28 nov 2008 - 0h00

Vitória que vale a Série A

Três pontos. São tudo o que o Atlético precisa para não depender de nenhum outro time ou resultado para esquecer de vez o rebaixamento e permanecer na Série A do Campeonato Brasileiro. Tendo isso em mente, os jogadores e toda a comissão técnica sabem da importância do Rubro-Negro chegar aos 45 pontos já nessa partida contra o Náutico, domingo, às 17 horas, no estádio dos Aflitos.

O Timbu vem de uma derrota por 4 a 3 para o Figueirense. Já o Furacão está embalado e não perde há seis jogos. A última vez em que o Atlético saiu derrotado do gramado foi no dia 18 de outubro, quando perdeu para o Internacional por 2 a 1. De lá para cá foram quatro vitórias e dois empates, tendo marcado 10 gols e sofrido cinco. Com 14 dos 18 pontos conquistados nas últimas seis rodadas, o Atlético deixou a zona do rebaixamento e só depende de si para permanecer na elite do futebol nacional.

Para o técnico Geninho esses pontos somados deixaram o time em uma posição um pouco mais confortável, mas a tranqüilidade só virá quando o Rubro-Negro estiver de vez fora de risco. "A tranqüilidade total só vai acontecer quando matematicamente eu estiver fora. Claro que eu me sinto um pouco mais confortável, não só pelo número de pontos, mas principalmente pelo modo que a equipe vem se comportando, dando confiança" disse.

Do elenco atual do Atlético, quatro jogadores estiveram em campo quando o Rubro-Negro foi goleado pelo Náutico por 5 a 0, no dia 29 de setembro do ano passado, no último jogo entre os dois clubes em Recife. O zagueiro Antonio Carlos, o volante Alan Bahia e o meia Ferreira foram titulares, enquanto o atacante Geílson entrou no segundo tempo. De acordo com Antonio Carlos, os erros cometidos em 2007 não vão se repetir neste domingo."Estávamos um pouco mais folgados na classificação e entramos pensando que iríamos fazer gol a hora que bem entendesse. Mas agora é um momento diferente e temos que fazer a nossa parte", relembrou.

Antonio Carlos é o jogador do Furacão que mais vestiu a camisa do clube neste Brasileiro. Em 31 oportunidades, o zagueiro entrou em campo para atuar pelo time. Para ele, o jogo que pode definir o ano do Atlético é neste domingo, contra o Náutico."É o nosso jogo do ano, porque ninguém quer ficar marcado por uma má campanha sendo rebaixando. Então é um jogo especial, que sabemos que será difícil, mas que precisamos somar pontos nos Aflitos", afirmou.

Além do goleiro Galatto e do meia Netinho, que conhecem muito bem o Náutico, outro jogador pode ajudar o técnico Geninho a desvendar os segredos dos Aflitos. O atacante Júlio César nasceu em Recife, defendeu o Sport por cinco anos e enfrentou muitas vezes o Timbu. E para ajudar o Atlético a conquistar os três pontos na sua terra natal, Júlio quer encerrar o seu jejum de gols que já dura seis jogos."Eu joguei várias vezes contra o Náutico e sempre tive a felicidade de fazer gols. Tenho que, junto com essa motivação de voltar a jogar em Recife, ajudar o Atlético a conquistar os três pontos" finalizou.



Últimas Notícias

Hugo Moura comemora golaço marcado na Arena

Brasileiro

Volte sempre, meu vice

Na Arena da Baixada, Athletico 4 x 2 RB Bragantino. O Athletico entrou em campo com um time bastante modificado, poupando jogadores para o confronto…