O Fala, Atleticano é um canal de manifestação da torcida do Atlético. Os textos abaixo publicados foram escritos por torcedores rubro-negros e não representam necessariamente a opinião dos responsáveis pelo site. Os autores se responsabilizam pelos textos por eles assinados. Para colaborar com um texto, clique aqui e siga as instruções. Confira abaixo os textos dos torcedores rubro-negros:
19 maio 2008 - 0h51

A torcida apaixonada e o time profissional

Este time não é o pior que já tivemos.

Eu lembro muito bem quando ia ver os jogos no Pinheirão: Fião, Gune, Manguinha, Dirceu… naquele tempo íamos ver o esforço supremo destes jogadores limitados, mas que lutavam e muito com a camisa rubro-negra.

Era o tempo do ônibus enferrujado, da mandinga no vestiário…, me lembro quando soltamos um porco pintado de verde e branco em pleno Couto Pereira, na noite em que estreamos a versão ‘The Wall’ para os coxas…

Não ‘turminha do chingão’, antes que comecem a mandar mensagens mal educadas, não tenho saudade do nosso passado difícil de segunda divisão e 1 campeonato Paranaense de vez em quando.

Só que dói ver uma torcida tão apaixonada torcer para um time que faz 1 a 0 e se acovarda, parece um time profissional na pior acepção da palavra: faz 1 a 0 em algum lance de bola parada, de preferência gol de zagueiro; e fica tomando sufoco o resto do jogo esperando tomar o empate.

Parecem aqueles funcionários que não tem aspiração nenhuma: ‘Já fiz minha parte, vou esperar dar as 18 horas para bater meu cartão e ir pra casa ver a novela’; ou então: ‘Não vejo a hora que chegue sexta-feira pra eu não precisar pisar aqui dentro… não aguento mais ver a cara do mala do meu chefe’.

Por favor, vamos unir tudo o que foi construído ao nosso jeito antigo de ser Atlético! Um time que toma 2 e faz 5! Um time que agride sempre; um time onde os principais jogadores sempre foram os da frente: Washington e Assis, Abel,Joel, Carlinhos,Lucas, Kleber, Alex Mineiro, Ilan, Washington ‘Coração Valente’,Jadson, Ferreira…

O que aconteceu hoje é o retrato dos nossos profissionais: fizemos 1 a 0 (como fizemos no Toledo, no Ipatinga, no Corinthians da Paraíba…) em seguida pressão e mais pressão, bolas na trave e até que vem o previsível e inevitável e lá vai o time covarde correr atrás do resultado depois dos 30 minutos do segundo tempo.

Curioso: no brasileiro do ano passado quando a agua começou a bater no pescoço, foram buscar Claiton, Marcelo Ramos, Ney Franco… afinal de contas a obrigação dos profissionais é manter o clube na primeira divisão. O comportamento vem de cima para baixo.

A turminha ‘Paz e Amor’ que não suporta críticas: ninguém é mais atleticano do que ninguém.

Parabéns por tudo que foi construído nos últimos anos, mas como dizia Humberto Gessinger: ‘O céu é só uma promessa, eu tenho pressa vamos nessa direção. Atrás de um sol que nos aqueça, minha cabeça não aguenta mais’.



Últimas Notícias

Brasileirão A1

Até empatar!

Pela nona rodada do Brasileirão, na Baixada, Athletico 1 x 1 Anderson Daronco. Como já esperado, o jogo seria bastante brigado e equilibrado. O desequilíbrio…

Brasileirão A1

Pra espantar a zica

Pela oitava rodada do Brasileirão, na Baixada, Athletico 3 x 1 Criciúma. Precisando se recuperar das últimas péssimas atuações, o Athletico foi a campo pressionado.…

Opinião

O paradoxo de Cuca

Há motivos para se gostar de Cuca, não necessariamente pelo o que tem feito aqui, mas pelo seu histórico vencedor, estando claramente na prateleira de…

Brasileirão A1

Mais do mesmo…

Pela sétima rodada do Brasileirão, no Presidente Vargas, Fortaleza 1 x 0 Athletico. Se a dificuldade técnica do time do Athletico já era esperada para…