O Fala, Atleticano é um canal de manifestação da torcida do Atlético. Os textos abaixo publicados foram escritos por torcedores rubro-negros e não representam necessariamente a opinião dos responsáveis pelo site. Os autores se responsabilizam pelos textos por eles assinados. Para colaborar com um texto, clique aqui e siga as instruções. Confira abaixo os textos dos torcedores rubro-negros:
15 fev 2009 - 14h14

Mais do mesmo

Tudo continua igual. Nossos problemas são os mesmos. Nas alas, Alberto esta muito, muito mal. Foi contratado a revelia pelo Petraglia (a comissão técnica não concordava) e parece ser um ex-atleta em atividade. O Zé Antônio ajuda, não podemos negar isso. Na esquerda, apesar da imprensa achar que netinho é diferenciado. Concordo com isso, porque nunca vi um jogador que ao mesmo tempo consegue não correr, não driblar, não marcar, não acertar passe, não enxergar o jogo e não ter raça nenhuma.

Ontem, quando o Atlético tentava sair jogando, o Netinho estava jogando ao lado do Rafael Moura, ou seja, estava perdido. O reserva Alex Sandro herdou a velocidade e a habilidade do Netinho. Mas que time joga bem sem ala nenhum? A nossa zaga até que arrepia a bola, mas falha muito na marcação. Antonio Carlos na sobra até vai, o Chico é o melhor por ali. Agora o Rhodolfo, meu deus… Geninho, tem que proibir o rapaz de tocar duas vezes na bola. Se ele sair com a bola, tem que pedir para o Valencia marca-lo e tirar a bola dele. Ele não consegue acertar um passe de um pé para o outro. É um desespero.

Falando em Valencia, coitado, esse joga sozinho. Temos que triplicar o salário dele. No meio, Ferreira já deu o que tinha que dar. Está na hora de seguir a vida. O Marcinho nos dá um alento. Como queremos ganhar se a bola não chega no ataque a não ser pelos lançamentos medonhos da zaga? Essa situação está se arrastando desde o ano passado. Nada foi feito ainda e temo que novamente vamos brigar para não cair.

Mudando de assunto, a arbitragem do Paraná é uma piada. Na verdade sempre foi, nunca tivemos um árbitro decente, apenas alguns momentos bons de Héber e Roman. O dirigente da arbitragem no estado era ruim demais apitando. Até os comentaristas de arbitragem de nossos jornais eram muito ruins no campo. Nos jogos, querem aparecer mais que os jogadores. São desconhecidos, irritantes e muito fracos tecnicamente. Mas o que vamos fazer se a Federação não sabe nem fazer tabela ou regulamento (dando privilégios ao segundo colocado em detrimento do primeiro), quem dirá de uma intervenção técnica?

Resumindo, o campeonato, a Federação e a arbitragem parecem ter saido de uma comédia feita para o Brasil sorrir.



Últimas Notícias