O Fala, Atleticano é um canal de manifestação da torcida do Atlético. Os textos abaixo publicados foram escritos por torcedores rubro-negros e não representam necessariamente a opinião dos responsáveis pelo site. Os autores se responsabilizam pelos textos por eles assinados. Para colaborar com um texto, clique aqui e siga as instruções. Confira abaixo os textos dos torcedores rubro-negros:
13 abr 2008 - 18h34

Humildade: reconhecer para crescer

Como atleticano apaixonado, estou muito triste, porém não decepcionado.

A decepção vem da surpresa. O time é muito fraco, o que nós vimos ontem nada mais é aquilo que já sabiamos.

Quem vamos culpar amanhã, o médico, o massagista, o goleiro reserva, o sócio da Kyocera etc.

Caí na real, o Atlético subiu até onde podia. Quando podia subir mais, os dirigentes não estavam preparados. Decisões erradas, brigas com torcida, imprensa, TV, jogadores, afastamento de olheiros competentes (Carletto e Borba Filho), dirigentes copertivos (Valmor, Adur, Fornea, Coelho, etc.). Sou grato a alguns dirigentes atuais (especialmente Petraglia) e completamente avesso a outros (Fleury).

Estamos no caminho errado, mas graça a força atleticana (Torcida e os dirigentes bons) vamos colocar o Atletico no caminho certo. Não sei como, mas o ‘coração, a emoção’ vai colocar a ‘razão’ no caminho de engrandecimento.

Tenho a felicidade de ler os últimos comentários aqui no Fala, Atleticano, e estou bastante emocionado de ver que seja da forma que for os atleticanos estão escrevendo textos inteligentes e que descrevem a situação do nosso clube. Temos que rever nossos conceitos, sem perder a paixão jamais.

Hoje a minha dúvida é: amo este time, amo este clube, entretanto como amar um clube que é um dos mais odiados do Brasil, e que mesmo nas vitórias não tem me deixado feliz?

Meu sonho: que este clube seja cada mais forte, e que unidos, todos os atleticanos sejam felizes, até mesmo nas derrotas. Que tenhamos a fama de ser um dos times mais respeitados do Brasil. (se perdermos uma batalha, vamos lutar para vencermos a guerra. Se ainda sim perdermos a guerra, teremos a dignidade de termos lutado para vencê-la e não a desonra de não termos perdido porque nem sequer lutamos).

Sei que no final da linha o que vai prevalecer é: Eu amo o Atlético e dane-se o resto.

Em tempo ‘Após a briga com a imprensa’ a Gazeta do Povo não publicou uma só linha do Atlético. Estou para renovar, mas se continuar esta briga de galinhas (dirigentes e Imprensa), não vou renovar/comprar jornal que só tenha notícias que não me interessam.

Mesmo não lendo jornais e nossas dirigentes atuais inventando uma nova briga. Eu AMO O ATLÉTICO, mesmo que a morte NÃO nos separe.



Últimas Notícias

Brasileirão A1

Até empatar!

Pela nona rodada do Brasileirão, na Baixada, Athletico 1 x 1 Anderson Daronco. Como já esperado, o jogo seria bastante brigado e equilibrado. O desequilíbrio…

Brasileirão A1

Pra espantar a zica

Pela oitava rodada do Brasileirão, na Baixada, Athletico 3 x 1 Criciúma. Precisando se recuperar das últimas péssimas atuações, o Athletico foi a campo pressionado.…

Opinião

O paradoxo de Cuca

Há motivos para se gostar de Cuca, não necessariamente pelo o que tem feito aqui, mas pelo seu histórico vencedor, estando claramente na prateleira de…

Brasileirão A1

Mais do mesmo…

Pela sétima rodada do Brasileirão, no Presidente Vargas, Fortaleza 1 x 0 Athletico. Se a dificuldade técnica do time do Athletico já era esperada para…