O Fala, Atleticano é um canal de manifestação da torcida do Atlético. Os textos abaixo publicados foram escritos por torcedores rubro-negros e não representam necessariamente a opinião dos responsáveis pelo site. Os autores se responsabilizam pelos textos por eles assinados. Para colaborar com um texto, clique aqui e siga as instruções. Confira abaixo os textos dos torcedores rubro-negros:
15 maio 2008 - 18h02

Atlético x São Paulo

Em primeiro lugar peço desculpas à Nação Atleticana por falar desse assunto repisado, mas acredito ser o momento oportuno, preciso expor minha opinião e aqui é um ótimo lugar.

Dia 18 de maio de 2008, Atlético versus São Paulo, esse jogo realmente após o ano de 2005, tomou proporções gigantescas, muito mais em virtude do que ocorreu antes do que durante as partidas finais da Copa Libertadores daquele ano.

Eu como todos os atleticanos tenho um sentimento muito forte de indignação, até porque o São Paulo lutou com todas as forças que dispunha para não jogar no caldeirão, não foi uma decisão apenas da confederação Sul-Americana.

Me lembro como se fosse hoje, o arqueiro Rogério Ceni, no “por nós amado” programa 3.º Tempo do Jornalista Milton Neves, no ano de 2004, falando que jogar na arena era muito difícil, que a caveira assombra quem por lá passa, e que trata como um dos jogos fora de casa mais difíceis para se obter bons resultados.

Ora, quem declara isso, tendo a possibilidade de não jogar vai ter dúvidas?. Eu nunca fui jogador de futebol, (a não ser quando jogo com os amigos), mas sei lá fugir assim, como diabo da cruz, eu sinceramente não me sentiria bem enquanto homem, me sentiria um grande covarde, primeiro que fazer um time de futebol jogar há 700 kms de sua torcida, me parece um grande absurdo!.

A Conmebol moustrou sua garras, ao liberar o Pachuca também a jogar no seu Estádio Hidalgo, com capacidade para 25 ou 30.000 torcedores a Final da Sul-Americana de 2006, dizem que por concordância do Colo-Colo ou mesmo por outros motivos obscuros.

Desta forma, uma coisa podemos concluir, não querer ter jogado aqui demonstrou uma grande covardia do time tricolor, e convenhamos o São Paulo tinha na época um belo time, acredito que não precisaria ficar com tanto medo assim, tinha que vir pra cá e jogar futebol, o resultado seria conseqüência do desempenho de ambas as equipes durante o jogo, torcida ajuda, mas não ganha jogo sozinha, precisa de bons jogadores para serem incentivados.

Aquilo foi terrível, tenho até hoje uma grande ogeriza desse time, como que pode um time sentir tanto medo do outro assim? ou do estádio, ou da torcida não importa, esses fatores são coisas que fazem parte do futebol, isso nos matou para aquela disputa, perder o título foi uma simples conseqüência..enfim, o final todos sabem.

Passado isso, acredito que quanto mais anos nos separam dessa discussão melhor, temos que olhar pra frente!

É de juntar lágrimas nos olhos ver materiais de construção sendo descarregados no terreno onde por muito tempo o colégio se estabeleceu, é realmente um sonho, algo que se completou, um sentimento muito forte de orgulho que apenas nós atleitcanos sabemos o que significa…..todo mundo sabe que a alcunha “meio-estádio” agrediu por muito tempo nossos ouvidos, mesmo sendo o melhor que há, meu grande argumento era irrefutável “esse dircusso tem prazo de validade”, mas não esperava que fosse tão cedo, mesmo esperando há mais de cinco ou seis anos.



Últimas Notícias

Brasileirão A1

Até empatar!

Pela nona rodada do Brasileirão, na Baixada, Athletico 1 x 1 Anderson Daronco. Como já esperado, o jogo seria bastante brigado e equilibrado. O desequilíbrio…

Brasileirão A1

Pra espantar a zica

Pela oitava rodada do Brasileirão, na Baixada, Athletico 3 x 1 Criciúma. Precisando se recuperar das últimas péssimas atuações, o Athletico foi a campo pressionado.…

Opinião

O paradoxo de Cuca

Há motivos para se gostar de Cuca, não necessariamente pelo o que tem feito aqui, mas pelo seu histórico vencedor, estando claramente na prateleira de…