1 ago 2009 - 21h40

Lopes tem bom relacionamento com Petraglia

O novo técnico do Atlético, Antonio Lopes, tem um relacionamento muito bom com o ex-presidente do clube, Mário Celso Petraglia. Por três vezes diferentes, Petraglia convidou Lopes para trabalhar no Furacão. Em duas oportunidades, inclusive, o time vinha passando por uma situação bastante delicada (2005 e 2007) e Petraglia depositou em Lopes as esperanças para reorganizar o time. Em 2005 deu certo e o treinador conduziu o time Rubro-Negro ao inédito vice-campeonato da Libertadores da América.

Em diversas oportunidades, tanto Antonio Lopes quanto Mário Celso Petraglia chegaram a declarar publicamente uma recíproca admiração. “No Brasil não tem clube com a administração do Atlético. A gente tem de destacar a figura de Petraglia. Não é porque estou no Atlético. Eu sempre disse isso a respeito do Petraglia. Não é qualquer um no mundo esportivo do futebol que tem o peito que o Petraglia teve de formar a potência patrimonial que o Atlético é. Eu nunca vi clube nenhum do Brasil que tem o que o Atlético tem hoje. Não tem mesmo. Imagine o quanto foi gasto ali e o peito que teve de ter um dirigente como o Petraglia para ter ali. Não é fácil, não”, disse Lopes em 2007. “”É um grande empresário, um grande administrador. Quem dera que o Brasil tivesse uns dez Petraglias, porque estaria numa situação muito melhor em termos de futebol. Ele tem todas as condições de estruturar o Paraná para acolher o Mundial”, completou.

“O Mário é mais ou menos igual ao Eurico (Miranda, ex-presidente do Vasco), só que não é espalhafatoso. Ele é águia também, é espertão, está no futebol há um tempão. Trabalha bem para a comissão técnica, ele está sempre oferecendo determinadas coisas, está sempre pronto a atender. Eu acho que isso é que é importante para o dirigente fazer: procurar oferecer todas as condições e boas para que a comissão técnica possa desenvolver um trabalho. Precisa ter dirigentes inteligentes também porque às vezes a gente pega dirigentes inexperientes que não te ajudam porcaria nenhuma”, declarou o técnico, em outra ocasião.

A admiração pública também foi revelada por Petraglia. “Para nossa surpresa, além de se confirmarem na prática todos seus méritos, com o trabalho que vimos esse grande conhecedor do futebol desenvolver no campo e fora dele, tivemos o privilégio de conviver com uma figura humana exemplar. Depois desta convivência, podemos considerar o professor Antonio Lopes um fraterno amigo”, escreveu Petraglia em depoimento extraído no site do treinador.

João Augusto Fleury da Rocha também já manifestou ser admirador do trabalho de Lopes. “Desde o início o professor Antonio Lopes sempre interessou à minha gestão, à gestão de Mario Celso Petraglia. Quando assumimos, ele estava vinculado a uma outra agremiação e por uma questão de ética e de postura nós não seríamos aqueles que iriam convidá-lo a deixar um trabalho que estava em andamento, sobretudo pelo respeito ao profissional que ele é. Agora que ele não mais integra comissão técnica da Seleção Brasileira e nem de nenhum clube, nós novamente formulamos esse convite e prazerosamente ele aceitou”, disse Fleury no retorno de Lopes ao clube, em 2007.

Relembre algumas reportagens publicadas na Furacao.com que evidenciam o bom relacionamento de Lopes com Petraglia:

Petraglia: “Lopes é um fraterno amigo”
Lopes revela sua admiração por Petraglia



Últimas Notícias