11 jan 2015 - 15h44

Baixada recebeu homenagem a Zilda Arns no Sábado

Peregrinos e fiéis de diversas partes do Brasil participaram, neste sábado (10), de cerimônia em homenagem a Dra. Zilda Arns Neumann, promovida pela Pastoral da Criança, na Arena da Baixada. Para a realização do evento, que faz parte da abertura do processo de beatificação de Zilda Arns, o estádio do Atlético Paranaense foi cedido gratuitamente, como parte do acordo com os Governos Estadual e Municipal.

A cerimônia na Arena teve início por volta das 19h deste sábado (10) e contou com a entrega oficial da moção, que solicita a abertura do processo de beatificação da Dra. Zilda Arns Neumann. A moção é um documento que reúne assinaturas, com o objetivo de demonstrar o apoio da população a uma causa ou proposta. "As moções de apoio são, na verdade, a manifestação espontânea do povo, que reconhece este legado evangelizador da Dra. Zilda", explicou a Irmã Veroni Medeiros, responsável pelo recebimento da moção de apoio ao pedido de abertura do processo de beatificação.

"Não se trata, apenas, de uma santa de altar a mais. A Dra. Zilda teve uma intuição fundamental de defesa de promoção da vida, desde o momento da sua concepção até o final", disse Dom Aldo Di Cillo Pagotto, presidente do Conselho Diretor da Pastoral da Criança e arcebispo da Paraíba. "Queremos chamar atenção que esta defesa da vida também tem este caráter sagrado", acrescentou.

O evento foi aberto pelos artistas Vera Holtz, Fernanda Machado e Luís Alberto Melo. Antes do início da missa, também passaram pelo palco, localizado no centro do gramado, nomes como Ideli Salvatti, Secretária Especial de Direitos Humanos do Brasil, e o prefeito Gustavo Fruet.

"É a prova de que este espaço [Arena da Baixada] vai muito além do futebol", destacou o prefeito Gustavo Fruet. "Este evento dá uma grande dimensão à cidade de Curitiba, sede da Pastoral da Criança", completou.

A missa contou com as presenças de Dom Geraldo Majella Agnelo, cardeal arcebispo emérito de Salvador (BA); Dom Raymundo Damasceno Assis, cardeal brasileiro arcebispo de Aparecida (SP) e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil [CNBB]; e do Padre Reginaldo Manzotti, que conduziu os cantos.

"Tive o privilégio de conhecer a Dra. Zilda ainda viva", afirmou o Padre Reginaldo Manzotti. "Era uma pessoa, como diz Dom Aldo, contagiante e santa. A santidade exala e agrega", complementou.

Zilda Arns teve trabalho social importante e reconhecido em todo o país. Foi médica pediatra e sanitarista, fundadora e coordenadora internacional da Pastoral da Criança, fundadora e coordenadora nacional da Pastoral da Pessoa Idosa, representante titular do Conselho Nacional de Saúde e membro do Conselho Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social [CDES]. Morreu no dia 12 de janeiro de 2010, durante o terremoto que devastou o Haiti.

"A Pastoral é uma das iniciativas mais brilhantes, necessárias e importantes para o povo em geral, pois é o povo que se envolve", ressaltou Flávio Arns, sobrinho de Zilda Arns e secretário de Assuntos Estratégicos do Governo do Estado do Paraná.

Caravanas de todo o país estiveram na Arena da Baixada

No total, 18.687 fiéis, de todo o país, estiveram na Arena da Baixada. No rosto de cada um deles, estampava-se admiração e reconhecimento pelo trabalho de Zilda Arns.

"Várias caravanas chegaram ontem [sexta] e hoje [sábado] o dia inteiro, desde às 5h da manhã", contou a Irmã Vera Lúcia Altoé, Coordenadora Nacional da Pastoral da Criança.

"Pessoalmente, não tive a oportunidade de conhecê-la. Mas sou profissional da saúde e não podia deixar de comparecer aqui, até mesmo porque a relação da Zilda Arns com a saúde sempre foi além do profissional", destacou Edilvana Stahlschmidt, de São José dos Pinhais, que compareceu à celebração.

A homenagem a Dra. Zilda Arns abriu o calendário de eventos da Arena da Baixada em 2015 e demonstrou, mais uma vez, o potencial do estádio do Atlético Paranaense.

"O evento teve o envolvimento de várias entidades, religiosas, governamentais e também a iniciativa privada. Temos nos preparado cada vez mais para eventos de massa, de qualquer natureza, em 2015", ressaltou o diretor de Operações da Arena da Baixada, Mauro Tostes.



Últimas Notícias

Opinião

O Furacão voltou

Não podia ser num jogo qualquer… Nosso retorno para casa tinha que ser numa semi-final de Copa do Brasil, contra o badalado e protegido Flamengo,…

Sul-Americana

Confira como ir ao Uruguai

Logo após a classificação diante do Peñarol pelas semifinais da Sul-americana 2021, a enorme procura dos torcedores pelas passagens aéreas de Curitiba a Montevidéu acabou…