31 mar 2014 - 16h01

As impressões da nova Baixada

A semana que passou foi agitada para o nosso Rubro-Negro. Aniversário de 90 anos do clube, jogo decisivo pela Copa Libertadores, classificação e nova vitória no Paranaense. A cereja do bolo desta semana tão especial para a nação atleticana ficou por conta do primeiro jogo teste na nova Arena da Baixada, realizado na tarde do dia 29/03.

O Furacão, utilizando seu time principal e a bela camisa comemorativa de 90 anos, recebeu o J. Malucelli. A escolha do adversário se deu pelo fato do Jotinha ter emprestado seu estádio, o Ecoestádio Janguito Malucelli, durante quase todo o período em que o Atlético ficou longe de sua casa. A partida terminou empatada em 0 a 0.

O estádio, ainda em obras visando a Copa do Mundo FIFA 2014, recebeu um público reduzido de cerca de 10 mil pessoas. Apenas as retas inferiores, os setores Getúlio Vargas e Brasilio Itiberê, estavam com as cadeiras liberadas para que os torcedores pudessem aproveitar o evento, porém, todos os presentes puderam dar voltas pela parte interna do estádio e conferir o andamento das reformas.

A Furacao.com conversou com alguns dos atleticanos que puderam comparecer ao evento que abriu as cerimônias da volta definitiva do Furacão para o seu Caldeirão. Abaixo você poderá conferir a opinião destes torcedores sobre as impressões que o imponente novo estádio deixou.

Chegar à Arena, depois de tanto tempo, realmente foi emocionante. Tudo está diferente, e pra melhor. As únicas preocupações são justamente os maiores atrativos do estádio: a proximidade do campo e a acústica.

Em escanteios, será possível quase encostar no jogador. O banco de reservas também é outro ponto que merece destaque. Na verdade, o comportamento da torcida deverá passar por uma reeducação. Qual será a reação numa jornada infeliz, ou numa alteração equivocada por parte do treinador?

Quanto à acústica, nunca se venderá tanto remédio para dor de cabeça quanto agora. O estádio inteiro não passa de uma grande caixa de reverberação, que tende a se potencializar com o teto retrátil (a tampa do caldeirão). Se com 10 mil sócios, num amistoso, sem a bateria da organizada, já foi ensurdecedor, já imaginaram valendo três pontos? Sugiro a instalação de uma câmara de descompressão na saída de campo, para amenizar os efeitos.

Enfim, o estádio foi testado com louvor. Quando ficar realmente pronto (lá por setembro, quando cumprirmos finalmente a punição da bobagem de Joinville), sem modéstia, será difícil bater o Furacão na eterna Baixada.
Mauricio Andrade do Vale, 34 anos

O sentimento de estar novamente na Arena é indescritível. Mesmo sendo um amistoso, já deu pra sentir o clima do caldeirão. O campo é muito perto da arquibancada, ali você consegue gritar com o jogador e ele te ouvir. O estádio ainda está inacabado, mas já é bastante confortável. As cadeiras retráteis são bem grandes e conseguem acomodar a todos. Espero que as do anel superior também tenham qualidade similar. O cinza das fotos não parece tão "neutro" ao vivo, principalmente com a torcida rubro-negra colorindo a arquibancada. As áreas de acesso, desde a esplanada, as entradas e os corredores passam uma sensação de grandiosidade que agrega muito ao estádio. As áreas internas ainda carecem de acabamento, mas dá pra ver que a estrutura vai atender perfeitamente o grande número de pessoas que vão frequentar o estádio.

No geral, um estádio bastante confortável, moderno e grande na medida certa, sem exageros.
Ricardo Romanelli Neto, 24 anos

Impressionante, por fotos não se tem a real dimensão do tamanho e magnitude da obra, é incrível entrar pelo acesso da arquibancada e ver a Brasílio Itiberê finalmente terminada. A Arena de 99 já era incrível, motivo de orgulho para nós Atleticanos, mas agora tudo tomou uma proporção muito maior, tecnologia de ponta e uma arquitetura que nos coloca entre os melhores do mundo. Ter tido a honra e/ou privilégio de participar do primeiro teste não tem preço, emoção única na vida. Foram anos esperando por esse dia, acompanhando cada tijolo sendo colocado na obra (salvando todas as fotos), foi mágico, não consigo descrever com palavras.
Tiago Przysiada, 30 anos

Ao subir a rampa de acesso, veio à tona em minha mente a primeira vez que entrei na Baixada, lá no ano de 1994, estádio ainda acanhado, mas agora era diferente. Um majestoso complexo, uma nova Arena.

A primeira coisa que se nota é o belo gramado, um tapete. Em seguida, a qualidade das cadeiras e a proximidade ainda maior com o gramado impressionam. O contato dos torcedores com os atletas é inevitável, tanto que vários adeptos estavam tirando fotos com os jogadores que estavam no banco de reservas. Banco esse que se destaca, de qualidade primordial.

Difícil não conter as lágrimas ao retornar a nossa casa. Foram mais de dois anos longe. As instalações dos banheiros, lojas e acessos internos, ainda em fase de acabamento, já deixam claro que a modernidade será a cereja do bolo da Arena, que sem dúvida alguma será um dos mais belos estádios da Copa do Mundo FIFA 2014.

Se ontem com 10 mil pessoas o barulho já era enorme, fico imaginando quando o estádio estiver tomado por 40 mil atleticanos. Sem dúvidas o caldeirão vai ferver!
Mauro Berg, 26 anos

A Arena da Baixada está linda! Não está totalmente pronta, é verdade, mas já é possível constatar a magnitude e a beleza da obra. E não há dúvidas para quem esteve lá que a obra ficará pronta a tempo. Tive o prazer de poder ver nossa casa ao vivo. A emoção que se sente somente em caminhar novamente nas ruas que cercam o estádio em direção ao Caldeirão da Baixada ouvindo a torcida cantando é gigantesca.

A esplanada que dá acesso ao estádio, ainda não finalizada, já impressiona e dá uma noção do que está por vir. Acredito que esta é a parte mais alterada. É difícil de lembrar como era a antiga entrada pela Rua Buenos Aires. O tamanho da nossa casa é outra coisa que impressiona. Parece que ficou maior, mais alta, mais encorpada. Tanto de fora como de dentro é nítido que nosso estádio está mais imponente. Estádio de Copa do Mundo! As cores predominantemente cinzas, tão criticadas por alguns, não me pareceram feias, pelo contrário. Em contraste com a torcida rubro-negra, deixam nosso estádio ainda mais lindo. O mais impactante desse jogo teste foi perceber como a acústica do estádio ficará. Com menos de 10 mil pessoas gritando o barulho próximo a gramado era impressionante! Fico imaginando com os 43 mil lugares tomados a pressão que existirá nos jogadores. Seremos muito fortes ali dentro!

Acredito não ser necessário descrever a sensação de voltar pra sua casa depois de mais de dois anos longe dela. As memórias vêm e a emoção aflora quando se pisa naquele lugar que te vê desde criança, acompanhando e torcendo pro Furacão, agora mais lindo e aconchegante. A torcida rubro-negra não vê a hora de poder deixar finalmente completo o Estádio Joaquim Américo, pintado com as cores vermelha e preta de nossas camisas, lotado para um jogo oficial! Com certeza absoluta, toda a espera vai valer a pena!
Fausto Pereira de Carvalho, 24 anos

A volta para casa foi inesquecível. Não pude ir na inauguração de 99, e fiz questão de continuar a pagar o sócio por 2 anos só para ter a presença garantida nessa volta. E valeu a pena. Tudo ficou melhor, tudo mesmo: os acessos, o espaço, a visão do campo que era ótima ficou espetacular. Já da para imaginar o que 40 mil vozes serão capazes de fazer ali dentro. Obviamente que para um jogo que nem foi considerado oficial como um jogo teste, tem coisas a serem melhoradas e coisas que sequer foram testadas, mas dentro do que o Atlético se propôs a fazer e nos mostrar estava seguramente acima da media de outras inaugurações "oficiais" que vimos por ai.
Fabio Demetrio, 29 anos

A impressão de estar no estádio é totalmente nova. Não lembra em nada a antiga Arena. Aquele caldeirão que meteu medo em todos desde 1999 já não existe mais, nem em vagas lembranças. O que ficou agora é algo imponente, colossal, mais comparado às arenas europeias. Sinceramente, é algo indescritível!

Pra mim não precisa melhorar em nada. Como comentei com um amigo meu, se ficasse do jeito que está pra mim estaria bom demais já! Como fiz as visitas guiadas na Arena antiga e fui um dos primeiros a visitar o estádio novamente (promoção CAP 90 anos), pude constatar que a estrutura interna é infinitamente superior àquela criada em 1999. Outra coisa que eu queria evidenciar aqui, é que o estádio ficou muito mais aconchegante e acolhedor do que era antes.
Laurindo Crestani Neto, 33 anos

É com imenso orgulho e satisfação que retornamos à nossa casa! Orgulho pela capacidade de realização de uma obra tão bela e grandiosa e satisfação por fazermos parte desse momento histórico.

Os anos que antecederam a reabertura foram difíceis, mas fomos recompensados à altura! Mesmo não finalizado, o complexo é belíssimo, condizente com a nossa história e com a grandeza de nossa torcida. A visão do campo de jogo é fantástica e a acústica é ainda mais surpreendente. Se antes a força da torcida já causava temor nos adversários, quais sentimentos eles terão ao pisar no gramado? Talvez não saibamos por palavras, mas facilmente identificaremos pelas atitudes em campo…

Um futuro ainda mais vitorioso se desenha à nossa frente! Sábado foi apenas o recomeço dessa nova história!
Vitor Tavares Botti, 26 anos



Últimas Notícias

Sul-Americana

Caminhando pela América

Dentro de uma semana o Athletico volta a campo na primeira partida da equipe principal e num dos torneios cobiçados pelo clube na temporada: a…