6 out 2010 - 11h05

Sérgio Soares: “É o pulo para o outro lado da calçada”

O técnico Sérgio Soares foi apresentado à imprensa nesta terça-feira, dia 5. O treinador, que estreia hoje, contra o Vasco, comentou sobre vários assuntos.

Ele falou, por exemplo, sobre a oportunidade de comandar um time de Série A. “Eu digo que é o pulo para o outro lado da calçada. Eu tenho que procurar aproveitar da melhor maneira”. Sérgio disse que ainda não conhece todo o grupo nem a tabela de jogos do Furacão. “Em 40 minutos de trabalho, você não consegue conhecer todo mundo”, afirmou.

Confira trechos da entrevista:

Oportunidade na Série A
“É uma oportunidade interessante para um início de carreira. São só cinco anos como treinador, mas tenho alguns títulos. Isso para mim é uma grande oportunidade. Eu digo que é o pulo para o outro lado da calçada. Eu tenho que procurar aproveitar da melhor maneira”.

“Ninguém nasce grande. Você nasce pequeno e sem roupa. Você tem que ter oportunidade para adquirir algo. O Atlético está me dando a oportunidade. Acredito que não tenha segredo o futebol, é igual em qualquer canto do Mundo desde que você trabalhe com muita seriedade”.

Responsabilidade
“Um time que vem vivendo um grande momento na competição, em ascensão. Então é a melhor possível, diferentemente de outras situações. Mas a responsabilidade é em todos os momentos. O profissional tem ela ou estando em uma boa situação ou numa situação ruim. Privilégio de quem consegue pegar numa boa situação como nós estamos”.

“A responsabilidade do profissional, a partir do momento em que você está dentro de uma instituição, é normal. É a mesma de você estar assumindo um grande clube. Você tem de procurar fazer o teu melhor e o meu melhor é fazer a manutenção do que vinha sendo feito e acrescentar, para que nós possamos conseguir a vaga na Libertadores”.

Conhecendo o grupo
“Para quem jogou, isso facilita. E isso você tem que fazer realmente, para os atletas se sentirem importante. Com um comandante chegando, o atleta quer mostrar serviço, mais aquela conversa no pé do ouvido para você conhecer, conversar. Isso é importante para você poder ganhar o grupo já no início”.

“Em 40 minutos de trabalho, você não consegue conhecer todo mundo. Mas dentro do trabalho, da minha proposta que é acreditar e ter um time vencedor – e tem de partir desse princípio. Os meninos entenderam e dessa forma eu tenho que estar presente para eles acreditarem na minha proposta”.

Time ofensivo
“De cada elenco, você tem que tirar o melhor de característica. Se o elenco do Atlético tiver as características para nós sermos ofensivos, nós seremos. Nós estamos observando. Não vamos mudar quase nada que o Paulo (César Carpegiani) vinha fazendo, até porque não tem por que mudar já que fizemos apenas um treinamento, uma opção (de mudança) caso não tenhamos uma opção ou outra. No decorrer, nós vamos observar e, se tiver características para ser extremamente ofensivo, será com certeza”.

Sérgio Soares fica no banco de reservas
“Vou. Amanhã estarei à frente do time, na beira do campo comandando. Não tem por que ser diferente. É lógico que nós vamos ter o Leandro (Niehues) para estar nos dando auxílio porque ele conhece muito mais os atletas. Mas a gente vai estar ali na frente, comandando sim”.

Branquinho é dúvida
“O Branco (Branquinho) vai fazer o teste amanhã (nesta quarta-feira) e só depois deste teste nós teremos a decisão para saber sobre a atuação dele ou não no jogo. Se ele não tiver, nós já fizemos algumas situações sem o Branquinho, nos preparando para o caso de o jogador ser vetado. Mas nós esperamos contar com ele para a partida”.

Estudar a tabela do Brasileirão
“Não, ainda não. Agora na concentração a gente vai pegar a tabela, olhar os jogos, olhar os jogos dos concorrentes que estão à frente. Então vamos ter um tempo para isso. Por enquanto, não deu”.



Últimas Notícias

Ao Sol e à Sombra

Gol de Matosas

É verdadeiramente impossível descrever o que se sente na primeira vez em que se entra em um estádio de futebol lotado, sobretudo quando se vive…

Brasileiro

Derrota em Porto Alegre

O Furacão fez boa partida, principalmente na primeira etapa, mas não reverteu em gols as chances e sofreu o castigo fatal aos 31 da etapa…