27 mar 2014 - 0h18

Presente indigesto

O que era para ser uma noite de comemoração tornou-se um pesadelo. Em plena Vila Capanema, no dia em que completou seus 90 anos, nessa quarta-feira (26), o Atlético perdeu para o Vélez Sársfield dentro de casa e complicou sua classificação no Grupo 1 da Libertadores da América. Em noite de chances desperdiçadas pelo Atlético e de atuação cirúrgica do time argentino, o Furacão perdeu e deu um gosto amargo ao seu torcedor, que compareceu em peso no Durival de Britto.

No início do jogo parecia que o Furacão já ia soprar forte no início da partida, isso porque logo no primeiro minuto, após cobrança de escanteio, Bruno Mendes recebeu na pequena área e empurrou para o gol, porém a zaga argentina tirou em cima da linha. Apesar do bom início, o castigo veio rápido, Allione recebeu passe em profundidade, a zaga rubro-negra parou pedindo impedimento, porém o lance era legal e o jogador do Vélez tirou a bola do goleiro e marcou o primeiro gol da partida. Balde de água fria na Vila lotada.

Com o gol argentino a partida ficou aguerrida, com o Atlético apresentando dificuldade na marcação da saída de bola da equipe de Buenos Aires. O Furacão se lançou ao ataque e aos 20 minutos quase abriu o placar, no rebote na entrada da área, Mirabaje chutou, a bola desviou, porém Sosa, arqueiro do Vélez, bem colocado, praticou a defesa. Porém, aos 24 minutos outro “presente de grego”, após lance na zaga atleticana, Cleberson se chocou com Manoel, que se contundiu. Tensão na Vila e o capitão teve que sair aos 30 minutos, a tempo de ver Bruno Mendes perder um gol sem goleiro, após erro de Sosa e roubada de bola de Ederson, entregando a bola no pé do atacante que chutou na trave.

Após Dráusio substituir Manoel na defesa atleticana, o Atlético seguiu pressionando, com lances nas laterais do campo e ataques rápidos. Em um dos lances, aos 37 minutos da primeira etapa, Suéliton cruzou, Bruno Mendes girou e concluiu para fora da meta argentina. Aos 40 minutos, um susto. Na raça, Lucas Prado passou pela zaga atleticana e ficou cara a cara com Weverton, que saiu do gol e salvou o Furacão. Com a torcida nervosa, assim como o time em campo, o primeiro tempo acabou, com o juiz apitando o fim da etapa inicial com um minuto a menos de acréscimo que era de três minutos.

Segundo tempo começa bem e termina horrível

A bola rolou no segundo tempo com uma substituição que deu esperança aos atleticanos: Marcelo entrou em campo no lugar de Bruno Mendes, após um mês parado depois de contusão. Logo aos dois minutos, excelente jogada de Suéliton que tocou para Marcelo concluir na mão de Sosa. Após o lance, Éderson recebeu bola na entrada esquerda da área e chutou, a bola passou perto da meta argentina.

O Atlético seguiu pressionando e aos 8 minutos do segundo tempo Dráusio, que entrou no lugar do capitão Manoel, após cobrança de falta de Mirabaje desviou de cabeça para o fundo da rede, incendiando a torcida atleticana. A pressão continuou e quase o Furacão ampliou na sequência, aos 9 minutos Éderson, em velocidade, tocou para Marcelo, que na frente do gol bateu para a defesa de Sosa.

Aos 14 minutos novamente o Vélez aprontou. Lucas Prato, infernizando a defesa atleticana, recebeu na área e chutou de primeira no canto da meta rubro-negra, argentinos novamente na frente. O time do Atlético se afobou na partida, e aos 22 minutos novamente ele, Lucas Prato, recebeu lançamento e quase marcou novamente, com a bola riscando no ângulo da trave do Furacão.

O Atlético, nervoso em campo, conseguiu uma oportunidade de ouro aos 28 minutos, após sobra na área Éderson bateu, Sosa espalmou e no rebote Douglas Coutinho bateu na trave, mais uma chance despediçada. Aos 40 minutos, após cruzamento de Suéliton, Marcelo perdeu chance incrível e cabeçeou mal, facilitando a defesa de Sosa.

O Furacão foi para o “abafa”, com lançamentos longos e pressão contínua. Com a expulsão do Emiliano Pepe, do Vélez, aos 44 minutos da etapa complementar, os acréscimos foram de ataque contra defesa. Com todas as oportunidades desperdiçadas pelo Atlético, sobrou o golpe de misericórdia, em contra-ataque Cãnteros bateu de fora da área e sacramentou: 3×1 para o Vélez Sársfield. O Atlético segue em segundo lugar, com 9 pontos, já o time argentino assume a liderança com 12 pontos.

%ficha=1042%



Últimas Notícias

Brasileiro

Empate com gosto amargo

Na última partida do domingo (18), Athletico e Cuiabá se enfrentaram pela 27ª rodada do Brasileirão no Joaquim Américo diante de pouco mais de 17…