29 dez 2010 - 12h45

Anos 2000: altos e baixos no Brasileirão

Os dez primeiros anos do Século XXI foram de altos e baixos para o Rubro-Negro no Campeonato Brasileiro. O time chegou ao “céu”, mas também viu o “inferno” de perto.

O time fez ótimas campanhas em 2004, 2005 e 2010, além de 2001, quando conquistou o título. Por outro lado, em 2008 e 2009, brigou contra o rebaixamento. Há dois anos, por exemplo, garantiu a permanência na elite apenas na última rodada, na vitória por 5 a 3 sobre o Flamengo, na Arena da Baixada.

Confira um resumo do Atlético no Brasileiro entre 2001 e 2010

2001: O Furacão terminou a primeira fase na segunda posição, com 15 vitórias, seis empates, seis derrotas e o melhor ataque: 58 gols. Nas quartas-de-final, em jogo único, venceu o São Paulo por 2 a 1. Na sequência, recebeu o Fluminense e fez 3 a 2, com três gols de Alex Mineiro. Na primeira partida decisiva, o Rubro-Negro venceu o São Caetano por 4 a 2 na Baixada. Na final, Alex Mineiro marcou e garantiu o primeiro título nacional do Atlético.

Atlético: primeiro campeão brasileiro do Século XXI [foto: arquivo]


2002: No ano em que disputou cinco campeonatos, entre eles a Taça Libertadores, o Atlético terminou o Brasileirão no meio da tabela. Ficou na 14ª posição, com 34 pontos em 25 partidas. Foram nove vitórias, sete empates e nove derrotas, o que representa um aproveitamento de 45,3%. O time marcou 39 e sofreu 33 gols. O atacante Kléber foi o artilheiro da equipe, com 11 gols.

2003: Assim como em 2002, o Rubro-Negro também terminou na “zona do agrião”. Ficou 12 pontos atrás da zona da Libertadores e 12 pontos na frente da zona de rebaixamento. 12° colocado, o Atlético conquistou 61 pontos em 46 jogos – 17 vitórias, 10 empates e 19 derrotas; 67 gols pró e 72 gols contra. O artilheiro foi o atacante Ilan, que marcou 16 vezes.

2004: O Furacão ficou no quase. Brigou pelo título até a última rodada, mas ficou na segunda posição. Na reta final, perdeu pontos para Grêmio e Vasco e foi ultrapassado pelo Santos, que ficou com a taça. O Atlético conquistou 86 pontos em 46 partidas; venceu 25, empatou 11 e perdeu 10; marcou 93 e sofreu 56 gols. O artilheiro foi o atacante Washington, que bateu o recorde de gols em uma única edição: 34.

Furacão brilhou em 2004, mas ficou com o vice-campeonato [foto: arquivo]


2005: No início, o Atlético priorizou a Taça Libertadores e ficou dez partidas sem vencer. A primeira vitória veio apenas na 11ª rodada, contra o Coritiba – 1 a 0 na Baixada. Com o fim da competição continental, o Rubro-Negro se recuperou no Campeonato Brasileiro e quase voltou à Libertadores. Terminou na sexta posição, com 61 pontos – nove atrás do Palmeiras, quarto lugar.

2006: No ano em que ficou em terceiro na Copa Sul-Americana, o Atlético teve campanha apenas regular no Campeonato Brasileiro. Depois de dois anos entre os primeiros, o Furacão ficou na 13ª posição, com 48 pontos em 38 partidas; 13 vitórias, nove empates e 16 derrotas; 61 gols pró e 62 contra. O artilheiro da equipe foi o atacante Marcos Aurélio, que marcou dez gols.

2007: O Rubro-Negro praticamente repetiu a campanha do ano anterior. Terminou no 12° lugar, com 54 pontos; 14 vitórias, 12 empates e 12 derrotas; 51 gols marcados e 50 sofridos. O time ficou 10 pontos à frente do rebaixado Corinthians e seis atrás do Cruzeiro, último classificado para a Libertadores. O artilheiro foi Alex Mineiro, com nove gols.

Em 2007, Atlético terminou no meio da tabela [foto: arquivo]


2008: O Furacão brigou até a última rodada contra o rebaixamento. E conseguiu permanecer na Série A. Na última partida, vitória sobre o Flamengo por 5 a 3, na Arena. Com isso, o time ficou um ponto na frente do Figueirense, primeiro da zona de rebaixamento. Foram 45 pontos e a 13ª posição, com 12 vitórias, nove empates e 17 derrotas; 45 gols pró e 54 contra.

2009: Pelo segundo ano seguido, o Rubro-Negro brigou até o final contra a queda. A vitória sobre o Botafogo, na penúltima rodada, garantiu a permanência na elite. O time terminou três pontos na frente do Coritiba, 17° colocado e rebaixado para a Série B. O Atlético obteve 48 pontos com 13 vitórias, nove empates e 16 derrotas; fez 42 e levou 49 gols.

2010: O time começou mal, mas se recuperou e ficou perto da vaga na Taça Libertadores. O Furacão terminou na quinta posição, com 60 pontos – três a menos que o Grêmio, último classificado para a competição continental. O Rubro-Negro teve 17 vitórias, nove empates e 12 derrotas; 43 gols pró e 45 contra. O meia Paulo Baier, com dez gols, foi o artilheiro da equipe.

Rubro-Negro voltou a soprar forte em 2010: quinto colocado [foto: FURACAO.COM/Joka Madruga]



Últimas Notícias

Libertadores

Hoje é um novo dia…..

…. de um novo tempo/que começou Nesses novos dias/as alegrias/ serão de todos/é só querer. Esses nossos sonhos/ serão verdade o futuro já começou.  …

Fala, Atleticano

Mais do mesmo

Não consigo ver futuro no futebol que o meu time está praticando. Ou seja, não está jogando nada já faz um bom tempo. Vejamos: zagueiro…

Fala, Atleticano

Reflexões…

Após a Derrota contra o Fluminense… Nosso “DT” Felipão, implorou pelo apoio da torcida no jogo de quarta, pois é “vida ou morte”… O Atlhetico…

Fala, Atleticano

Nunca foi unanimidade

Nunca ele foi unanimidade perante a torcida do CAP, o “queridinho” do Petraglia, só conseguiu um destaque em 2018, sob a batuta do Thiago Nunes,…