5 fev 2014 - 10h08

O caminho para a Libertadores!

Foram 38 rodadas de sofrimento, comemorações e de muita luta para o Atlético se classificar para a Copa Libertadores da América de 2014. Agora, depois de nove anos, o Rubro-Negro chegou. Está a um passo, a uma vitória simples de coroar a campanha brilhante do ano passado. Na primeira batalha, sofreu um revés em Lima. Porém, a guerra ainda não terminou.

Esta quarta-feira, 05/02/2014, é o grande dia. É o dia para lotar a Vila Capanema, ferver o “Caldeirão” e ajudar o Furacão a conseguir a tão sonhada vaga na fase de grupos da Copa Libertadores da América. O espírito tem que ser de união, e é por isto, que o torcedor atleticano Jean Dion convoca novamente toda a torcida para o já conhecido “Caminho para o Inferno”.

Será a quarta edição do movimento surgido no ano passado, durante a campanha pela vaga na Libertadores. Trata-se de uma recepção calorosa aos jogadores, no momento em que eles estão chegando à Vila Capanema. São fogos, fumaça, cantos do Furacão, hino do clube, caveiras, máscaras, cachecóis e outras formas de incentivo para empurrar o Rubro-Negro para mais uma vitória.

Em 2013, o evento foi um grande sucesso e repercutiu entre os atletas. “Isso mexe com os jogadores. É importante a torcida saber como a gente se sente dentro do ônibus, chegando ao estádio e vendo os torcedores no portão de entrada, gritando, apoiando e, com os sinalizadores, fazendo uma festa muito grande. Ali, a gente já sente o clima da partida, dá um arrepio. Um olha para o outro. Pensa “de hoje não pode passar, tem que retribuir esse carinho dentro de campo”. O torcedor tem que estar ali na entrada, sim, porque, dentro de campo, a gente vai correr e entrar com energia lá em cima. Isso faz a diferença também”, afirmou o zagueiro Luiz Alberto, que deixou o clube no final do ano..

Os atacantes Douglas Coutinho e Ciro postaram vídeos nas suas redes sociais, demonstrando o quão importante é a união da torcida para os momentos de decisão.

A Furacao.com entrevistou Jean Dion, o criador do evento. Confira:

De onde surgiu o nome “Caminho para o Inferno”?
O evento tem este nome por causa de uma música da banda AC/DC (Highway to Hell), que significa “Estrada para o inferno”, um nome forte, que nos lembrou e fizemos relação com nosso temido Caldeirão”.

Quando foi feito o primeiro Caminho para o Inferno?
Foi criado na Copa do Brasil de 2013, nas quartas-de-final, contra o Internacional. Primeiramente, não esperávamos uma adesão tão grande da massa atleticana, porém fomos muito surpreendidos.

Quantas pessoas participaram dos eventos anteriores?
Em média, quase 700 pessoas.

Por que vocês resolveram organizar mais um “Caminho para o Inferno”?
Resolvemos refazer pois achamos que o evento tem a cara da Libertadores, que normalmente tem jogos aguerridos, disputados e ganhos nos detalhes. Se esse algo a mais, esse detalhe, for a motivação dos nossos jogadores, a nossa torcida estará lá, novamente, em peso, para ajudar mais uma vez. Iremos fazer a diferença novamente, e vamos ajudar o Furacão a se classificar à fase de grupos.

Qual o recado você gostaria de dar aos torcedores atleticanos?
Contamos com o apoio de todos vocês. Cheguem mais cedo (19h30), e vão nos ajudar, se puderem. Qualquer mínimo detalhe é importante, e nós estaremos lá tentando fazer a diferença. Contamos com a ajuda de todos vocês para tentar fazer mais uma bela recepção aos nossos guerreiros!

Caminho para o Inferno IV
LOCAL: Avenida Doutor Dario Lopes dos Santos, 331
HORÁRIO: 19:30



Últimas Notícias

Brasileiro

Empate com gosto amargo

Na última partida do domingo (18), Athletico e Cuiabá se enfrentaram pela 27ª rodada do Brasileirão no Joaquim Américo diante de pouco mais de 17…