29 set 2010 - 21h28

Vitória só se for do Furacão!

O placar foi magro, mas a dimensão dos três pontos conquistados na noite desta quarta-feira é enorme. Com o triunfo por 1 a 0 diante do Vitória, na Arena da Baixada, o Furacão chegou aos 41 pontos, conquistou a quinta colocação no Campeonato Brasileiro e segue na luta por uma vaga na Copa Libertadores do ano que vem.

Noite agradável em Curitiba, clima ameno e bom público no estádio. Ingredientes que indicavam um bom jogo entre Atlético e Vitória. E, de fato, foi um jogo bastante movimentado, com inúmeras chances criadas pelo Furacão, porém, o placar não foi maior porque o time esbarrou na falta de qualidade na hora do último toque. Faltou um finalizador para transformar as jogadas de Paulo Baier, Branquinho e Guerrón em gols para o Furacão.

O primeiro tempo começou com maior posse de bola para o Atlético e as tramas de ataque começaram a funcionar pelo lado direito, com Élder Granja e Guerrón. O meia equatoriano criou pelo menos três chances claras de gols, que foram desperdiçadas primeiro por Rhodolfo, que furou o chute dentro da área e depois por Bruno Mineiro (duas vezes), que não aproveitou dois cruzamentos primorosos do “El Dinamita”.

Quando a torcida começava a ficar impaciente com os gols perdidos do Rubro-Negro paranaense, eis que Rhodolfo se redime do gol perdido anteriormente e abre o placar para o Furacão. Aos 36 minutos, Paulo Baier – sempre ele – alçou bola na área em cobrança de falta e o zagueiro cabeceou livre, no canto esquerdo do goleiro Lee. Festa na Baixada e Furacão na frente!

O segundo tempo começou da mesma maneira como o primeiro acabou, com o Furacão pressionando e esbarrando na noite desastrosa do atacante Bruno Mineiro. Maikon Leite, em seu único lance mais lúcido na partida, fez ótimo cruzamento e Bruno, já na pequena área e de frente para o gol, cabeceou mal e a bola foi torta para a linha de fundo. Mais uma oportunidade claríssima de gol desperdiçada pelo centroavante.

Porém, o lance que definitivamente esgotou a paciência da torcida aconteceu aos 10 minutos. Guerrón fez ótima jogada pela direita e cruzou rasteiro para Bruno Mineiro que perdeu um gol incrível cara a cara com o goleiro do Vitória.

Esses dois lances de perigo parecem terem acordado o time do Vitória, que avançou a marcação e passou a ter mais posse de bola quando o meia Thiago Humberto e o atacante Kléber Pereira entraram na partida, aos 16 minutos da etapa final. O time baiano pressionou em busca do empate, mas Rhodolfo, esse sim inspirado, não perdeu uma jogada e inibiu qualquer chance mais perigosa do adversário.

O jogo prosseguiu com o Furacão apostando nos contra-ataques puxados por Branquinho e Ivan González (que entrou no lugar do capitão Paulo Baier), mas a linha ofensiva atleticana não viveu uma noite feliz e o jogo terminou com o suado placar de 1 a 0.

O próximo compromisso do Atlético é contra um concorrente direto pela briga por uma das vagas no G3, que dá direito a participar da Copa Libertadores em 2011. No sábado o Furacão vai até Sete Lagoas (MG) e enfrenta o Cruzeiro, que atualmente ocupa a 3ª colocação no Campeonato Brasileiro, com 47 pontos.

%ficha=796%



Últimas Notícias

Ao Sol e à Sombra

Gol de Matosas

É verdadeiramente impossível descrever o que se sente na primeira vez em que se entra em um estádio de futebol lotado, sobretudo quando se vive…

Brasileiro

Derrota em Porto Alegre

O Furacão fez boa partida, principalmente na primeira etapa, mas não reverteu em gols as chances e sofreu o castigo fatal aos 31 da etapa…