1 ago 2009 - 11h56

Riva já comandou o Atlético em oito jogos

O preparador físico Riva de Carli, que neste domingo tem a missão de comandar o Atlético contra o Fluminense, no estádio do Café, em Londrina, já comandou o Furacão em oito oportunidades – sendo uma delas também de forma interina, na Copa João Havelange de 2000.

Em 2002, Riva chegou a ser efetivado no cargo de treinador, disputando a fase final do Campeonato Paranaense – ele comandou o time campeão do Spercampeonato Paranaense daquele ano e na campanha desastrosa do Furacão na Copa dos Campeões. Em oito jogos no comando do Furacão, ele obteve três vitórias, um empate e quatro derrotas.

No novo desafio no comando do Atlético, Riva afirma estar atendendo a um pedido do presidente Marcos Malucelli. “É uma situação difícil que o Atlético vem passando. Eu estou dirigindo o grupo, para estarmos bem organizados no jogo de domingo. Foi uma solicitação do presidente e junto com os jogadores estamos transferindo o trabalho para definirmos a equipe para domingo”, disse. No entanto, ele afirma que não pretende ser efetivado no cargo de treinador, pois sua função no clube é a de preparador físico. “minha posição é bem definida. Eu sou preparador físico e tenho uma responsabilidade grande para melhor a parte atlética dos nossos jogadores. Mas estou aqui para executar um trabalho para esta partida contra o Fluminense. As decisões são tomadas todas em conjuntos para vermos o melhor caminho”, completou Riva.

História no Atlético

Riva tem um relação muito forte com o Atlético. Ele começou a trabalhar no clube em 1994 e permaneceu no cargo mesmo após as drásticas reformas pelas quais o Atlético passou nos anos seguintes. Conquistou 12 títulos, incluindo a Série B de 95, os Campeonatos Paranaenses de 98, 2000, 2001 e 2002, a Seletiva em 99 e o Campeonato Brasileiro em 2001.

Em 2002, depois de fracassar como técnico na Copa dos Campeões, Riva deixou o Atlético e treinou o Grêmio Maringá, que na época havia acertado uma parceria com o Furacão. A experiência durou só um mês e ele acabou pedindo demissão. Depois disso, trabalhou no futebol chinês (Beijing Guan e Xanxi Guoli) e no Bahia, indicado por Vadão, com quem havia trabalhado no Atlético.

Riva voltou ao Atlético em maio de 2005, atendendo a um chamado do então presidente Mário Celso Petraglia, e fez parte da comissão técnica de Antonio Lopes na campanha do vice-campeonato da Libertadores. Mesmo com a saída de Lopes, Riva permaneceu e trabalhou como outros treinadores, como o alemão Lothar Matthäus.

Porém, logo após a saída de Matthäus, o Rubro-Negro abandonou a ideia de ter uma comissão técnica permanente no clube. Com a chegada de Givanildo Oliveira, foi contratado também o preparador físico Wellington Vero. A diretoria atleticana tentou manter Riva em outra função, mas ele não aceitou e pediu desligamento.

Acompanhando Antonio Lopes, trabalhou no Goiás e no Fluminense. Em 2007, foi recomendado pelo curitibano Cuca ao Botafogo e iniciou uma parceria com o treinador, tendo trabalhado com ele também no Santos, Fluminense e Flamengo.

Confira os jogos do Atlético sob o comando de Riva de Carli:

– 28/09/2000 – Corinthians 2 x 3 Atlético – Copa João Havelange
– 22/05/2002 – Atlético 3 x 0 Prudentópolis – Paranaense
– 25/05/2002 – Atlético 0 x 0 Iraty – Paranaense
– 30/05/2002 – Atlético 6 x 1 Paraná – Paranaense
– 02/06/2002 – Paraná 4 x 1 Atlético – Paranaense
– 03/07/2002 – Flamengo 1 x 0 Atlético – Copa dos Campeões
– 06/07/2002 – São Caetano 2 x 1 Atlético – Copa dos Campeões
– 13/07/2002 – Atlético 2 x 3 Goiás – Copa dos Campeões



Últimas Notícias

Notícias

Raio X: Penarol

Retrospecto, Nikão e bola na rede. Essas são as apostas do Furacão para garantir vaga na final da Sulamericana 2021. O Athletico é o único…