O Fala, Atleticano é um canal de manifestação da torcida do Atlético. Os textos abaixo publicados foram escritos por torcedores rubro-negros e não representam necessariamente a opinião dos responsáveis pelo site. Os autores se responsabilizam pelos textos por eles assinados. Para colaborar com um texto, clique aqui e siga as instruções. Confira abaixo os textos dos torcedores rubro-negros:
28 jun 2015 - 11h44

Ver qualquer time da Série A não é para pobres, faz tempo!

Só não enxerga quem não quer!

Veja lá se o Coxa ou o Paraná coloca seus ingressos a R$50. Só quando eles estão com a corda no pescoço. Veja lá se qualquer clube da série A faz seus ingressos a R$50? Uma vez ou outra quando estão precisando da torcida para impulsionar o time.

No nordeste os ingressos são bem mais baratos porque os estádios são Públicos, porque os times jogam na série B, porque os clubes não podem pagar uma fortuna para cabeças de bagres e técnicos, lá eles não tem CTs completos com todos os equipamentos e profissionais necessários, lá tudo é mais barato. Inclusive os ingressos!

Concordo com o Petraglia quando disse que: assistir futebol em campo hoje é só para a Classe A e B. Analisemos o caso do Paraná, que está na segunda divisão, num estádio acanhado, sem conforto, não tem CT para treinos, não consegue pagar a folha de pagamento, está endividado até o talo, está vendendo seu patrimônio para pagar dívidas, não ganha nada a séculos e mesmo assim colocou seus ingressos a R$60. Vocês acham que R$60 é um ingresso barato para os pobres? Veja a média de público do Paraná!
O ingresso do Coxa é R$95 pra ficar lá empuleirado, tomando chuva, vendo o time todo ano lutando para não ser rebaixado, ta com uma dívida quase igual a do Atlético sem ter investido em estrutura como o Atlético fez. Você acha que os Pobres dos Coxas podem pagar R$95? Veja a média de público que eles tem.

O problema do Petraglia é que ele fala o que pensa e a maioria do povo brasileiro não gosta de ver as coisas como elas são. Eu até acrescentaria no que ele disse que a Série A está para o poder aquisitivo da Classe A, Série B está para a Classe B e Série C está para a Classe C, é assim que as coisas são, ou vocês tem alguma dúvida disso?

Agora, felizmente, todos os clubes possuem torcedores de todas as Classes e é impossível agradar a todos.

Senão vejamos: A Arena tem capacidade para 43mil. Vamos baixar os ingressos (popular para R$30), que seria um preço razoável para os ‘pobres’ e vamos reservar 10mil ingressos por esse preço. Vai dar morte na fila pra comprar esses ingressos. Você já imaginou o problemão que isso seria. Teríamos que ter uma Arena com capacidade para 200, 300 mil lugares. Sem falar que a figura do sócio deixaria de existir, eu mesmo desistiria das minhas 2 cadeiras e compraria esses ingressos. E aí viria a velha lei de mercado, aumento da demanda para um produto escasso, aumenta o preço.

Eu concordo que o Atlético terá que rever um pouco esses valores ou trazer mais benefícios para os associados, porque a realidade econômica hoje não comporta esses valores. E operar com a metade da capacidade do público é um tiro no pé. Agora, não dá pra fazer muita coisa não e não é um problema que só o Atlético está enfrentando. Todos estão passando por isso, inclusive o nosso Paranito, em outro patamar, mas é a mesma coisa.

E a Classe C, na qual eu me enquadro, quem não puder ser sócio acompanha pela rádio ou televisão que é bem mais barato, e quando puder, uma vez ou outra, vai assistir na Arena.

Ninguém está discriminando ou elitizando o torcedor. Ou, todos estão! Não é privilégio do Atlético não, é a realidade de todos.

Eu mesmo sou torcedor do Atlético desde 1968 e até abrir esse plano de sócios fui poucas vezes assistir jogos nos estádios, nem por isso sou mais ou menos torcedor do Atlético, nem por isso sinto mais ou menos alegrias ou tristezas com meu time, pelo contrário, hoje eu sinto um orgulho muito grande do Atlético ser o que é e ter o que tem e estou fazendo a minha parte para ser cada vez melhor.



Últimas Notícias

Libertadores

Vamos, oh meu Furacão

Os pouco mais de 1.800 km que separam Curitiba de La Plata começaram a ser enfrentados por centenas de atleticanos desde o último fim de…