26 jul 2013 - 19h20

Orçamento da obra foi aumentado em R$ 30 milhões

O valor do orçamento das obras da Arena da Baixada foi ampliado em R$ 30 milhões em relação ao que estava originalmente previsto, há três anos. A informação foi dada pelo presidente Mario Celso Petraglia, em entrevista à RádioCAP.

O orçamento original para a conclusão da Arena era de R$ 185 milhões, em valores de 2010. Agora, o valor total foi estimado em R$ 265 milhões. De acordo com Petraglia, uma parte do aumento é apenas correção do valor histórico de acordo com o índice Custo Unitário Básico da Construção Civil (CUB). Só isso elevaria o valor inicial de R$ 185 mi para R$ 235 mi. Os R$ 30 milhões restantes foram decorrência do atraso das obras.

"Não sei como vazou, era segredo. Nos reunimos com a prefeitura e o estado e entregamos o novo orçamento, final e definitivo e o numero é 265. Por que? O orçamento de R$ 184,6 mi é baseado na data de novembro de 2010. A própria lei dos títulos dos potencias construtivos prevê a correção pela inflação do setor da construção civil, ou seja do CUB. Corrigindo esse valor pela correção dos 30 meses, que será o período da obra, nós temos um valor corrigido em torno de R$ 235 milhões", explicou Petraglia.

De acordo com o dirigente, o atraso causado pelo Poder Público deixou a obra mais cara. "O que encareceu a obra, em torno de R$ 30 mi, foi o retardamento em torno de um ano no cronograma, porque o dinheiro não foi liberado, porque atrasou as desapropriações, o prédio do Exército só foi liberado há algumas semanas, então todo o custo operacional da obra incidiu. Então, temos uma obra de 43 mil lugares que vai custar R$ 265 milhões. O preço médio do assento será R$ 6 mil, quando os outros estádios custam acima de R$ 15 mil. O mais caro chegou a R$ 19 mil. E nós estamos fazendo a R$ 6 mil. E não digam que é porque é reforma, porque outros também foram: Maracanã, Mineirão. Beira-Rio também é reforma e ficará em torno de R$ 8, 9 mil o assento. Com certeza a UFPR, que é responsável pela certificação dos orçamentos, o próprio Tribunal de Contas e o BNDES, se pegarem todas as especificações técnicas e atualizarem pelo valor de mercado, verão que não faz essa obra por menos de R$ 500 mi. E estamos fazendo a melhor Arena do brasil, a mais bonita e bem feita, e a mais barata", afirmou.

Em seguida, Petraglia explicou quem arcará com a diferença de R$ 30 milhões. "De onde virá o dinheiro? Temos uma acordo tripartite: Atlético, Prefeitura e Governo do Estado. Eu disse e repeti que se custasse mais caro, o CAP assumiria, desde que as coisas tivessem acontecido no tempo certo. Não podemos assumir o retardo de ações e omissões do Governo. O que vamos buscar é só essa diferença pequena porque os R$ 184 mi já sofrem as correções dos valores. Não queiram os adversários e descrentes que se faça uma obra três anos depois com o preço de lá atrás. Quanto era o salário mínimo em 2010 e quanto será em 2014, quando vamos terminar a obra?", questionou.



Últimas Notícias

Brasileiro

Libertadores, estamos chegando!

Na Arena da Baixada, o Athletico enfrentou o Botafogo pela última rodada do Campeonato Brasileiro de 2022. Dependendo somente das suas forças para garantir presença…