20 ago 2015 - 15h39

Venda de Alex Sandro gera lucro ao Furacão

Confirmada na manhã desta quarta-feira (19), a venda do lateral-esquerda Alex Sandro ex-Furacão renderá lucros aos cofres Rubro-Negros. Alex Sandro que desde 2011 estava jogando pela equipe portuguesa do Porto , foi negociado na manhã desta quinta-feira com a equipe da Juventus (ITA), por aproximadamente 26 milhões de euros (R$ 101 milhões) em um contrato que tem validade até junho de 2020.

Devido ao mecanismo de solidariedade da FIFA, o Furacão ficará com 3,5% do valor da transferência pelos anos que o jogador jogou pelo Rubro-Negro (dos 14 anos até os 20 anos), já o clube paulista ficará com 0,5% e o clube português ficará com os outros 1% do total do valor da negociação. Sendo assim a negociação de Alex Sandro renderá aproximadamente R$ 3,535 milhões à equipe atleticana.

Revelado pelo Rubro-Negro o lateral-esquerda participou de 57 partidas pela equipe profissional atleticana e anotou um gol. Vale ressaltar que Alex Sandro é o segundo jogador revelado no CT do Caju que é negociado com a equipe italiana nessa janela de transferências, antes dele o goleiro Neto á havia assinado com a atual tetra-campeã italiana e vice-campeã da Liga dos Campeões da Europa.

Com a venda do atleta o Furacão lucrou aproximadamente R$ 91 milhões com a venda de jogadores revelados ou não no CT do Caju em menos de um ano. Isso porque anteriormente foram negociados os zagueiros Rhodolfo (Besiktas) e Manoel (Cruzeiro), o meia Nathan (Chelsea), e os atacantes Marcelo (Flamengo), Douglas Coutinho (Doyen Sports), Ederson (Kashima Reysol), Fernandão (Fenerbache) já tinham sido negociados também e gerado desta forma lucro aos cofres rubro-negros.



Últimas Notícias

Fala, Atleticano

Jogo da vida

Por curiosidade, fui verificar qual a possibilidade da queda do CAP para a segunda divisão, e apresentou 16.4%, preocupante em vista que estamos num bolo…

Fala, Atleticano

Flertando com a ZR

Como já disse, estou feliz por ser Bicampeão Sulamericano e estar na final do Copa do Brasil, mas, deste jeito não dá. Ontem mais uma…