3 maio 2009 - 8h30

Geninho: "Estou no lugar certo e na hora certa"

O jornalista Cosme Rímoli publicou em seu blog uma entrevista com o técnico Geninho.

Confira a íntegra da entrevista:

Geninho, você já treinou inúmeros times importantes. Mas parece que se encaixa melhor no Atlético Paranense. Por quê?
Sinceramente, não sei. Mas é verdade. Aqui eu sinto que tenho toda a confiança da direção.Tenho espaço para colocar em prática o que penso sobre futebol.Isso é fundamental para um treinador: ser ouvido, ter o apoio do comando.Isso se reflete no time. Os jogadores sabem quando o técnico tem respaldo ou não.Esse é o segredo do meu sucesso no Atlético Paranaense.

Qual o motivo da melhora do desempenho quando o treinador se sente em casa? Se ele é bom não faz bons trabalhos em qualquer lugar?
Futebol não é assim. Existe muita coisa por trás.Quanto mais você conhecer a fundo a cultura do clube onde está trabalhando, melhor.Muitas vezes não há tempo de conhecer pessoas fundamentais que poderiam facilitar seu trabalho.Eu, no Atlético, me sinto bem demais. Conheço todos os funcionários, os hábitos e particularidades do clube.Vou ser mais claro: sei até onde posso ir e onde buscar o que preciso.Além de tudo isso, existe ainda a empatia.Me sinto bem como treinador do Atlético Paraense e os dirigentes e os torcedores confiam em mim no cargo.

Que benefício trouxe a vitória sobre o Corinthians, com Ronaldo pela Copa do Brasil, na quarta-feira?
Ah, muito. Reforçou a confiança dos jogadores, da torcida, da diretoria.Terminar a invecibilidade de um dos maiores clubes do Brasil foi ótimo para animar ainda mais meu time para a decisão do Paranaense.São partidas como essa que servem para o grupo sentir o seu real potencial.Esse jogo foi ótimo para a briga pelo título do Paraná.

Geninho, vamos falar a verdade. Que regulamento absurdo é esse?O Atlético Paranaense jogar todas as sete partidas do turno decisivo na Arena da Baixada?
Eu concordo. Esse regulamento foi pessimamente formatado.Não concordo e não estou feliz com essa situação.Nem a direção do Atlético queria isso.Tanto que convocou uma reunião entre os clubes para tentar acertar essa situação.Mas muitos deles nem apareceram. Então, não há o que reclamar.Só que eu quero deixar claro o que penso: sou completamente contra esse regulamento.Precisa ser mudado para o próximo ano.Até porque, ao contrário do que as pessoas possam pensar, não é bom jogar todas as partidas em casa, não.

Espere um pouco. Como assim, Geninho? É o sonho dourado de todo treinador…
Só fala isso quem não está treinando o time que joga todas em casa.A pressão, a responsabilidade se tornam imensas.O ‘já-ganhou’ da torcida é terrível.Mas os meus jogadores estão sendo fortes para superar essa cobrança antecipada.E vão fazer tudo para ganhar do Cianorte e ganhar o título paranaense.Se vier, essa conquista será ótima para todos no clube.Todos nós estaremos valorizados.

Sinceramente, Geninho…Qual é o nível do Campeonato Paranaense?Não vai servir para iludir o torcedor em relação ao Brasileiro?
O torcedor pode até estar iludido, mas não nós da Comissão Técnica. O nível é bom, não é como o Campeonato Paulista,onde o investimento foi maior.Mas o nível do Paranaense é um dos melhores do Brasil.Só que o Atlético terá de buscar reforços para fazer um bom brasileiro.A base está boa, mas precisamos ficar mais fortes para almejar mais, buscar a Libertadores, o título.Temos de pensar alto.Se vencermos o Paranaense será mais um grande incentivo para a melhora do clube.

Não assusta ser tão favorito ao título? Não dá medo de uma grande decepção?
Eu estou em um estágio da minha carreira que nada me assusta.Estou confiante, sem menosprezar o Cianorte, um adversário difícil.A minha confiança nasce nos meus atletas.O trabalho foi bem feito e merecemos essa conquista.

E a sequência da sua carreira?
Eu só sei que estou bem demais agora no Atlético Paranaense.Estou em casa. Não há motivo para mudar.Está tudo ótimo.

Por isso você não aceitou convite para ir trabalhar no Grêmio na Libertadores?
Não fui porque não iria de maneira alguma largar o Atlético na fase final do Paranaense.Agradeci o convite ta diretoria do Grêmio.Fui sincero. Sou assim, transparente.E não me arrependo. Fiz a escolha que a minha consciência mandou.Eu durmo tranquilo porque sei que, agora, o Atlético Paranaense é o meu lugar.Quero ser campeão no domingo para agradar quem sempre acreditou em mim.Estou no lugar certo. Na hora certa.Esse título fará bem para mim e para o Atlético Paranaense…



Últimas Notícias