27 set 2010 - 13h00

Torcida prefere a Vila Capanema como a “nova casa”

A Arena da Baixada ficará fechada durante as obras para receber a Copa do Mundo e a torcida já opina sobre qual deve ser a “nova casa” do Furacão no período.

Em enquete promovida pela Furacao.com, a maioria dos torcedores mostraram preferência pela Vila Capanema, na região central da cidade e o mais próximo da Baixada. 42,5% votaram no estádio do Paraná Clube. Segundo o “Google Maps”, a distância da Arena até a Vila é de 2,2 quilômetros e o tempo gasto no trajeto é de cerca de 5 minutos de carro e 27 minutos a pé.

O Rubro-Negro, que já mandou jogos na Vila Capanema, tem o recorde de público do estádio. No dia 8 de setembro de 1968, 24.303 assistiram à vitória atleticana sobre o Santos por 3 a 2. A última partida do Furacão no local foi pelo Campeonato Paranaense deste ano – vitória sobre o tricolor por 1 a 0, com gol de Bruno Mineiro.

Outras opções para o Rubro-Negro:

No último dia 20, representantes de Curitiba assinaram um acordo financeiro que viabiliza as obras da Arena da Baixada. Na oportunidade, o presidente Marcos Malucelli descartou a possibilidade de o clube atuar em outra cidade como mandante. “O Atlético continuará mandando seus jogos em Curitiba, dando plenas condições a nossos associados de terem acesso aos jogos com mando do Atlético Paranaense”, afirmou ao site oficial.

Dessa forma, restariam outras três opções: Vila Olímpica, Pinheirão e Couto Pereira. Entre elas, a torcida rubro-negra prefere a primeira, com 21,1% dos votos. O estádio, que também pertence ao Paraná, é o mais distante da região central. Da Baixada até o local, são mais de 10 km e cerca de 25 minutos de carro.

Com 16,3% dos votos, na terceira posição, aparece o Pinheirão. Porém, o estádio, que fica a cerca de 8 quilômetro do bairro Água Verde, precisaria de várias reformas. Por fim, o Couto Pereira, do Coritiba, recebeu 15.2% dos votos. O estádio fica a 5 km da Baixada, mas a diretoria alviverde informou que o aluguel seria de R$ 100 mil por jogo, o que praticamente o tira da disputa.

O cronograma exato e o período em que o Rubro-Negro terá que deixar o estádio ainda não foi definido. “Agora é a hora dos nossos associados se mostrarem realmente parceiros e sócios do clube. O Atlético é dos atleticanos e estamos fazendo um esforço para que o clube fique próximo aos seus sócios durante o período das obras no estádio. Estuda-se inclusive a viabilidade de não aumentar o valor das mensalidades este ano, como forma de prestigiar nossos sócios, que são os parceiros do clube. Entretanto, contamos com a contrapartida dos associados, que eles se mostrem presentes e continuem no quadro associativo mesmo durante as obras da Arena. Isso é fundamental para a viabilidade do próprio Atlético”, afirmou Marcos Malucelli.



Últimas Notícias