13 jun 2009 - 21h45

Rafael Santos: “Não sei por que saí do time”

Zagueiro, artilheiro e até agora ainda não titular absoluto no time do Atlético. Esse é um rápido resumo da participação de Rafael Santos no Furacão no Campeonato Brasileiro. Com três gols, ele é o artilheiro do time e teve participação decisiva nos quatro pontos até aqui somados pelo Atlético – marcou os dois gols no empate contra o São Paulo e o gol da vitória sobre o Sport, na Ilha do Retiro. Mas, mesmo com essa performance, não tem lugar garantido no time titular – pelo menos enquanto Geninho era o treinador do time.

Dos seis jogos que o Atlético jogou no Brasileirão 2009, Rafael Santos disputou três partidas – contra São Paulo, Náutico e Sport. Além dos gols marcados, teve boas apresentações em todos esses jogos. Por isso, disse não ter entendido por que foi sacado por Geninho após a derrota para o Náutico, na terceira rodada (ele ficou de fora dos jogos contra Flamengo e Atlético Mineiro).

“No meu modo de ver, eu fiz duas boas partidas e não sei por que saí do time”, disse, após ser o salvador do Atlético na vitória sobre o Sport.

No entanto, o próprio atleta deixou claro não guardar nenhum tipo de ressentimento com o ex-treinador do time. “A gente tem que enaltecer o trabalho do Geninho, que confiou muito neste grupo. Infelizmente, futebol vive de resultado e acaba estourando em cima do treinador. Agora, é levantar a cabeça e, com esse novo trabalho do Waldemar, que é um grande treinador e trabalha muito forte”, afirmou.

Segundo ele, o principal ingrediente no time nesta noite, em Recife, foi a raça dos atletas em campo. “Jogar aqui na Ilha buscando o gol a todo tempo é muito difícil. A gente teve paciência, a gente trabalhou esse curto tempo com o Waldemar um trabalho de pegada, principalmente com os atacantes. Temos que enaltecer a raça que a gente teve aqui”, declarou Rafael Santos.

Na temporada 2009, Rafael Santos disputou apenas sete jogos pelo Atlético – três no Brasileiro, um na Copa do Brasil, dois no Paranaense e ainda o amistoso contra o Dallas. No Atlético desde 2007, ele ainda não teve uma grande sequência de jogos com a camisa rubro-negra: estreou no time apenas em 2008, quando atuou em apenas três jogos – contra o CAC/Lusa, pelo Paranaense, e contra Atlético Mineiro e Cruzeiro, no Brasileiro do ano passado.



Últimas Notícias