O Fala, Atleticano é um canal de manifestação da torcida do Atlético. Os textos abaixo publicados foram escritos por torcedores rubro-negros e não representam necessariamente a opinião dos responsáveis pelo site. Os autores se responsabilizam pelos textos por eles assinados. Para colaborar com um texto, clique aqui e siga as instruções. Confira abaixo os textos dos torcedores rubro-negros:
30 jul 2009 - 23h52

‘O difícil, como vocês sabem, não é fácil’

Como muita gente, eu também já dei algumas risadas ao ler essa frase do folclórico dirigente Vicente Mateus. Hoje fico imaginando em que circunstancia a utilizou, possivelmente estava enfrentando uma situação parecida com a que enfrenta o Marcos Maluceli, senão vejamos:

– Em 2008, o Atlético repetiu o técnico de 2007, que fazia um bom trabalho, era respeitado e, por um acidente de percurso no Atletiba, foi injustamente mandado embora. A partir daí começaram os problemas, inventaram o tal Bob Fernandes, truculento, fraco de caráter, sem preparo para o oficio, que se achava cheio de testosterona, mas que não tinha a menor capacidade de liderança. Esse sujeito quebrou toda a ordem que existia no CT e começaram a aparecer lideranças entres os atletas e grupo ficou dividido e deu no que deu. Rápidas experiências com Edinho e Mario Sergio sem sucesso, o MCP parecia estar conformado com a segundona e já não era candidato a nada, como declarou na época. Neste clima surge Marcos Malucelli pra tentar tirar o time da lama, com maestria foi buscar o querido Geninho (sonho de todos nós), deu-lhe carta branca pra administrar o futebol do Furacão e, ele com seu jeito paizão, foi contornando os problemas e ainda conseguiu nos classificar para a Sul-Americana. Um caso de sucesso, Malucelli presidente;

– Em 2009 era só repetir a receita Geninho, o que foi feito. Nós todos adoramos, na seqüência, então, campeão do estado em cima do centenário dos coxas, a glória. Acontece que, campeões, os filhos (jogadores) do paizão cresceram e se acharam no direito de restabelecer a era Bob Fernandes do quanto pior, melhor. O Geninho perdeu o controle e pediu pra sair, recomendando a contratação de um gerente de futebol. Contrataram, então, o gerente Ocimar, que estava em viagem ao exterior e o técnico Waldemar Lemos, sujeito educado, de caráter, conciliador, querido por todos, que apresentava um bom resultado no Náutico. Foi o azar dele, também era paizão e não conseguiu impor a disciplina, também não agüentou o rojão e pediu o boné. Foram atrás do Leão, que recusou. Hoje li aqui no Furacao.com: ‘Eles queriam que eu assumisse tudo no clube’, diz Leão.

Ao que parece, agora estão procurando alguém pra fazer a limpeza, pois sempre é muito mais fácil apresentar jogadores e técnicos. A autoridade se pode delegar, Malucelli, responsabilidade nunca, por isso, é chegada a hora do comandante ir ao CT, limpar a casa, separar o joio do trigo, restabelecer a ordem, dar rumo ao barco e se tornar um grande presidente do nosso Furacão.

Tudo com transparência.



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

O que já sabíamos!

“Já se sabe que foi um erro o que aconteceu, os amistosos não terem acontecido, e não ter disputado o Estadual porque a preparação ficou…