13 ago 2009 - 11h33

Confira orientações para torcer sem medo da Gripe A

Os recentes casos de Gripe A (H1N1) em Curitiba tem colocado a população em alerta. A orientação é para que se evitem locais com grande concentração de pessoas, em especial em ambientes fechados, para evitar um possível contágio pela influenza. Como no próximo domingo o Atlético joga na Arena da Baixada e a presença do torcedor atleticano é fundamental no apoio ao time, a Furacao.com preparou um guia especial, com alguns cuidados que os pessoas devem tomar para torcer com segurança dentro do estádio.

Segundo boletim da Secretaria de Saúde, no Paraná há até hoje 1.148 casos confirmados da nova gripe, com 58 óbitos decorrentes de complicações causadas pela gripe A. Outras 2.315 amostras aguardam análise laboratorial e 1.537 amostras tiveram resultado negativo para a nova gripe.

Cuidados

A principal orientação aos torcedores é tomar cuidados no estádio. Entre elas, evitar ficar transitando na área interna (que tem menos ventilação). Lavar as mãos frequentemente com água e sabão e não compartilhar copos ou dividir lanches também são importantes cuidados a serem tomados dentro do estádio.

Para quem estiver com sintomas de gripe, o ideal é usar uma máscara cirúrgica.

Confira os cuidados recomendados pela Secretaria Municipal de Saúde:

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão, especialmente depois de tossir ou espirrar.

– Ao tossir ou espirrar, cobrir o nariz e a boca com um lenço, preferencialmente descartável.

– Evitar o contato direto com pessoas doentes.

– Evitar tocar olhos, nariz ou boca sem, antes, lavar as mãos.

– Usar medicamentos somente com orientação médica.

– Evite aglomerações de pessoas, principalmente em ambientes fechados.

– Abra as janelas e deixe o ar entrar, em casa, no trabalho, nos ônibus.

– Não compartilhe copos, talheres, toalhas e objetos pessoais, para evitar a disseminação do vírus.

– Em caso de dúvida, procure seu médico ou uma Unidade de Saúde.

– Se estiver com sintomas de gripe (febre acima de 38ºC, tosse ou dor de garganta e dificuldade para respirar), procure imediatamente um serviço de saúde. Use máscara.

Saiba mais sobre a Pandemia A

O que é a gripe suína?
É uma doença respiratória causada pelo vírus influenza A, chamado de H1N1. Ele é diferente do H1N1 totalmente humano que circula nos últimos anos, por conter material genético dos vírus humanos, de aves e suínos, incluindo elementos de vírus suínos da Europa e da Ásia.

A gripe tem cura?
Tem tratamento.

Como é transmitido o vírus?
A doença é transmitida de pessoa para pessoa como a gripe comum e pode ser contraída pela exposição a gotículas infectadas expelidas por tosse ou espirros, e também por contato com mãos e superfícies contaminadas.

Quais são os sintomas?
Os sintomas em humanos são parecidos com os da gripe comum e incluem febre acima de 38°C, falta de apetite e tosse. Algumas pessoas com a gripe suína também relataram ter apresentado catarro, dor de garganta e náusea.

Infecção de gripe suína é comum em humanos?
No passado, os Centros de Controle de Doenças dos Estados Unidos (CDC) registraram 12 casos de infecção humana pelo vírus da gripe suína, todo em pessoas que tiveram contato com porcos. Nesses casos, não houve evidência de transmissão entre humanos.

Pode-se contrair a doença comendo carne de porco?
Não. Os vírus da gripe suína não são transmitidos pela comida. O governo mexicano e a OMS (Organização Mundial de Saúde) descartaram qualquer risco de infecção por ingestão de carne de porco. De acordo com o CDC, a temperatura de cozimento (71ºC) destrói os vírus e as bactérias.

Como devo agir se estiver com os sintomas?
Deve procurar os centros de atendimento médico e não deve se automedicar, pois o uso de medicamentos pode mascarar os sintomas e facilitar o agravamento do quadro. Procure sempre assistência do médico ou farmaceutico antes de consumir qualquer medicamento, mesmo aqueles de uso popular. Mais informações: www.saude.gov.br

Qual a diferença entre a gripe suína e a gripe comum?
A gripe suína é caracterizada pelos sintomas da gripe comum, mas pode causar vômitos e diarreia mais graves. A gripe comum mata entre 250 mil e 500 mil pessoas a cada ano, principalmente entre a população mais velha. A maioria das pessoas morre de pneumonia, e a gripe pode matar por razões que ninguém entende. Também pode piorar infecções por bactérias.

Como a infecção de humanos com gripe suína pode ser diagnosticada?
Para diagnosticar a infecção, uma amostra respiratória precisa ser coletada nos quatro ou cinco primeiros dias da doença, quando a pessoa infectada espalha vírus, e examinadas em laboratório. Entretanto, algumas pessoas, principalmente crianças, podem espalhar o vírus por dez dias ou mais.

Existe algum remédio eficaz contra a doença?
Os antigripais Tamiflu e Relenza, já utilizados contra a gripe aviária, são eficazes contra o vírus H1N1, segundo testes laboratoriais e parecem ter dado resultado prático, de acordo com o CDC. É importante consultar um médico para verificar o tratamento adequado. Jamais consuma estes medicamentos sem prescrição médica.

Trata-se de um novo tipo de gripe suína?
Assim como no ser humano, os vírus da gripe sofrem mutação contínua no porco, um animal que possui, nas vias respiratórias, receptores sensíveis aos vírus da influenza suína, humana e aviária. Os porcos tornam-se incubadoras que favorecem o aparecimento de novos vírus gripais, através de combinações genéticas, em caso de contaminações simultâneas. Esses tipos de vírus híbridos podem provocar o aparecimento de um novo vírus da gripe, tão virulento como o da gripe aviária e tão transmissível como a gripe humana.

Corro risco de viajar aos países atingidos?
A OMS não recomenda restringir viagens por causa da pandemia de gripe suína. Segundo a organização, essa ação pode não ter efeito para impedir o vírus de continuar se espalhando, mas pode prejudicar bastante a comunidade global.

Em junho, o Ministério da Saúde do Brasil recomendou que sejam adiadas as viagens para países com risco de contaminação pela gripe suína, entre eles a Argentina e o Chile.

A Secretaria de Saúde de São Paulo ampliou a recomendação para evitar viagens também ao México, Estados Unidos e Canadá.

No entanto, os que vão a locais afetados podem usar máscaras, lavar as mãos com água e sabão constantemente e evitar aglomerações, entre outros procedimentos.

Como se previne estando nesses locais?
Com máscaras, lavando sempre as mãos e evitando locais com muita gente entre outros.
De um modo geral você pode se previnir do contágio evitando locais com aglomeração de pessoas e muito fechados, sem ventilação. Procure manter sempre as janelas abertas.
Lavar as mãos com frequencia, principalmente depois de tocar em superfícies de objetos de uso comum, no seu nariz e na sua boca ou em outras pessoas.

Qual o tempo de incubação?
Em média varia de 24 horas a 3 dias. A mídia mexicana cita até duas semanas.

Posso contrair o vírus de alguém que não apresente os sintomas?
Sim. O Influenza pode ser transmitido por alguém até 24 horas antes de essa pessoa apresentar os sintomas.

Quais os grupos mais suscetíveis?
Pessoas com alguma doença crônica ou deficiência imunológica sempre estão mais sujeitas.

Fonte: Folha Online



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Jogo da vida

Por curiosidade, fui verificar qual a possibilidade da queda do CAP para a segunda divisão, e apresentou 16.4%, preocupante em vista que estamos num bolo…

Fala, Atleticano

Flertando com a ZR

Como já disse, estou feliz por ser Bicampeão Sulamericano e estar na final do Copa do Brasil, mas, deste jeito não dá. Ontem mais uma…