2 out 2010 - 20h24

Iguais, Atlético e Cruzeiro empatam em Minas

Atlético e Cruzeiro empataram por 0 a 0 na noite deste sábado, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, onde o time mineiro vem mandando seus jogos neste Campeonato Brasileiro em razão da reforma do Mineirão para a Copa do Mundo de 2014. Com o resultado, o Atlético permaneceu na quinta posição, agora com 42 pontos.

O Furacão entrou em campo com uma formação diferente em relação aos últimos jogos. Guerrón e Maikon Leite foram para o banco; Deivid e Ivan González começaram jogando. Com as mudanças, Carpegiani pretendeu fortalecer o meio-campo e surpreender o adversário, que já Maikon Leite vinha sendo uma das principais armas ofensivas do time e já despertou a atenção dos treinadores adversários.

O primeiro tempo foi equilibrado. Um jogo de muita marcação e disposição física dos dois times, justificando por que Atlético e Cruzeiro são as melhores equipes do campeonato no momento. O Cruzeiro criou mais jogadas de gol e tomou a iniciativa, mas a verdade é que não chegou a pressionar a meta de Neto. As chances surgiram em lances esporádicos, quase sempre em cruzamento da direita de Rômulo e Thiago Ribeiro. Foi assim aos 20, quando Manoel se atrasou e Farías cabeceou livre para defesa de Neto, e aos 38, quando Fabinho desviou de cabeça para fora.

O Atlético contou ainda com a segurança do goleiro Neto, da Seleção Brasileira. Ele demonstrou segurança em um chute de longa distância de Henrique, aos 17, e na citada cabeçada de Farías, aos 38. Mas sua melhor defesa foi na falta de Montillo, aos 5 minutos. Atento, ele espalmou e evitou um gol que poderia mudar a história do jogo logo em seu início.

As melhores chances rubro-negras surgiram de bola parada. Aos 8, Paulo Baier cobrou falta e Chico, no segundo pau, tentou ajeitar para Bruno Mineiro. O atacante não alcançou, mas mesmo assim a bola passou perto da trave. O arremate direto para o gol parecia a melhor opção para o lance.

Travessão de um lado, Neto do outro

Insatisfeito com o empate, Cuca substituiu logo no intervalo. O experiente Roger entrou no lugar de Everton. Carpegiani mudou aos 12, colocando Guerrón no lugar de Ivan González. As modificações não foram suficientes para alterar o panorama do jogo. O Cruzeiro seguiu com mais posse de bola, mas sem conseguir passar pela barreira defensiva formada pelo Atlético.

O time da casa ameaçou quando o Atlético titubeou na marcação. Aos 17, Montillo ficou livre no meio-campo e arriscou da intermediária. O chute saiu forte e com efeito, mas Neto defendeu e comprovou a boa fase. Quatro minutos depois, o Cruzeiro conseguiu seu primeiro contra-ataque no jogo. Bruno Mineiro perdeu a bola, Montillo acionou Thiago Ribeiro, mas o chute saiu por cima do gol.

O Atlético tentava criar com Guerrón pela direita, mas com pouca efetividade. Por isso, Carpegiani fez mais duas mudanças no sistema ofensivo. Primeiro, sacou Bruno Mineiro e deu a Maikon Leite a missão de ressuscitar o ataque rubro-negro. A quinze minutos do final, o técnico arriscou todas as fichas ao colocar o argentino Federico Nieto no lugar de Paulo Baier.

Aos 33, Maikon Leite fez jogada individual, mas chutou muito fraco. Foi o primeiro arremate do ataque atleticano no segundo tempo. Cinco minutos depois, a melhor chance. Paulinho cobrou falta da intermediária e acertou o travessão de Fábio. No rebote, Maikon Leite chutou e Caçapa tirou. No minuto seguinte, Branquinho fez jogada pela linha de fundo e cruzou para trás. Maikon Leite chutou forte, mas Fäbio defendeu.

Mesmo cansado, o Cruzeiro ainda era perigoso. Aos 40, Montillo cruzou da direita, Robert ganhou de Manoel, mas cabeceou para fora. Aos 46, Neto fez um milagre. Mais um cruzamento da direita e nova cabeçada de Robert, desta vez no cantinho. Neto se esticou e fez uma linda defesa.

Se o chute no travessão de Paulinho criou a sensação de lamento pela vitória desperdiçada, a bela defesa de Neto igualou as coisas e fez com que o empate passasse a ser um bom resultado.

%ficha=797%



Últimas Notícias

Notícias

Já faz um ano….

Neste dia 04 de março faz exatamente um ano que o torcedor atleticano viu o Furacão de perto, ao vivo e em cores dentro da…