha para os lados e só vem gente bem humorada, cantando. Com o apoio da torcida, que está em presente em peso, não existe adversário que supere o Furacão na Arena. E mesmo com lances duvidosos, daqueles que motivam-nos a xingar até a sexta geração do juiz, saimos vitoriosos!

Com o término dos noventa minutos, você com o espírito renovado e aliviado pois descarregou toda sua raiva no árbitro do jogo, você volta feliz para casa, ao encontro de sua família, que o recebe de braços abertos e alegres em ver você bem novamente.

Situação “C”, é um jogo importante para o Furacão, não importa se é para as quartas da Copa do Brasil, Semi do Paranaense, contra o Ipatinga ou contra o São Paulo no Brasileiro, todos jogos são importantes para o Clube Atlético Paranaense e se o jogo é na Arena, como torcedor você deve e tenho certeza que estará presente!

Caso você seja sócio, ou se tornará em breve, você pode ficar despreocupado, pois sua entrada e seus lugares estão garantidos para todos os jogos.

Agora se você não está pensando em se associar, pense bem, pois pode ser que em jogos contra times de menor expressão você consiga encontrar ingressos a venda quando quiser, mas já imaginou como será para conseguir ingressos? De duas uma, ou você terá de madrugar na fila (o que considero difícil para muitos, pois tem aula ou trabalho), ou terá de pagar para o Disk-Ingresso entregar em casa (mas para isso é preciso sorte para que ainda tenham ingressos lá), terá que comprar de cambistas (o que resultará em um rombo no próprio bolso), ou terá de acompanhar pelo radinho. Você já imaginou essas situações?

Bem, se você preferiu não se associar por ser estudante, que tal fazermos algumas contas para ver o que realmente vale a pena?

Para um estudante que vai a todos os jogos, ele gastará R$ 480,00 somente em ingressos (R$ 15,00 x 32 – cálculo para o mínimo de jogos garantidos no ano), se pensarmos que este é o único investimento, estão enganados, pois com a adesão em peso que deverá ter, você somente conseguirpa ingressos antecipadamente, e com isso precisará gastar com deslocamento, o que ocasionará em um adicional de R$ 121,60 para quem usa carro ou moto deverá gastar entre R$ 80 a R$ 100 em um ano, o que aproxima em muito dos valores cobrados pelo Sócio Furacão atualmente, isso sem contar que se tornando sócio você evita os tradicionais desgastes em filas, participará de sorteios e promoções, terá descontos em produtos oficiais e terá seu lugar garantido, junto de amigos e familiares.



Últimas Notícias

Brasileirão A1

Até empatar!

Pela nona rodada do Brasileirão, na Baixada, Athletico 1 x 1 Anderson Daronco. Como já esperado, o jogo seria bastante brigado e equilibrado. O desequilíbrio…

Brasileirão A1

Pra espantar a zica

Pela oitava rodada do Brasileirão, na Baixada, Athletico 3 x 1 Criciúma. Precisando se recuperar das últimas péssimas atuações, o Athletico foi a campo pressionado.…

Opinião

O paradoxo de Cuca

Há motivos para se gostar de Cuca, não necessariamente pelo o que tem feito aqui, mas pelo seu histórico vencedor, estando claramente na prateleira de…