O Fala, Atleticano é um canal de manifestação da torcida do Atlético. Os textos abaixo publicados foram escritos por torcedores rubro-negros e não representam necessariamente a opinião dos responsáveis pelo site. Os autores se responsabilizam pelos textos por eles assinados. Para colaborar com um texto, clique aqui e siga as instruções. Confira abaixo os textos dos torcedores rubro-negros:
27 abr 2008 - 11h18

Vamos conhecer e pensar antes de falar

Li o artigo de Carlos Mazza Neto e enviei-lhe os meu comentários, que vou tentar reproduzir na íntegra.

Mas, primeiro, vou a apresentar um pequeno currículo: eu estava no Estádio Durival de Brito, em 1967, quando Gasparin marcou o gol de nossa primeira vitória no campeonato, contra o União Bandeirante. Mesmo assim, fomos rebaixados para a Segunda Divisão do Campeonato Paranaense.

Também eu estava no Estádio Joaquim Américo, numa quarta-feira de 1968, quando o Coritiba já excursionava pela Europa e qualquer tropeço do Atlético lhe daria o título por antecipação. Tião Abatiá fez 1 x 0 para o União, Djalma Santos perdeu um pênalti e só viramos com dois gols de Sicupira aos 38 e 42 minutos, respectivamente.

Estava, ainda, no Durival de Brito quando Pardal fez uma falta na lateral-direita, a falta foi cobrada e Paulo Vecchio apareceu do nada para tirar o título de um dos melhores elencos que o Atlético já montou.

Poderia contar muito mais, porém não é necessário. Reitero apenas o que comentei ao Carlos Mazza Neto:

Ele pode ter paixão juvenil pelo Atlético. Mas, se ‘povão’, bandeiras etc. resolvessem alguma coisa, os maiores times de Curitiba seriam o Britânia, o Palestra Itália, o Bloco Morgenau, o Primavera, o Ferroviário, o Água Verde (ops, ia me esquecendo do Juventus).

O nosso Atético é o que é graças ao maior atleticano de todos os tempos: Mario Celso Petraglia.

Carlos Mazza Neto, ninguém melhor para julgar a história do que alguém que dela participou (ou ainda participa).



Últimas Notícias

Brasileirão A1

Pra espantar a zica

Pela oitava rodada do Brasileirão, na Baixada, Athletico 3 x 1 Criciúma. Precisando se recuperar das últimas péssimas atuações, o Athletico foi a campo pressionado.…

Opinião

O paradoxo de Cuca

Há motivos para se gostar de Cuca, não necessariamente pelo o que tem feito aqui, mas pelo seu histórico vencedor, estando claramente na prateleira de…

Brasileirão A1

Mais do mesmo…

Pela sétima rodada do Brasileirão, no Presidente Vargas, Fortaleza 1 x 0 Athletico. Se a dificuldade técnica do time do Athletico já era esperada para…