13 ago 2009 - 11h31

Márcio Azevedo é quem mais atuou pelo Atlético no Brasileiro

O lateral-esquerda Márcio Azevedo chegou ao Atlético em junho do ano passado, porém somente agora no segundo semestre de 2009, durante o Campeonato Brasileiro, é que o jogador pode ser considerado o titular absoluto da camisa 6 do Atlético.

A grande virada para o atleta foi no primeiro jogo contra o Corinthians, na Copa do Brasil, na Baixada. Eleito um dos melhores atletas em campo na partida, o jogador inclusive chegou a ser cogitado para defender o clube paulista na temporada. Mas o acerto não ocorreu e hoje Márcio Azevedo é um dos destaques do Furacão no Campeonato Brasileiro.

A evolução do jogador na parte defensiva é tão nítida que não a toa ele é o líder do time em número de desarmes no Brasileirão. Até o momento, Márcio Azevedo jogou 17 partidas na competição, somando 46 desarmes segundo estatísticas do site Globoesporte.com. Sua média é de 2,71 desarmes por jogo, superando o volante Valencia, que em 14 jogos fez 35 desarmes, média de 2,50 por jogo.

Márcio Azevedo é também é o líder do time em número de jogos disputados neste Campeonato Brasileiro. Das 18ª rodadas já disputadas, o lateral atleticano ficou de fora apenas de um jogo, na 14ª rodada, contra o Avaí, na Arena da Baixada, cumprindo suspensão pelo terceiro cartão amarelo.

Carreira

O jovem jogador de 23 anos foi contratado junto ao Juventude, detentor de seus direitos federativos à época, porém o último clube pelo qual Márcio Azevedo jogou antes de chegar ao Furacão foi o Fortaleza, devido ao empréstimo firmado entre o clube gaúcho e o cearense.

Eleito o melhor lateral-esquerda do Campeonato Gaúcho em 2007 e o melhor jogador do Campeonato Cearense em 2008, o atleta foi indicado pelo então técnico do Atlético, Roberto Fernandes. Na época, o treinador declarou que Márcio Azevedo era o lateral que melhor se encaixava às necessidades do time. “Eu diria que na reunião que nós fizemos algumas posições e principalmente algumas características do Márcio Azevedo foram colocadas para o presidente, assim como outros nomes. É um jogador que vem despertando interesse de outras equipes e tenho certeza que seria um bom nome não só ao Atlético, mas a outras equipes que estão buscando se reforçar com jogadores dessas características”, disse Fernandes na época.

Apesar do assédio de outros clubes, a diretoria atleticana agiu rápido e conseguiu trazer o jogador para a Baixada. Márcio chegou com o aval do treinador, porém teve dificuldades para se firmar na equipe principal, principalmente porque o meia Netinho, que vinha atuando improvisado na ala esquerda do Furacão, estava se destacando nas cobranças de bola parada, tendo contribuído para importantes gols que culminaram na permanência do Rubro-Negro na elite do futebol brasileiro em 2009.

Roberto Fernandes saiu do Atlético em agosto de 2008 após o desempenho pífio à frente do clube, com inexpressivos 28,8% de aproveitamento dos pontos disputados. Geninho foi chamado para assumir o comando técnico da equipe, mantendo Netinho como titular na ala esquerda e Márcio Azevedo como opção no banco de reservas.

Após o alívio com a permanência na primeira divisão do Brasileirão, Geninho foi mantido no cargo para a temporada 2009 e o que se viu no primeiro semestre, especialmente no Campeonato Paranaense, foi uma espécie de rodízio na ala esquerda do Furacão.
O treinador subiu o ex-júnior Alex Sandro para o elenco principal e com isso testou três atletas para a função: Netinho (o preferido de Geninho), Alex Sandro e Márcio Azevedo. Apesar de nunca ter declarado abertamente, era visível que Márcio era a terceira opção para posição na cabeça do então técnico.

Dotado de grande capacidade física e de muita habilidade nos dribles curtos, Márcio Azevedo não conseguia emplacar no time titular desde a sua chegada ao clube devido à deficiência na parte defensiva. Acostumado a apenas atacar e não se preocupar com a marcação em seus dois clubes anteriores (Juventude e Fortaleza), o jogador amargou o banco de reservas por praticamente um ano até conseguir se firmar como o atual dono da camisa 6 do Atlético.

Com a contusão do meia Netinho e a posterior chegada do técnico Waldemar Lemos, em substituição a Geninho, Márcio foi efetivado no posto de titular e até então vem correspondendo muito bem, tanto na parte ofensiva como defensiva.



Últimas Notícias