O Fala, Atleticano é um canal de manifestação da torcida do Atlético. Os textos abaixo publicados foram escritos por torcedores rubro-negros e não representam necessariamente a opinião dos responsáveis pelo site. Os autores se responsabilizam pelos textos por eles assinados. Para colaborar com um texto, clique aqui e siga as instruções. Confira abaixo os textos dos torcedores rubro-negros:
11 nov 2014 - 17h26

Futebol paranaense em queda livre

Hoje resolvi não só comentar sobre o nosso CAP, mas também sobre o nosso futebol paranaense no geral em comparação a RS e SC.

Em relação ao futebol gaúcho o nosso futebol em nível de equipe na Série A até este ano está equiparado, pois são dois representantes, tanto lá como aqui e até mesmo o estadual deles é parecido, no final acaba sempre em GRENAL, como aqui em ATLETIBA, salvo algumas exceções. Só com uma gigantesca diferença dos gaúchos para nós, este dois clubes são tricampeões brasileiros, da Libertadores e Mundial e nós só com dois míseros títulos nacional na Série A e três na Série B.

Com relação ao futebol catarinense, a coisa muda de figura. Eles até têm um campeão nacional que é Criciúma, pela Copa do Brasil, como nós temos o Coritiba e o CAP pelo Campeonato Brasileiro da Séria A e B e Paraná Clube na B, se não estou enganado. Mas estamos perdendo terreno para eles, em vista que este ano eles tinham ou têm três representantes e nós dois, para o ano que vem a estimativa é de que eles possam manter os três ou até elevar para quatro representantes e nós, se conseguirmos manter dois, já está bom, pois a possibilidade de ser somente o CAP é a mais confiável. Não que eu morra de amores pelos ervilhas, muito pelo contrário, mas o nosso futebol como um todo perde se os ervilhas pela sexta fez forem para a segunda divisão e como andam mal das pernas tanto em campo como financeiramente, vai demorar um pouco para retornarem como está acontecendo com o Paraná Clube que, aliás, está caminhando a passos largos para a Série C e lá encontrará o Londrina. Mas explico melhor. A saída de um time de A para a B só enfraquece o nosso futebol, que já não é lá grande coisa, pois as nossas equipes brigam no geral para se manterem na competição da A e pouco visam o título. Visto pelo investimento feito no futebol, jogadores de mediano a rendimentos duvidosos. E neste contexto temos um único time garantido na séria A, um brigando para não cair para a B outro brigando para não cair para a C e o Londrina que subiu da D para a C.

Em comparação ao futebol catarinense dá para perceber que se tem algo errado no planejamento do futebol dos nossos clubes como também demonstra a fraqueza do futebol paranaense em relação ao catarinense e gaúcho.

E por onde começa está fraqueza. Pela nossa Federação que não tem representação alguma em nível de CBF e o catarinense colocaram um vice para a futura gestão da entidade que rege o futebol nacional. Mas os clubes tem sua parcela, no interior a cada temporada se monta time para vender os jogadores aos grandes centros Rio/ São Paulo, caso típico do Londrina que liberou Joel para o coxa, mas já vendido para o futebol alemão, como outras agremiações do interior que servem de laboratório para clubes de São Paulo e depois retornam este jogadores já lapidados e tarimbados. E assim a cada ano o futebol paranaense fica mais pobre que está no momento.

A verdade é uma só. O CAP a pelo menos duas décadas ou mais está lutando sozinho para engrandecer o futebol paranaense, enquanto o “mais vitorioso do mundo” sendo rebaixado e talvez batendo mais um recorde (em português) nacional só que este não vai para o Guinness Book ou Livro dos Recordes. Quanto ao Paraná Clube o que falar, isso vem se arrastando deste sua última queda para a segunda divisão e já nem estou lembrado quando, mas se não me falha a memória é entre nove a dez anos atrás e este ano parece que não está dando para segurar nem a série B e está indo rumo à série C.

E lá em Santa Catarina o seu futebol se tornando competitivo a nível estadual e se fortalecendo a nível nacional com quatro ou três times na A, fora os seus representantes da B e C. E se fortalecendo porque hoje muitos já ouviram falar fora o Figueirense, Avaí e Criciúma, agora conheceram o Chapecoense, Joinville, também se fala do Blumenau, Marcílio Dias que são forças do futebol regional do nosso vizinho. E nós? Fora o Atlético PR, Coritiba, Paraná, Londrina, fica o restante na lembrança quem? Talvez o Arapongas, Paranavaí e Operário de Ponta Grossa, e o Maringá que neste ano voltou a brilhar, mas é muito pouco pois não competem campeonatos nacional, fora o trio de ferro e o Londrina.

Portanto é começar em fortalecer FPF começando por uma limpa na instituição máxima do nosso futebol paranaense, por gente profissional para a gerir e devolver ao futebol paranaense a sua condição de uma boa representatividade, pois do jeito que está, vamos acabar como o futebol goiano. Um ÚNICO representante na elite do futebol brasileiro. Ou como diz um colega de trabalho “o consolo do torcedor paranaense é torcer pelo seu clube de coração não ser rebaixado”. Muito triste isso, mais é a mais pura verdade, portanto ACORDA FUTEBOL PARANAENSE.



Últimas Notícias

Opinião

Passo a passo

O mundo anda acelerado demais. Era um processo que já vínhamos passando mas parece que se acelerou no período pós pandemia, pois todo mundo parece…

Brasileiro

Empate com gosto amargo

Na última partida do domingo (18), Athletico e Cuiabá se enfrentaram pela 27ª rodada do Brasileirão no Joaquim Américo diante de pouco mais de 17…